Logo Mais Retorno
Renda Variável

Em abril, 25 empresas pagam R$ 3,4 bi em dividendos; confira a lista

São companhias do setor de saúde, gás, imobiliário, locação de veículos, saneamento básico, entre outras

Data de publicação:31/03/2022 às 19:15 -
Atualizado 2 meses atrás
Compartilhe:
  • Facebook
  • Linkedin
  • Twitter Mais Retorno
  • Telegram Mais Retorno
  • WhatsApp Mais Retorno
  • Email Mais Retorno

A temporada de pagamento de proventos de abril engata a primeira marcha nesta sexta-feira, 1, com os bancos, tradicionais distribuidores de Juros sobre Capital Próprio (JCP) e de dividendos mensais, puxando a fila. Neste mês, segundo levantamento feito pela reportagem do portal Mais Retorno, 25 empresas desembolsarão R$ 3,477 bilhões para seus acionistas.

Entre elas estão, além dos gigantes do setor financeiro, companhias da área de saúde, setor imobiliário, locação de veículos, gás, carrocerias de ônibus, saneamento básico, entre outras. Um dos maiores pagamentos virá das mãos da Comgás, braço de gás natural da Cosan, no valor de R$ 700 milhões, incluindo JCP e dividendos.

dividendos
Comgás distribuirá R$ 700 milhões entre JCP e dividendos -Foto: Reprodução

A empresa ajudou a dar robustez para o balanço da Compass, controlada da Cosan, cujo lucro líquido de R$ 320,4 milhões no quarto trimestre do ano passado, aumentou 81% na comparação com o mesmo intervalo do ano anterior.

Somente a receita da Comgás cresceu quase 50%, somando a R$ 3,5 milhões, impulsionada pelo aumento do consumo de gás, pelo repasse do custo nas tarifas e pelo reajuste das margens de distribuição, segundo a empresa em balanço.

Mas a situação deve ficar mais desafiadora com os efeitos da guerra da Rússia. Especialistas apontam que o gás deve ficar mais caro em 60% ou mais na ponta.

O preço do gás encanado é definido pelo valor do barril de petróleo tipo Brent, que também está em alta por conta do conflito na Ucrânia.

As companhias que distribuirão provento este mês

Data EmpresaTickerProventosValor por ação
01.04ItaúsaITSA3DividendosR$ 0,020
01.04ItaúsaITSA3JCPR$ 0,020
01.04ItaúITUB3 e ITUB4DividendosR$ 0,015
01.04BradescoBBDC3JCPR$ 0,017
01.04BradescoBBDC4JCPR$ 0,018
01.04BanestesBEES3 e BEEES4JCPR$ 0,020
01.04Modal MaisMODL3 e MODL4JCPR$ 0,022 por ação ON e PN ou R$0,066 por unit
04.04MarcopoloPOMO3 e POMO4JCPR$ 0,070
04.04FleuryFLRY3DividendosR$ 0,709
04.04Comgás CGAS3 e CGA5JCPR$ 0,117 por ação ON ou  R$ 0,129 por ação PN

04.04ComgásCGAS3 e CGA5Dividendos (intermediários)R$ 4,290 por ação ON ou
R$ 4,719 por ação PN

04.04ComgásCGAS3 e CGA5Dividendos (intercalares)R$ 0,762 por ação ON ou R$ 0,839 por ação PN
05.04PortobelloPTBL3Dividendos R$ 0,024
05.04Blau FarmacêuticaBLAU3Dividendos R$ 0,205 
05.04EztecEZTC3Dividendos R$ 0,460
07.04UnidasLCAM3JCPR$ 0,141
07.04BR PropertiesBRPR3Dividendos R$ 0,016
07.04Nord BrasilBNBR3Dividendos R$ 0,112
07.04Nord BrasilBNBR3JCPR$ 2,435
08.04B3B3SA3Dividendos R$ 0,130
08.04B3B3SA3JCPR$ 0,050
11.04Hermes PardiniPARD3JCPR$0,109
12.04BemobiBMOB3Dividendos R$ 0,202
12.04Rede D'OrRDOR3JCPR$ 0,098
14.04SulAméricaSULA3, SULA4 e SULA11JCPR$ 0,063 por ação ON ou PN, ou R$ 0,191 por unit
15.04Boa VistaBOAS3JCPR$ 0,066
18.04Kepler WeberKEPL3DividendosR$ 1,951
18.04TIMTIMS3JCPR$0,080
28.04SaneparSAPR3 e SAPR4JCPR$ 0,108
29.04DimedPNVL3JCPR$ 0,044
29.04Aliança da Bahia PEAB3 e PEAB4JCPR$ 0,710 por ação ON e
R$ 0,781 por ação PN
Fonte: Mais Retorno

Bancos

Tradicionais pagadores de proventos mensais, os chamados “bancões” – que incluem nomes como Itaú, Bradesco, Santander e Banco do Brasil – são aguardados a cada nova temporada de proventos.

O pagamento de abril ocorre pouco tempo depois que os gigantes apresentaram seus balanços trimestrais referentes aos três últimos meses de 2021 e o consolidado do ano.

Segundo levantamento feito pela Mais Retorno, juntos, os quatro “bancões” somaram um lucro líquido total de R$ 81,6 bilhões em 2021, impulsionados pela evolução das carteiras de crédito e receitas de serviços. No ano, o montante de dividendos e JCP distribuídos por eles subiu 12,3%, para R$ 33,4 bilhões.

Apesar dos bons números, o setor enfrenta um cenário desafiador, que inclui a concorrência com as fintechs, principalmente no mercado de crédito, e com a queda no poder de compra das famílias.

“Hoje os bancos negociam a múltiplos baixos e estão vivenciando a expansão das fintechs cada vez mais forte no mercado de crédito, o que pode apertar um pouco a rentabilidade deles”,

Flávio de Oliveira, head de Renda Variável da Zahl Investimentos.

Além disso, segundo ele, o poder de compra do consumidor está comprometido pela queda na renda e pelo alto endividamento. “E mais: a inflação alta virou um fenômeno global, e, junto com a guerra na Ucrânia, ainda em curso, pode trazer um período de recessão”.

No entanto, Oliveira acredita que a solidez dos bancos fará com que eles passem mais ilesos do que os bancos digitais caso isso ocorra.

“Além dos múltiplos baixos, nessas horas o investidor migra seus investimentos para empresas de valor, como é o caso dos bancos. Por isso, nessa hora é melhor estar posicionado neles do que nas fintechs”, reforça.

Flávio de Oliveira

Construção civil

Uma das distribuidoras de dividendos do setor de construção civil em abril é a Eztec. De acordo com o head da Zahl, hoje a incorporadora é considerada uma das melhores do seu mercado.

“A companhia faz uma gestão eficiente de caixa, não é alavancada e é uma boa distribuidora de dividendos. Pode encontrar uma certa volatilidade ao longo do caminho, mas tem condições de passar pela tempestade”, ressalta.

Oliveira, head da Zahl

Porém, acaba sentindo os reflexos do momento complicado que o mercado imobiliário está vivendo atualmente, com o aumento da inflação e da taxa de juros.

“O aumento do preço das commodities pressiona a elevação do valor dos imóveis. Para complicar ainda mais, a população está mais empobrecida, sem condições de adquirir um financiamento – que está com juros elevados – para comprar uma casa”, diz ele.

B3

Um dos fatores que favorece o fortalecimento das atividades da B3, segundo o especialista, é a diversidade de negócios, o que a torna uma gigante em seu segmento.

O fato de a Bolsa ter adquirido a Cetip, empresa especializada em custódia de títulos de crédito privado, ajuda ela a não sentir tanto o impacto da alta dos juros.

“Além do monopólio de seu mercado, a B3 pode lucrar com o aumento dos juros por conta da Cetip. Com a Selic mais alta, os investidores saem da Bolsa e vão alocar seus ativos em Renda Fixa", ressalta Oliveira.

Rede D’Or e SulAmérica

Nos últimos tempos, as atenções se voltaram para a Rede D’Or e para a SulAmérica – ambas pagarão proventos em abril. Porém, não foi a distribuição de dividendos ou JCP que atraiu o interesse dos investidores.

Recentemente, a Rede D’Or anunciou um movimento de compra da SulAmérica, o que foi bem-visto pelo mercado – no dia do anúncio, as ações de ambas as companhias dispararam na Bolsa.

Para Breno Bonani, especialista da Valor Gestora de Recursos (VGR), a aquisição vai trazer ainda mais variedade de serviços ao seu negócio. “A chegada da operadora de saúde complementaria o negócio da Rede D’Or, que teria uma empresa de planos de saúde em seu guarda-chuva, reforçando seu mix de serviços”.

Esse foi apenas um dos diversos movimentos de M&A (fusões e aquisições, na sigla em inglês) feitos pela rede de hospitais. Desde 2018, a Rede D’Or deu início às compras e após seu IPO (abertura de capital, na sigla em inglês) na Bolsa no ano passado, intensificou ainda mais a colocação de novas empresas em seu carrinho.

O comportamento das ações de empresas de dividendos

Fonte: Mais Retorno/ferramenta Comparador de Ativos
Sobre o autor
Julia Zillig
Repórter do Portal Mais Retorno.