Empresa

Lucro do Bradesco, Itaú, Banco do Brasil e Santander chega a R$ 21,3 bilhões no 3º trimestre; veja outros dados

Receita com intermediação financeira é a terceira maior da série histórica

Data de publicação:11/11/2021 às 07:00 - Atualizado 2 meses atrás
Compartilhe:
  • Facebook
  • Linkedin
  • Twitter Mais Retorno
  • Telegram Mais Retorno
  • WhatsApp Mais Retorno
  • Email Mais Retorno

Em 2021, os bancos vão muito bem, obrigado, a despeito do cenário fraco e conturbado na economia brasileira. No 3º trimestre, os quatro maiores bancos do País, juntos, apresentaram um lucro líquido consolidado de R$ 21,3 bilhões, o terceiro maior em toda a série histórica, iniciada em 2006. Isso é o que mostra um estudo feito pela plataforma Economatica.

O Bradesco foi o que mais cresceu de trimestre a trimestre em base anual; o Itaú Unibanco foi o que mais faturou com intermediação financeira e é o maior banco por ativos entre os quatro; o Santander tem o melhor retorno sobre o patrimônio. O provisionamento para fazer à inadimplência está crescendo nesse ano, e o Banco do Brasil fez o maior deles no 3º trimestre.

Lucro dos bancos é o 3º maior da série histórica

O total do lucro dos bancos no 3º trimestre só fica atrás do recorde, que foi batido no trimestre anterior, o 2º de 2021, quando o total do lucro conjunto dessas mesmas instituições financeiras alcançou a casa de R$ 23,1 bilhões. E do segundo maior resultado, de R$ 21,8 bilhões, registrado no 4º trimestre de 2019.

Comparando os números do 3º com o do 2º trimestre (o do recorde) desse ano, houve uma retração de 7,99%. No entanto, se a base de comparação for o mesmo período de 2020, o crescimento é de 36,75%.

O maior lucro foi o do Bradesco, de R$ 6,64 bilhões, seguido pelo Itaú Unibanco, com R$ 5,78 bilhões. Na terceira posição aparece o Banco do Brasil com R$ 4,60 bilhões e na quarta, o Santander, com R$ 4,27 bilhões.

Crescimento em 12 meses

O Bradesco foi o que mais cresceu, 58,6%, entre o 3º trimestre de 2021 e o de 2020.

O Banco do Brasil ocupou o segundo lugar, com crescimento de 49,4%, e o Itaú Unibanco o terceiro, com 28,77%. E a menor expansão, entre os quatro, de 12,2%, ficou com o Santander no mesmo período.

Outros números que chamam a atenção

Em vários aspectos dos balanços, os resultados são vistosos e chamam a atenção.

Em relação à intermediação financeira no 3º trimestre, por exemplo, a receita dos quatro, de R$ 159,1 bilhões representa uma expansão de 210,8% em relação ao igual período de 2020, e de 55,6% ante ao total do 2º trimestre desse ano.

Trata-se do 3º maior total de receita desde 2006, ficando atrás dos R$ 180,3 bilhões registrados no 1º trimestre de 2020, e dos R$ 172,9 bilhões, no 3º trimestre de 2015.

Com R$ 45,4 bilhões, o Itaú Unibanco foi o que mais faturou com intermediação financeira, seguido pelo Banco do Brasil, com R$ 41,1 bilhões. Na terceira posição vem o Santander com R$ 39,5 bilhões e em quarta, o Bradesco com R$ 33 bilhões.

Preocupação com inadimplência

Embora tenha ocorrido uma queda de 10,10% em relação a 2020, o total de Provisões para Pagamentos Duvidosos (PPD) feito pelos grandes bancos vem crescendo nesse ano: ?o total provisionado no 3º trimestre ficou em R$ 18,6 bilhões, com evolução de 44,03% em relação ao trimestre anterior.

O maior provisionamento foi o do Banco do Brasil, com R$ 5,91 bilhões, e o menor o do Bradesco, com R$ 3,60 bilhões. Itaú Unibanco provisionou R$ 4,71 bilhões, e o Santander, R$ 4,37 bilhões.

Dentro da série histórica, o maior provisionamento ocorreu no 4º trimestre de 2019, com R$ 28,4 bilhões.

Total de ativos dos bancões

Ainda pelo estudo da Economatica, o ?ativo total consolidado dos quatro bancos no 3º tri ?é de R$ 6,76 trilhões, montante 4,80% superior ao do mesmo período de 2020, e 4,65% maior que o do 2º trimestre de 2021

O maior banco por ativos é o Itaú Unibanco, com R$ 2,15 trilhões, seguido pelo Banco do Brasil, com R$ 1,97 trilhão, pelo Bradesco, com R$ 1,66 trilhão, e pelo Santander, com R$ 970 bilhões, nessa ordem.

Retorno sobre o patrimônio

A mediana do ROE dos quatro bancos no 3º trimestre de 2021 é de 17,59%, percentual próximo ao registrado no 1º trimestre de 2020 (pré-pandemia). O menor valor aconteceu no 4º trimestre de 2020, quando a mediana foi de 12,06%, e o maior registro foi no 1º trimestre de 2008, com 26,98%.

A mediana do ROE entre os 3º trimestres de 2021 e de 2020 teve crescimento de 4 pontos porcentuais, e de 0,07 ponto porcentual com relação ao 2º trimestre de 2021.

O Santander tem o melhor registro no 3º trimestre de 2021, com 19,2%, o Itaú Unibanco é o segundo colocado, com 18,1%. O Bradesco é o terceiro, com 17,1%, ?e o Banco do Brasil é o quarto, com 14,1%.

Sobre o autor
Regina Pitoscia
Editora do Portal Mais Retorno.
Mais sobre
SG&A

SG&A

O que é SG&A? SG&A é uma abreviação para Selling General & Administrative Expense. Em tradução livre para o Português, o termo significa despesas administrativas de...

  CONTINUAR LENDO