Empresa

As ações da Equatorial Energia vivem um dia de queda na Bolsa de Valores nesta sexta-feira, 3, depois da companhia anunciar, por meio de fato relevante, que venceu a disputa pela concessão de saneamento básico no estado do Amapá, realizada na véspera. Às 12h50, os papéis da companhia recuavam 3,04% na B3, negociados a R$ 25,23.

foto: Reprodução ações da equatorial
Ações da Equatorial vivem dia de baixa | Foto: Unidade da Equatorial Energia no Pará

De acordo com o documento apresentado pela empresa, a oferta da Equatorial foi de uma outorga, que será destinada aos municípios, de R$ 930 milhões e um desconto de 20% na tarifa dos usuários. Além deste valor, a companhia deve desembolsar, também, R$ 880 milhões, já que o edital do leilão exigia que o vencedor terá de pagar, ainda, um valor adicional ao governo estadual, equivalente ao ágio oferecido.

O valor total do negócio ficou em R$ 1,8 bilhão. Com a conquista, a empresa assume um contrato de 35 anos e tem previsto um investimento de R$ 3 bilhões nas 16 cidades amapaenses em que vai desenvolver o serviço - 90% da população total do estado.

Esta é a segunda vitória da Equatorial no Amapá em termos de operações importantes. Em julho deste ano, a empresa venceu o leilão de privatização Companhia de Eletricidade do Amapá (CEA), a distribuidora de energia do Estado.

A companhia já vinha tentando entrar no segmento de saneamento básico há algum tempo, com participação em disputas em Alagoas, Rio de Janeiro e Cariacica, no Espírito Santo, por exemplo, mas nenhuma com sucesso.

O presidente da Equatorial, Augusto Miranda, afirmou que a companhia está "estudando a fundo os leilões. A Equatorial está bem capitalizada, tem crédito no mercado, isso realmente nos permite tocar esse ativo e entregar a qualidade que a gente quer."

Ainda por meio de fato relevante, o grupo explica que "a concessão marca a entrada da Companhia no segmento de saneamento e representa um importante passo na estratégia de crescimento do grupo no setor de infraestrutura, sempre buscando disciplina na alocação do capital."

"A entrada em saneamento, a semelhança do segmento de distribuição de energia, permite mais uma vez avançar em um setor de impacto social positivo e, desta forma, contribuir para a melhoria da qualidade de vida de nossos clientes, agora por meio da agenda de universalização do saneamento básico no país", ressalta o documento.

Imagem do autor

Repórter na Mais Retorno

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Veja mais Ver mais