Logo Mais Retorno
Renda Variável

Confira 10 ações que pagam dividendos acima da Selic

Companhias do setor elétrico, construção civil, financeiro, agronegócio e siderurgia estão entre os destaques

Data de publicação:14/12/2021 às 05:00 -
Atualizado 5 meses atrás
Compartilhe:
  • Facebook
  • Linkedin
  • Twitter Mais Retorno
  • Telegram Mais Retorno
  • WhatsApp Mais Retorno
  • Email Mais Retorno

A elevação da Selic a 9,25% ao ano pelo Copom, do Banco Central, na semana passada não tirou o brilho das empresas consideradas boas pagadoras de dividendos. Algumas delas conseguem superar a taxa básica de juros somente com a distribuição dos proventos, e podem ser opções interessantes para quem busca um pouco mais de segurança e estabilidade na renda variável.

O relatório da XP sobre o assunto, assinado por Fernando Ferreira, estrategista chefe de head de Research, Jennie Li, estrategista de ações, e Rebecca Nossig, analista de estratégia de ações, traz algumas apostas. Entre elas, companhias dos setores de construção civil, financeiro, siderurgia, energia e agronegócio.

 Conheça 10 ações que pagam dividendos acima dos juros brasileiros
Entre as empresas que pagam dividendos acima da Selic estão companhias do setor elétrico, construção civil, financeiro, siderurgia e agronegócio - Foto: Reprodução

Os estrategistas reforçam que em momentos de crise como o atual, o investidor deve ter cautela, com um controle maior de exposição a risco e diversificação.

Porém, de acordo com os especialistas, é possível olhar para esse cenário, que inclui flexibilização do teto de gastos, inflação mais alta e juros subindo, como oportunidade para fazer bons investimentos a preços atrativos.

Os rendimentos de dividendos acima da taxa de juros para algumas empresas são vistos como uma boa alternativa, segundo os estrategistas, pois os investidores possuem uma “garantia” de retorno, além de possíveis ganhos com a performance da ação.

“Ou seja, além da possibilidade de ganho de capital, o investidor conta também com uma rentabilidade adicional na forma de proventos”, reforça a XP.

Impactos da alta de juros na Bolsa

O ajuste de 1,5 p.p na Selic para 9,25% ao ano na semana passada foi o sétimo no ano feito pelo Copom. E para a próxima reunião, em fevereiro de 2022, a indicação é de mais uma alta nesse patamar.

Esse movimento tem impacto relevante na Bolsa, e, segundo Ferreira, não adianta “dourar a pílula”. “A Bolsa brasileira, apesar de seguir com baixos múltiplos e com histórias ‘micro’ das empresas muito sólidas, ficou refém desse forte aumento de juros de mercado que observamos este ano”.

De acordo com a XP, o aumento dos juros impacta a Bolsa de forma significativa em quatro aspectos: aumenta o custo de vida das empresas, eleva o custo de capital, compete com a renda fixa e reduz a demanda de consumo.

As ações escolhidas pela XP

EmpresaTickerRecomendaçãoPreço-alvo*Dividend yield 2022**
Plano & PlanoPLPL3Compra10,0013,8%
Banco do BrasilBBSA3Compra 52,0013,2%
Engie BrasilEGIE3Neutro49,0011,1%
UsiminasUSIM5 Neutro 15,4911,1%
BradescoBBDC4Neutro 26,0010,5%
BrasilAgroAGRO3 Compra 32,8010,3%
TaesaTAEE11 Neutro 38,0010,1%
Itaú UnibancoITUB4 Neutro 28,009,8%
Santander Brasil SANB11Venda36,009,8%
EvenEVEN3Neutro13,009,6%
Fonte: Bloomberg, XP Investimentos
*Preço-alvo para 2022
**Fechamento de 07/12/2021

Saiba mais sobre esses papéis

Conheça detalhes das empresas que têm tradição na distribuição de dividendos atraentes.

Plano e Plano (PLPL3)
Construção civil

Focada no segmento de baixa renda, a construtora já pagou cerca de R$ 40 milhões em dividendos neste ano e deve continuar nessa tendência de crescimento em 2022, segundo a XP. No período de nove meses de 2021, a empresa registrou um aumento de 70% em suas vendas líquidas sobre o mesmo período do ano anterior, somando R$ 1 bilhão.

“Nossa estimativa é de um dividend yield de 13,8%, explicado também pelo preço ativo das ações que estão negociando a um múltiplo de 3,3x para 2022”, destacam os estrategistas da XP.

Banco do Brasil (BBSA)
Setor financeiro

Segundo o relatório da casa de análises, o banco combina alguns fatores favoráveis, como preço atrativo, índice de cobertura confortável em 323% e frente digital competitiva.

“Acreditamos que a distribuição de dividendos do banco deve se tornar relevante, pois o banco deve aumentar seu payout em um cenário de maior capitalização e recuperação de lucros. Estimamos um payout de 60% em 2022 e dividend yield de 13,2%”, apostam os especialistas.

Usiminas (USIM5)
Siderurgia

Os bons resultados obtidos pela siderúrgica também foram puxados pelo segmento de mineração, apesar da forte queda do minério de ferro no segundo semestre. “Acreditamos que a companhia distribuirá dividendos robustos no ano que vem. Esperamos um dividend yield de 11,1% para a Usiminas em 2022”, ressalta a XP.

Engie (EGIE3)
Energia elétrica

Segundo a casa de análises, a Engie Brasil se destaca por sua capacidade diferenciada de se proteger de efeitos hidrológicos adversos, somada à sua diversificação de portfólio, com sua entrada nos setores de transmissão de energia e transporte de gás.

“A administração da companhia tem um compromisso de payout mínimo de 55% do lucro líquido ajustado. Entretanto, esse número tem se apresentado superior”, destaca a XP.

Na visão dos estrategistas, o cenário hidrológico deve se manter menos preocupante, contribuindo para um payout elevado da empresa, com um dividend yield estimado de 11,1% para o próximo ano.

Bradesco (BBDC4)
Financeiro

A combinação de uma fonte diversificada de receitas – incluindo a seguradora Bradesco Seguros – a terceira maior carteira de crédito, maior espaço para corte de custos e sinergia entre seus negócios reforçam as apostas da XP para a distribuição de proventos parrudos pelo Bradesco.

“Embora o banco tenha mostrado esforços em iniciativas como o banco Next, com a corretora Ágora e a Cielo, acreditamos que não haja claras oportunidades para o banco empregar grandes quantidades de capital incremental com taxas de retornos altas, tornando atrativa a distribuição de dividendos”, analisam os estrategistas.

Para 2022, a XP estima um payout de 75% para o Bradesco e um dividend yield de 10,5%.

BrasilAgro (AGRO3)
Agronegócio

Considerada a principal aposta da XP no setor de grãos, a BrasilAgro possui um balanço sólido que deve se traduzir em maiores dividendos. Somente para 2021, a empresa já anunciou R$ 260 milhões em proventos, com um dividend yield de 10,3%.

“Dado que apenas 42% do banco de terras da empresa está desenvolvido, suas produtividades são muito mais baixas do que a referência de mercado. Portanto, melhorias são esperadas e podem compensar os preços mais baixos dos grãos, enquanto outras commodities permanecem em níveis elevados”, avaliam.

Taesa (TAEE11)
Energia elétrica

De acordo com o estatuto social da companhia, o dividendo anual mínimo distribuído é de 50% do lucro líquido ajustado do exercício. Entretanto, segundo a casa, a companhia tem apresentado um histórico de pagamento de dividendos bem acima da remuneração mínima.

“Vemos a posição da Taesa como confortável para manter a distribuição de 100% de payout. Estimamos um dividend yield de 10,1% para a empresa no próximo ano”, prevê.

Itaú Unibanco (ITUB4)
Financeiro

Investimentos de qualidade e payout acima da média do setor. Unindo esses dois fatores, o Itaú promete entregar bons proventos em 2022. A estimativa de payout da XP para a o banco é de 80% para 2022 e dividend yield de 9,8%.

“Enquanto não haja boas oportunidades para o banco empregar grandes quantidades de capital incremental com taxas de retorno altas, a distribuição de dividendos pode ser uma alternativa atrativa”, apontam.

Santander (SANB11)
Financeiro

Apesar de o banco apresentar menor diversificação de receita entre os concorrentes, a alta exposição ao crédito de varejo e níveis de inadimplência abaixo da média reforçam a capacidade de dividendos gordos para o próximo ano. O payout projetado pela XP é de 75% no próximo ano e dividend yield de 9,8%.

Even (EVEN3)
Construção civil

Focada no segmento de média e alta renda, a Even deve desembolsar, aproximadamente, R$ 200 milhões em dividendos em 2022, segundo as estimativas da XP, o que levaria a um dividend yield de 9,6%.

“A empresa vem mantendo um ritmo sólido de crescimento, apesar dos desafios da pandemia, atingindo R$ 1,2 bilhão em vendas líquidas nos nove meses de 2021, anta de 17% ante o mesmo período de 2020”.

O que você precisa saber sobre dividendos

O que são?
Dividendos são uma parte do lucro de uma determinada empresa que é distribuído aos seus acionistas. De acordo com a Lei das S.A, as empresas de capital aberto têm que pagar, no mínimo, 25% de seus lucros aos acionistas.

Diferença entre dividendos e Juros sobre Capital Próprio (JCP)
O JCP é tributado em 15% pela Receita Federal na data do depósito, enquanto dividendos são isentos de tributação. Na reforma tributária, uma das questões em discussão é a possibilidade de mudar esse quadro, com a cobrança de um imposto na casa dos 20%.

Prazo para pagamento
A periodicidade varia de empresa para empresa, podendo ser mensal, trimestral ou anual.

Sobre o autor
Julia Zillig
Repórter do Portal Mais Retorno.