Logo Mais Retorno
Fundos de Investimentos

SVN lança fundo de fundos na renda variável, mas com volatilidade menor

Fundo SVN FoF Long Biased FIM não tem come-cotas e permite acesso a grandes fundos

Data de publicação:23/05/2022 às 00:30 -
Atualizado um mês atrás
Compartilhe:
  • Facebook
  • Linkedin
  • Twitter Mais Retorno
  • Telegram Mais Retorno
  • WhatsApp Mais Retorno
  • Email Mais Retorno

A SVN Gestão está lançando o fundo SVN FoF Long Biased FIM, um fundo de fundos (FoF) que tem como objetivo buscar rentabilidade mais atraente da renda variável, mas com volatilidade menor.

Para entregar esse retorno, o FoF da SVN tem como característica ser long biased, ou seja, quando a Bolsa sobe e proporciona retornos mais parrudos, o produto capta essa movimentação. Porém, se houver queda do Ibovespa, consegue proteger o patrimônio e cair menos, segundo Leonardo Morales, gestor do fundo.

SVN Investimentos
SVN traz ao mercado um FoF que busca rentabilidade de renda variável com volatilidade menor - Foto: Envato

A criação do novo FoF, de acordo com Morales, que tem mais de 25 anos de mercado e passagens pelo Itaú BBA, Santander Asset e family office do banqueiro Roberto Safra, acontece em um momento em que os fundos long biased vêm caindo mais do que o Ibovespa.

“Por isso o nosso trabalho de fazer a seleção de fundos que são realmente long baised, e que permita ter proximidade de rentabilidade nas altas da Bolsa, mas consegue reduzir a volatilidade por conta da descorrelação dos fundos que a gente vai ter na carteira”.

Leonardo Morales, da SVN Gestão

Para Morales, quanto mais os fundos estiverem descorrelacionados, maior será a sinergia entre volatilidade e retorno.

Entre os fundos que integram a carteira estão atrelados a uma diversidade de ativos, com diversificação regional – ações brasileiras, BDRs, papeis internacionais, entre outros.

De acordo com Bruno Bariotto Pellicano, ex-family office do Safra que integra a equipe de gestão do novo FoF, o que muda entre os ativos é o porcentual investido neles.

Fazem parte ainda do time de gestão do novo fundo Rafael Peixoto, ex-family office do Safra, e Rafael Assad, ex-JPMorgan.

O benchmark do fundo é a inflação mais juro real, ou seja, IPCA mais IMAB 5+.

Baixa volatilidade

O FoF da SVN chega ao mercado em um momento no qual a aversão ao risco tem despertado preocupação em quem investe em renda variável, por conta dos reflexos de fatores como eleições, ciclo monetário apertado nos Estados Unidos, guerra na Ucrânia, inflação em alta global, entre outros fatores.

“O fundo pode atender o investidor que quer ter experiência em renda variável, mas está preocupado com a volatilidade recente”, aponta Leonardo Morales.

Características do FoF da SVN

Público-alvoInvestidores em geral
EstratégiaLong Biased
BenchmarkIPCA + IMA-B 5+
Volatilidade alvoInferior a do Ibovespa
Tributação15% (renda variável)
Taxa de administração0,80% ao ano
Taxa de performance10% do retorno acima do benchmark
Aplicação mínimaa partir de R$ 100
Fonte: SVN Investimentos

Investimento em outros fundos

Os FoFs são fundos que, ao invés de investir diretamente em ativos finais, aplicam nas cotas de outros fundos, com o objetivo de oferecer, por meio de um único instrumento, acesso a estratégias vantajosas do ponto de vista de risco e retorno para os investidores.

Morales aponta que um dos fatores determinantes para o sucesso do FoF da SVN está no conhecimento dentro de outras gestoras.

“Muitos gestores já trabalharam comigo, o que facilita o conhecimento e a troca de informações. Nós montamos uma estrutura que permite saber se o gestor está mais alocado em commodities, em papeis que estão se beneficiando da rotatividade de ativos e que traz uma visão ampla, incluindo internacional”, ressalta o gestor do fundo.

Leonardo Morales, em live de lançamento do novo fundo

Pontos altos do FoF da SVN

De acordo com a SVN, o novo fundo de fundos da casa traz alguns benefícios para os investidores. Entre os mais relevantes estão acesso a fundos que possuem aporte inicial mais elevado, com aplicação menor, a fundos destinados somente a investidores qualificados e profissionais, entre outros.

Entre as vantagens fiscais estão o rebalanceamento da carteira sem a geração de recolhimento de IR. “Como estão dentro do fundo, os resgates não são tributáveis”, enfatiza Pellicano.

Outros pontos a destacar são a ausência do come-cotas e a tributação de 15% sobre os ganhos de capital, semelhante à regra aplicada para os fundos de ações.

Segundo uma simulação feita pela SVN, o rendimento do fundo sem o come-cotas é relevante, e quanto maior o prazo, maior a diferença. Confira abaixo para investimento de R$ 1 milhão:

StatusCom come-cotasSem come-cotasDiferença de rendimento
Posição do fundo em 5 anosR$ 1.515.846,41R$ 1.611.124,11R$ 95.277,70
Posição do fundo em 10 anosR$ 2.494.320,25R$2.853.116,71R$ 358.796,46
Fonte: SVN Investimentos

Pellicano outro detalhe que vai reforçar o retorno ao investidor é a taxa de administração do fundo, que terá o rebate direcionado para o próprio fundo. “Além de ter um acesso mais amplo a diversos fundos, o custo do fundo também é menor. Devolvemos para o cliente o rebate”.

Metodologia de escolha dos fundos do FoF

De acordo com Pellicano, a metodologia de análise dos fundos que compõem o FoF da SVN é feita sob as abordagens quantitativa e qualitativa.

Na parte quantitativa, são levados em conta aspectos como classificação, alocação, rebalanceamento, análise de mercado, entre outros.

“Não existe regra para o rebalanceamento. Nós fazemos o acompanhamento do mercado. E é por meio da classificação que escolhemos o peso de cada fundo”, diz o especialista.

Bruno Bariotto Pellicano

De acordo com Morales, “o porcentual de alocação de cada fundo, diante da combinação deles, vai trazer o retorno máximo ao menor risco possível”.

Na visão qualitativa, a SVN avalia itens como idoneidade dos sócios, estrutura de atendimento, capacidade econômica e financeira da gestora, compliance, ética e aderência aos controles de riscos dos fundos geridos.

Captação

Na fase de lançamento, o novo FoF da SVN estará disponível somente para os clientes da gestora. Segundo Pellicano, os sócios da casa estão entrando com investimentos no fundo, cujo total deve beirar os R$ 30 milhões.

A meta de captação do fundo é de R$ 200 milhões até o fim de 2022 e de R$ 1 bilhão até o fim de 2024.

Sobre o autor
Julia Zillig
Repórter do Portal Mais Retorno.