Logo Mais Retorno
Mercado Financeiro

Mercado ao vivo: confira a Bolsa e o dólar nesta segunda-feira, 25

Investidores acompanham aumento de casos de covid-19 na China, balanços trimestrais no mundo e guerra na Ucrânia

Data de publicação:25/04/2022 às 10:54 -
Atualizado um mês atrás
Compartilhe:
  • Facebook
  • Linkedin
  • Twitter Mais Retorno
  • Telegram Mais Retorno
  • WhatsApp Mais Retorno
  • Email Mais Retorno

A Bolsa de Valores começa a semana operando em forte queda, acompanhando o comportamento dos mercados internacionais, que têm forte aversão ao risco. Às 14h29 desta segunda-feira, 25, o Ibovespa recuava 1,05%, aos 109.915 pontos, e o dólar disparava 2,41%, cotado a R$ 4,898.

Os investidores estão mais receosos por conta do aumento de casos de covid-19 na China, o que pode ocasionar uma ampliação das medidas de isolamento social no país, e, por consequência, afetar ainda mais o desempenho da economia global.

Mercado ao vivo: confira a Bolsa e o dólar nesta segunda-feira, 25
Possível ampliação do lockdown na China por conta do aumento dos casos de covid-19 deixa os mercados em estado de alerta - Foto: Reprodução

Somam-se a isso ainda os riscos geopolíticos, com a continuidade da guerra na Ucrânia. O secretário de Estado dos Estados Unidos, Antony Blinken, e o secretário de Defesa, Lloyd Austin, desembarcaram em Kiev para participar de conversas sobre o conflito com a Rússia.

No universo das commodities, o petróleo e o minério de ferro operam em forte queda no exterior. Às 12h31, o petróleo tipo Brent derretia 6,40%, cujo barril estava cotado em US$ 99,36. Já o tipo WTI recuava 6,49%, a US$ 95,47.

Esse recuo impacta diretamente na baixa de mais de 3% das ações da Vale e dos papéis preferenciais da Petrobras, duas gigantes que têm forte peso na cesta de ativos do Ibovespa e contribuem para a desaceleração forte do índice.

No âmbito microeconômico mundial, a temporada de balanços trimestrais nos Estados Unidos segue em curso, com a divulgação de resultados da Coca-Cola, Alphabet (Google), GM, Microsoft, Boeing, Meta, Paypal, Twitter, Unilever, Amazon, Apple, entre outras.

Na agenda macroeconômica estão previstos a publicação de dados como o estoque de varejo de março, PCE e PIB dos EUA do primeiro trimestre de 2022, produção industrial do Japão e índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) da zona do euro.

Bolsas americanas/principais índices

  • S&P 500: -1,40%
  • Dow Jones: -1,19%
  • Nasdaq 100: -0,47% (dados atualizados às 12h33)

Bolsas europeias/fechamento

  • Stoxx 600 (Europa): -1,76% (445,32 pontos)
  • DAX (Frankfurt): -1,59% (13.917 pontos)
  • FTSE 100 (Londres): -1,89% (7.379 pontos)
  • CAC 40 (Paris): -1,97% (6.449 pontos)

Brasil: suspensão da greve dos servidores do BC e balanços

No ambiente interno, os investidores acompanham a suspensão da greve dos servidores do Banco Central. A autoridade monetária divulgará os indicadores atrasados nesta semana, como o relatório de poupança nesta segunda-feira, às 15h, e o Boletim Focus nesta terça-feira, 26.

A agenda da semana tem ainda o IPCA-15 de abril, IGP-M de abril, Caged de março, Pnad Contínua de março e definição da bandeira tarifária de energia elétrica para março.

No noticiário corporativo, o destaque fica por conta do início oficial da temporada de resultados do primeiro trimestre de 2022, com números do Santander, Vale, Romi, Weg, Vamos, Dexco, Embraer, Gol, Hypera, Multiplan, entre outros.

Sobe e desce da Bolsa

Maiores altas

Petz (PETZ3)+2,07%
Ambev (ABEV3)+1,76%
Hapvida (HAPV3)+1,68%
Raia Drogasil (RADL3)+0,84%
Locaweb (LWSA3)+0,89%

Maiores baixas

BRF (BRFS3)-4,07%
CSN (CSNA3)-4,04%
Gerdau (GGBR4)-3,96%
Gol (GOLL4)-3,57%
Azul (AZUL4)-3,25%
Fonte: B3 (dados atualizados às 12h38)

Juros futuros

Os juros futuros operam mistos nesta segunda-feira. Por volta das 12h20, a taxa do contrato de depósito interfinanceiro (DI) para janeiro de 2027 subia para 12,03%, de 11,97%, e o para janeiro de 2025 avançava para 12,19%, de 12,11% na abertura do dia. O DI para janeiro de 2023 estava em 13,02%, de 13,07% no fechamento anterior.

Mercado internacional

Bolsa de Xangai leva tombo de mais de 5% com lockdown na China

As bolsas asiáticas fecharam em baixa nesta segunda-feira, 25, com as perdas lideradas pelos mercados da China, que sofreram um tombo em meio a preocupações renovadas com o impacto da atual onda de covid-19 na segunda maior economia do mundo.

A perspectiva de aumentos de juros mais agressivos nos EUA, que derrubou Wall Street na semana passada, também comprometeu o sentimento na Ásia.

Em Pequim, a capital chinesa, foram registrados 22 novos casos de covid-19 no domingo, 24, o maior número deste ano. Já em Xangai, ocorreram 39 mortes pela doença no sábado, 23, número mais de três vezes maior do que o dia anterior.

Os sinais de piora da pandemia intensificaram temores sobre a desaceleração da China, que já ficaram evidentes em março. / com Agência Estado

Fechamento

  • Xangai Composto (China continental): -5,13% (2.928 pontos)
  • Shenzhen Composto (China continental): -6,48% (1.790 pontos)
  • Nikkei (Tóquio): -1,90% (26.590 pontos)
  • Hang Seng (Hong Kong): -3,73% (19.869 pontos)
  • Kospi (Seul): -1,76% (2.657 pontos)
  • Taiex (Taiwan): -2,37% (16.620 pontos)
  • S&P/ASX 200 (Sydney): não operou/feriado nacional na Austrália
Sobre o autor
Julia Zillig
Repórter do Portal Mais Retorno.