Logo Mais Retorno
Mercado Financeiro

Mercado ao vivo: confira a Bolsa e o dólar nesta segunda-feira, 9 de maio

Aperto monetário americano, inflação, desaceleração da China, guerra na Ucrânia e juros no Brasil estão na pauta dos investidores

Data de publicação:09/05/2022 às 11:18 -
Atualizado 15 dias atrás
Compartilhe:
  • Facebook
  • Linkedin
  • Twitter Mais Retorno
  • Telegram Mais Retorno
  • WhatsApp Mais Retorno
  • Email Mais Retorno

O mercado acionário começa a semana pesado e com dificuldades para reagir. No Brasil, a Bolsa opera em queda de 1,69%, aos 103.360 mil pontos. O dólar avança 1,3%, cotado a R$ 5,141.

As bolsas de Nova York iniciaram o primeiro pregão da semana no vermelho também, com investidores preocupados com o impacto do aperto financeiro nos Estados Unidos, o que reflete tanto nos segmento de ações quanto no de renda fixa.

Bolsa
Aperto monetário do Fed segue no radar dos investidores e causa aversão ao risco nos mercados mundiais, incluindo o Brasil - Foto: Reprodução

O foco da semana é a divulgação do índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) dos EUA no mês de abril, na quarta-feira, 11, em um cenário de elevada inflação na maior economia do mundo.

Somam-se a esses fatores também os sinais de desaceleração da economia chinesa e a continuidade da guerra na Ucrânia.

Bolsas americanas/principais índices

  • S&P 500: -2,08%
  • Dow Jones: -1,33%
  • Nasdaq 100: -2,60% (dados atualizados às 13h09)

Bolsas europeias/fechamento

  • Stoxx 600 (Europa): -2,90% (417,46 pontos)
  • DAX (Frankfurt): -2,15% (13.380 pontos)
  • FTSE 100 (Londres): -2,32% (7.216 pontos)
  • CAC 40 (Paris): -2,75% (6.086 pontos)

Brasil: commodities e dados econômicos na agenda da semana

Internamente, no âmbito dos papeis, as ações da Vale e Petrobras refletem o forte recuo no preço do minério de ferro, que desaba em Singapura, e do petróleo, o que ajuda no mau humor da Bolsa. Por volta das 12h50, as ações da mineradora e da petroleira despencavam mais de 3%.

A queda do Ibovespa ainda é impulsionada pela forte retração dos papeis do varejo. Por volta das 12h50, Via, Americanas (AMER3), Lojas Renner e Magazine Luiza caíam 2,89%, 5,59%%, 1,90% e 7,67%, na sequência, no mesmo horário.

Na agenda econômica da semana, os investidores monitoram a divulgação da ata da última reunião do Copom nesta terça-feira, 10, assim como dados sobre o desempenho do varejo de abril.

Na quarta-feira, 11, o mercado toma conhecimento do IPCA de abril, cuja expectativa é de desaceleração para 1,0%, porém mantendo-se em patamar elevado, segundo os analistas. E na quinta-feira, 12, o IBGE divulga os números referentes ao setor de serviços.

Sobe e desce da Bolsa

Maiores altas

Engie (EGIE3) +2,21%
BTG Pactual (BPAC11)+2,10%
Ambev (ABEV3)+1,77%
Cemig (CMIG4)+1,77%
Bradesco (BBDC4)+1,16%

Maiores baixas

Locaweb (LWSA3) -6,98%
Petz (PETZ3)-6,65%
Totvs (TOTS3)-6,75%
3R Petroleum (RRRP3)-6,30%
Magazine Luiza (MGLU3)-7.67%
Fonte: B3 (dados atualizados às 13h13)

Juros futuros

Após ter subido na sessão anterior, os juros futuros voltam a engatar um movimento de alta na nesta segunda-feira, acompanhando a valorização de mais de 1% do dólar à vista ante o real e o avanço dos juros dos Treasuries mais longos.

Às 13h, a taxa do contrato de depósito interfinanceiro (DI) para janeiro de 2027 subia a 12,39%, de 12,38% no fechamento anterior. O DI para janeiro de 2025 ia para 12,55%, de 12,54%, e o para janeiro de 2023 estava em 13,39% de 13,38%.

Exterior: Ásia fecha em queda com dados chineses

As bolsas da Ásia e do Pacífico fecharam majoritariamente em baixa nesta segunda-feira, após dados mostrarem que o avanço das exportações chinesas atingiu o menor nível em quase dois anos, reforçando temores sobre a perspectiva da economia global.

Em abril, as exportações da China tiveram expansão anual de 3,9%, em linha com as expectativas, mas bem menor do que o ganho de 14,7% visto em março, em mais um indício de que a política de tolerância zero de Pequim contra a covid-19 segue causando forte desaceleração da segunda maior economia do mundo.

Na China continental, os mercados tiveram ganhos modestos hoje: o Xangai Composto subiu apenas 0,09%, a 3.004,14 pontos, e o menos abrangente Shenzhen Composto avançou 0,35%, a 1.865,92 pontos.

Em outras partes da região asiática, no entanto, o dia foi negativo. O japonês Nikkei teve queda de 2,53% em Tóquio, a 26.319,34 pontos, enquanto o sul-coreano Kospi recuou 1,27% em Seul, a 2.610,81 pontos, e o Taiex registrou baixa de 2,19% em Taiwan, a 16.048,92 pontos. Em Hong Kong, a bolsa não operou nesta segunda devido a um feriado local.

Na Oceania, a bolsa australiana seguiu a maioria das asiáticas, e o S&P/ASX 200 caiu 1,18% em Sydney, a 7.120,60 pontos, terminando o pregão no menor patamar desde meados de março. / com Agência Estado

Leia mais

Vale: ação na posição vendida permite arbitragem com outras ações (maisretorno.com)
Aperto monetário do Fed impulsiona valorização do dólar em maio (maisretorno.com)
Emergentes: as economias terão nova década perdida? (maisretorno.com)
Juro elevado e risco de inadimplência faz fintechs despencarem na Bolsa (maisretorno.com)
Recuo de commodities deve frear o PIB em 2023, segundo economistas (maisretorno.com)

Sobre o autor
Julia Zillig
Repórter do Portal Mais Retorno.