Logo Mais Retorno
Empresa

Começa hoje a divulgação de balanços das gigantes internacionais do 4tri; o que esperar?

Mercado espera uma nova boa safra de números para os bancos e algumas big techs

Data de publicação:13/01/2022 às 00:30 -
Atualizado 6 meses atrás
Compartilhe:
  • Facebook
  • Linkedin
  • Twitter Mais Retorno
  • Telegram Mais Retorno
  • WhatsApp Mais Retorno
  • Email Mais Retorno

Nesta quinta-feira, 13, tem início a temporada de divulgação dos balanços corporativos das gigantes internacionais referentes ao desempenho do 4º trimestre do ano passado.

Tradicionalmente, o mercado lá fora dá o pontapé inicial na publicação desses números, que, especialmente são aguardados pelos investidores, pois também devem trazer os números consolidados de 2021. Mas o que esperar desses balanços? Analistas opinam.

balanços das gigantes internacionais
Perspectiva de alta dos juros e avanço da ômicron podem ter afetado os balanços das gigantes internacionais - Foto: Reprodução

Normalmente, quem dá a largada nessa apresentação de resultados são os grandes bancos, como o JP Morgan, Wells Fargo, Citigroup, Goldman Sachs, entre outros. O JP Morgan puxa a fila já nesta sexta-feira, 14. A partir daí, seguem as divulgações de empresas do setor de tecnologia, com a Microsoft trazendo seus números no dia 26 deste mês. E demais companhias gigantes do setor de consumo, comunicação, entre outros.

O que esperar dos balanços das gigantes internacionais?

Para os analistas do mercado, a expectativa é mista em relação aos números do quarto trimestre de 2021 e aos balanços anuais das gigantes internacionais. Segundo Everton Medeiros, especialista da Valor Investimentos, há fatores como o posicionamento do Federal Reserve (Fed, o banco central americano) sobre a elevação da taxa de juros do país, assim como o avanço da variante ômicron, que podem ter ajudado a "esfriar" um pouco os bons resultados do trimestre.

Big techs

No entanto, mesmo assim Medeiros ainda tende a apostar mais no lado positivo, principalmente em relação aos números das big techs. "Ao longo do fim de ano, a inovação pautou o cenário das big techs com o metaverso ganhando espaço na pauta das empresas, incentivadas pelo Facebook".

Outro aspecto apontado pelo especialista é a valorização do dólar, que seguiu em alta praticamente boa parte do ano. "As big techs são exportadoras de produtos e serviços e a apreciação da moeda americana ajuda na geração de receitas", reforça.

Bancos

Para Virgilio Lage, também especialista da casa de análises, os balanços das grandes corporações financeiras devem vir com números interessantes. Porém, ele chama a atenção para a precificação de um risco sistêmico por conta de um possível calote das empresas em dificuldades, o que pode alterar o caixa dos bancos.

"Quando as taxas de juros estavam mais baixas no mundo todo, os bancos centrais as mantiveram em patamares mais reduzidos para incentivar o consumo, a tomada de empréstimos e não ferir tanto a economia. Ao longo da pandemia, algumas empresas pegaram dinheiro emprestado e conseguiram se reerguer. Por outro lado, há aquelas que não se reestruturaram novamente. Se várias delas deixarem de pagar seus empréstimos, isso pode gerar um resultado menos expressivo para os bancos", analisa.

Lage diz que os bancos já estão preparados para isso, diversificando seus investimentos em outras áreas, em outros produtos financeiros e adotando provisões. "Se esse cenário de risco sistêmico não ocorrer, sobra bastante caixa para investimento".

Saúde

Em relação ao setor de saúde, Medeiros considera que os números não devem vir tão aquecidos quanto no trimestre anterior, assim como na época da pandemia - que foi o auge dos bons resultados dessas empresas - por conta do desenvolvimento de medicamentos e vacinas já ter alcançado seu ponto mais alto.

Calendário de divulgação dos resultados das BDRs de janeiro de 2021

Em um relatório assinado pelos analistas internacionais Vinicius Araujo e Rafael Nobre, e por Jennie Li, estrategista de ações, a XP Investimentos consolidou as datas de divulgação dos BDRs mais líquidos e que pertencem ao S&P 500, índice das maiores empresas dos Estados Unidos, além de outras gigantes estrangeiras, como Alibaba e Mercado Livre.

EmpresaTicker BDR Ticker EUASetor Data/janeiro
TSMCTSMC34TSM Tecnologia13
JP Morgan ChaseJPMC34JPM Financeiro14
Wells FargoWFCO34WFC Financeiro14
CitigroupCTGP34CFinanceiro14
Goldman SachsGSGI34GSFinanceiro18
ASMLASML34ASML Tecnologia19
UnitedHealthUNHH34UNH Saúde19
Procter & GamblePGCO34 PG Bens de Consumo19
Bank of America (BofA)BOAC34BACFinanceiro19
American AirlinesAALL34AAL Consumo Discricionário20
NetflixNFLX34NFLX Comunicação20
ModernaM1RN34MRNASaúde25
General ElectricGEOO34GE Industrial25
Texas InstrumentsTEXA34TXNTecnologia25
Johnson & JohnsonJNJB34JNJ Saúde25
Verizon CommunicationsVERZ34VZComunicação25
MicrosoftMSFT34MSFTTecnologia26
Freeport-Mc-MoRanFCXO34FCX Materiais26
AT&TATTB34TComunicação26
Advanced Micro DevicesA1MD34AMDTecnologia26
IntelITLC34INTCTecnologia 26
AtlassianT1AM34TEAMTecnologia 27
TeslaTSLA34TSLAConsumo Discricionário 27
ComcastCMCS34CMCSA Comunicação 27
Northrop GrummanNOCG34NOC Industrial 27
McDonald'sMCDC34MCD Consumo Discricionário 27
Tractor Supply CoT1SC34TSCO Consumo Discricionário 27
AppleAAPL34AAPL Tecnologia 27
United States SteelUSSX34X Materiais 28
Visa VISA34V Financeiro 28
MastercardMSCD34MA Financeiro 28
ChevronCHVX34CVXEnergia28
Honeywell InternationalHONB34HON Industrial 28
Fonte: XP

O que são e como investir em BDRs?

BDR é a sigla para Brazilian Depositary Receipt, ou Recibo Depositário Brasileiro. Isto é, um certificado de depósito que é emitido aqui no País, mas tem como representação as ações de empresas internacionais que disponibilizam suas ações para este fim.

Esse tipo de investimento surgiu através dos American Depositary Receipts (ADR), criados nos Estados Unidos nos anos 20 no intuito de beneficiar investidores americanos que buscavam investimentos no exterior. A partir de então, outras bolsas passaram a desenvolver o mesmo produto e ofertar a seus investidores.

Um ponto interessante sobre os BDRs, é que até outubro de 2020 somente quem possuía mais de 1 milhão de reais investidos poderiam negociar estes papéis. No entanto, o investimento foi liberado após as novas regras da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) que liberou o acesso a todos, com os papéis negociados na Bolsa de Valores, a B3..

É considerado a maneira mais simples de se investir no exterior, já que você não precisa abrir uma nova conta em uma corretora, nem mesmo fazer suas compras em dólares. No entanto, também possui suas desvantagens que você conhecerá a seguir.

Para investir em BDR basta você acessar o site ou aplicativo da sua corretora de valores brasileira (ou abrir uma conta em uma corretora de valores) e comprar os ativos, da mesma forma que compraria ações de empresas no Brasil.

Vantagens dos BDRs

  • Simplicidade, já que não precisa abrir conta em uma corretora americana;
  • Pode investir com taxa 0 de corretagem (muitas corretoras no brasil já oferecem);
  • Operações feitas em reais;
  • Não tem spread cambial;
  • Você ganha tanto na valorização do ativo quanto no câmbio;
  • Não tem IOF.

Desvantagens dos BDRs

  • Você não compra ações diretamente da empresa;
  • Há uma quantidade limitada de empresas disponíveis;
  • O seu dinheiro se mantém aqui no Brasil;
  • Você precisa de intermediários para investir;
  • Imposto de Renda de 15% sobre o lucro;
  • Retenção de até 5% nos dividendos.

Leia mais

Sobre o autor
Julia Zillig
Repórter do Portal Mais Retorno.