Logo Mais Retorno
Fundos de Investimentos

Entre os 10 maiores fundos de ações, 4 estão entre os mais rentáveis no ano com estratégias em BDRs

Estratégia de carteiras com ativos internacionais ajuda na boa performance

Data de publicação:18/11/2021 às 07:00 -
Atualizado 7 meses atrás
Compartilhe:
  • Facebook
  • Linkedin
  • Twitter Mais Retorno
  • Telegram Mais Retorno
  • WhatsApp Mais Retorno
  • Email Mais Retorno

Musculatura patrimonial pode ser condição necessária, ainda que não suficiente, para que os fundos de investimento entreguem os melhores resultados aos cotistas. Especialmente no caso de fundos de ações, em um período que a bolsa de valores atravessa fase de maré de baixa que arrastou o Índice Bovespa (Ibovespa) a uma queda acumulada no ano de 13,04% até outubro.

Pois nesse cenário cheio de adversidades e percalços para a bolsa de valores, a B3, um levantamento da Mais Retorno em sua base de dados pinçou quatro fundos de ações dentre os de maior patrimônio também com a rentabilidade mais vistosa nesse período. Em estudo que considerou fundos abertos aos público em geral, em operação há mais de um ano, com 60 cotistas ou mais e patrimônio a partir de R$ 17 milhões.

O fundo de ações de maior patrimônio, o Western Asset FIA BDR, com R$ 4,336 bilhões e 146.721 cotistas, acumulou uma rentabilidade, de janeiro a outubro, de 29,81%, atrás apenas do campeão, o BB Ações ESG FIA BDR, que, com patrimônio de R$ 2,226 bilhões e 120 cotistas, liderou o ranking, com rendimento de 31,31%

Em terceiro, com patrimônio de R$ 3,720 bilhões e 509 cotistas, ficou o FIA Caixa Institucional BDR, com rentabilidade acumulada de 29,48%, e em quarto, com R$ 3,790 bilhões e 1.235 cotistas, o Safra Consumo Americano FIA BDR, com 29,18%, no ano, até outubro.

Então os fundos de ações de maior patrimônio estão mais cacifados para entregar melhores resultados que os de menor porte? Uma olhada na política de investimento e em um ativo na forma de sigla de três letras presente na carteira desses fundos já dá uma pista da boa performance desses fundos.

Todos os quatro fundos estão com os pés fincados no mercado acionário internacional, sobretudo o americano, por meio de Brazilian Depositary Receipts (BDRs), recibos representativos de ações de companhias estrangeiras negociados na Bolsa de Valores de São Paulo, a B3.

É essa incursão no mercado acionário internacional, em momento de falta de tração da bolsa doméstica, que têm contribuído para que esses fundos performem bem e entreguem resultados vistosos a seus cotistas.

O BB Ações ESG FIA BDR, o campeão no ano, brilha também em 12 meses, como o segundo mais rentável no período, com 34,98%. Ficou atrás apenas do BB Ações Bolsa Americana FIA, outro produto com BDR em carteira, que acumula rentabilidade de 41,24%, em 12 meses.

Não apenas esses fundos, mas outros que se destacam em rentabilidade nesse levantamento exclusivo da Mais Retorno têm parcela dos recursos ancorados, direta ou indiretamente, em ativos  do exterior.

Conheça os maiores e os 10 maiores fundos de ações

Western Asset FIA BDR – Com patrimônio de R$ 4,336 bilhões e 146.721 cotistas, o fundo da gestora Western Asset Management Company Limitada exige aplicação mínima inicial de R$ 1.000, valor para movimentações seguintes de R$ 100, valor mínimo de permanência de R$ 500, cobra taxa de administração de 1,50% ao ano, não cobra a de performance. Prazo para a cotização é de um dia e o pagamento ao cotista, de quatro dias.

O fundo busca atingir seu objetivo (valorização compatível com a do mercado americano de ações no longo prazo), acrescido da variação cambial, aplicando no mínimo 67% da carteira em Brazilian Depositary Recedipts (BDR) de mercado de ações dos EUA. Composição da carteira: 97,79% dos recursos investidos em BDR.

Safra Consumo Americano FIA BDR - Fundo com 1.235 cotistas e patrimônio de R$ 3,790 bilhões, com gestão da Safra Asset Management, exige aplicação mínima inicial de R$ 1.000, movimentação mínima e saldo mínimo de R$ 100, cobra taxa de administração de 2,50% ao ano. O prazo para cotização é de um dia e o pagamento do resgate é feito em 4 dias. Composição da carteira: 98,50% em cotas de fundos.

FIA Caixa Institucional BDR – Com patrimônio líquido de R$ 3,720 bilhões e 509 cotistas, o fundo sob gestão da Caixa Econômica Federal exige aplicação mínima inicial de R$ 1.000, aplicação adicional de R$ 100, resgate mínimo de R$ 100, saldo mínimo de R$ 500, cobra taxa de administração de 0,70% ao ano, não cobra a de performance. O prazo de cotização é de 1 dia e o pagamento, de 3 dias. Composição da carteira: 98,35 dos recursos investidos em Brazilian Depositary Receipts (BDR).

Itaú Ações Dunamis FIC FI – Fundo sob gestão do Itaú Unibanco, com patrimônio de R$ 2,833 bilhões e 35.951 cotistas, exige valor mínimo de aplicação e de saldo de permanência de R$ 100, cobra taxa de administração de 2,00% (máxima) ao ano, taxa de performance, 20% do que exceder o Ibovespa. O para a cotização é de 21 dias e o de pagamento ao cotista, de 23 dias. Composição da carteira: 99,02% dos recursos investidos em cotas de fundos.

Itaú Vértice Ibovespa Equities FIA – Fundo com 530 cotistas e patrimônio de R$ 2,747 bilhões exige valor de aplicação inicial mínima e de saldo de permanência de R$ 1. O prazo de liquidação financeira é de dois dias. Composição da carteira: operações compromissadas, 13,96%; títulos públicos, 19,86%; valores a pagar, 41,81%, e valores a receber, 24,41%.

Safra Consumo Americano FIC FIA BDR – Com 28.601 cotistas e patrimônio de R$ 2,439 bilhões, o fundo exige aplicação mínima inicial de R$ 1 mil, valor mínimo de permanência de R$ 100, cobra taxa de administração entre 1,00% (mínima) e 2,50% ao ano (máxima). Prazo de cotização de um dia e o de pagamento ao cotista, quatro dias. Composição da carteira: 98,57% dos recursos investidos em cotas de fundos.

BB Ações Bolsa Americana FIA – Fundo com 45.754 cotistas e patrimônio de R$ 2,332 bilhões, o fundo sob gestão do Banco do Brasil não exige valor de aplicação inicial, o valor mínimo de permanência é R$ 0,01, não existe taxa de administração, mas cobra 10% de taxa de performance. O prazo de cotização é de um dia e o de pagamento do resgate, três dias. Composição da carteira: 74,43% dos recursos da carteira são investidos em cotas de fundos e 21,41% em operações compromissadas.

BB Ações ESG FIA BDR – Com patrimônio de R$ 2,226 bilhões e 120 cotistas, o fundo exige valores de aporte inicial mínimo, aplicação adicional e saldo de permanência de R$ 200, cobra taxa de administração de 0,50% e não há a de performance. O prazo de cotização é de um dia e o de pagamento ao cotista, de quatro dias. Composição da carteira: 91,95% dos recursos são investidos em Brazilian Depositary Receipts (BDR).

BTG Pactual Absoluto Institucional FIC FIA– Fundo tem 5.420 cotistas e patrimônio de R$ 2,105 bilhões. O valor da aplicação inicial é R$ 5.000, mas não há exigência de valor para movimentação mínima nem para saldo mínimo, cobra taxa de administração de 2,00% ao ano e de performance de 20%. O prazo de cotização é de 30 dias e o de pagamento do resgate, 32 dias. Composição da carteira: 98,47% dos recursos são investidos em cotas de fundos.

Squadra Long Only STR FIC FIA – Com patrimônio de R$ 1,79 bilhão e 481 cotistas, o fundo não exige valor de aplicação inicial, apenas o mínimo de permanência no valor de R$ 100 mil, cobra taxa de administração entre 0,28% (mínima) e 3,30% (máxima) ao ano. O prazo de cotização é de 60 dias e o de pagamento ao cotista, de 62 dias. Composição da carteira: 99,63% dos recursos são investidos em cotas de fundos.

Sobre o autor
Tom Morooka
Colaborador do Portal Mais Retorno.