Logo Mais Retorno
fluxo de capital estrangeiro bolsa
Renda Variável

BDRs ou ações no exterior: qual a melhor opção para a minha carteira?

A cada dia que passa o número de brasileiros optando por investimentos internacionais aumenta significativamente. Seja pela desvalorização da nossa moeda ou para diversificar o portfólio,…

Data de publicação:03/02/2022 às 12:08 -
Atualizado 5 meses atrás
Compartilhe:

A cada dia que passa o número de brasileiros optando por investimentos internacionais aumenta significativamente. Seja pela desvalorização da nossa moeda ou para diversificar o portfólio, são muitos os investidores interessados em BDRs ou ações no exterior. 

Foto: Arquivo

Mas se tratando dessas duas opções, qual será a mais vantajosa? Afinal de contas, são muitos os conteúdos que vemos hoje na internet onde especialistas apontam veemente para uma ou outra opção. Quando na verdade, não é bem assim. 

Para decidir entre BDRs ou ações no exterior você precisa levar em consideração uma série de fatores onde só você poderá optar pelo melhor caminho. Tudo que você precisa é conhecer muito bem cada uma das opções e e a partir disso, decida qual se encaixa melhor nos seus planos.

Portanto, se você deseja investir no exterior mas não sabe por onde começar, chegou ao lugar certo. 

Entendendo os BDRs ou ações no exterior 

Investir no exterior pode trazer muitas vantagens para todo o investidor. Isso porque são muitas as oportunidades que existem lá fora, enquanto o mercado brasileiro ainda é bastante limitado. Só esse ponto já mostra uma vantagem: a possibilidade de diversificação.  

Principalmente se tratando dos Estados Unidos, que é dono de 44,33% de toda a capitalização de ações mundial, um total de 30,44 trilhões de dólares. Em contrapartida, no mesmo ranking, o Brasil fica com 1,34%, somando 0,92 trilhões de dólares americanos.

Por motivos como este, os brasileiros estão procurando cada vez mais os melhores meios de investir fora do país. Dentre eles, os BDR e as ações no exterior. 

O que são e como investir em BDRs?

BDR é a sigla para Brazilian Depositary Receipt, ou Recibo Depositário Brasileiro. Isto é, um certificado de depósito que é emitido aqui no país mas tem como representação as ações de empresas internacionais que disponibilizam suas ações para este fim.

Esse tipo de investimento surgiu através dos American Depositary Receipts (ADR), criados nos Estados Unidos nos anos 20 no intuito de beneficiar investidores americanos que buscavam investimentos no exterior. A partir de então, outras bolsas passaram a desenvolver o mesmo produto e ofertar a seus investidores.

Um ponto interessante sobre os BDRs, é que até outubro de 2020 somente quem possuía mais de 1 milhão de reais investidos poderiam negociar estes papéis. No entanto, o investimento foi liberado após as novas regras da CVM que liberou o acesso a todos.

É considerado a maneira mais simples de se investir no exterior, já que você não precisa abrir uma nova conta em uma corretora e nem mesmo fazer suas compras em dólares. No entanto, também possui suas desvantagens que você conhecerá a seguir.

Para investir em BDR basta você acessar o site ou aplicativo da sua corretora de valores brasileira (ou abrir uma conta em uma corretora de valores) e comprar os ativos, da mesma forma que compraria ações de empresas no Brasil.

Tipos de BDRs

Os BDRs podem ser divididos em dois tipos: BDR patrocinado e BDR não patrocinado. 

O BDR patrocinado é minoria na bolsa de valores, sendo aqueles recibos emitidos pela própria empresa estrangeira que demonstra interesse em distribuir suas ações em um determinado país. Ele pode possui outros três subgrupos divididos por níveis:

  1. Nível 1: A empresa não precisa de registro na CVM e os papéis só podem ser negociados em determinados ambientes. Há uma limitação de 50 investidores.
  2. Nível 2: Aqui há a necessidade de registro na CVM, além de ser permitida a negociação no pregão da B3. No entanto, só poderá receber ofertas públicas de “esforços restritos”.
  3. Nível 3: Os BDRs de nível três também exigem o registro na CVM e podem ser negociados no pregão da B3. Estes podem receber ofertas públicas bem amplas, desde que haja o registro na Comissão de Valores Mobiliários. 

Agora, os BDRs não patrocinados são todos os outros recibos que não são emitidos pela empresa de origem mas, sim, pela empresa depositária – no caso, a sua corretora de valores. 

Neste caso, a empresa compra as ações americanas e emite os recibos que representarão aqueles ativos na sua carteira. Lembrando que mesmo o BDR não sendo a ação em si, a valorização é correspondente e fiel às ações originais. 

Vantagens dos BDRs

  • Simplicidade, já que não precisa abrir conta em uma corretora americana;
  • Pode investir com taxa 0 de corretagem (muitas corretoras no brasil já oferecem);
  • Operações feitas em reais; 
  • Não tem spread cambial;
  • Você ganha tanto na valorização do ativo quanto no câmbio;
  • Não tem IOF.

Desvantagens dos BDRs

  • Você não compra ações diretamente da empresa;
  • Há uma quantidade limitada de empresas disponíveis;
  • O seu dinheiro se mantém aqui no Brasil;
  • Você precisa de intermediários para investir;
  • Imposto de Renda de 15% sobre o lucro;
  • Retenção de até 5% nos dividendos.

O que são e como investir em ações no exterior?

Quando se fala em investir em ações no exterior, significa investir em ações de empresas estrangeiras em seus próprios países de origem. Por exemplo, deseja investir na Apple mas não quer investir em BDR, então pode investir diretamente na empresa através da bolsa de valores americana na qual é listada.

Só que para ter acesso a uma bolsa de valores americana, sendo morador do Brasil, é preciso que você abra uma conta em uma corretora de valores lá dos Estados Unidos. Isso acaba tornando o processo um pouco mais burocrático do que o anterior. 

No entanto, não é tão complicado quanto parece. Atualmente já existem diversas corretoras nos EUA que são aptas a receberem investidores estrangeiros, então basta você escolher a que lhe parecer mais adequada e preencher todos os dados para abrir sua conta. 

Depois, será necessário preencher o formulário W-8BEN, referente a uma certificação de condição de estrangeiro. Esse certificado é importante para que o investidor possa declarar Imposto de Renda no país que, no caso, é os Estados Unidos. 

Com todos os dados aprovados, será preciso apenas enviar o seu dinheiro para a conta da corretora e adquirir os ativos. Porém, lembre-se: você precisará transferir o montante em dólares, já que estará comprando ações americanas diretamente no país de origem. 

Tipos de ações no exterior

Se tratando ainda das ações americanas, que é o maior mercado de capitais do mundo, podemos dividir os ativos em dois grupos, tal qual aqui no Brasil. São as “ações comuns” (common stocks) e as “ações preferenciais” (preferred stocks). 

As ações comuns são bem parecidas com as nossas ações ordinárias, onde, ao adquirir, o investidor compra uma parcela da empresa. O intuito é ganhar dinheiro na valorização do capital e na distribuição de dividendos. Porém, não é toda a empresa que distribui os lucros, algumas reinvestem o capital nelas mesmas, possibilitando ampliar sua valorização.

Por outro lado, as ações preferenciais sempre distribuem lucros aos acionistas, tendo inclusive preferência no recebimento ao se comparar com as ações comuns. Dentre elas, ainda têm as ações preferenciais resgatáveis (redeemable) ou não resgatáveis (non-redeemable). Isso indica ter ou não um prazo de vencimento para resgate do dinheiro.

Outro ponto importante é que os dividendos distribuídos pelas ações preferenciais americanas geralmente seguem uma taxa fixa de juros. Por este motivo, muitas vezes, estes ativos são também chamados de Híbridos, já que também têm essa característica de títulos públicos.

Se você ainda está em dúvidas quanto a investir em BDRs ou Ações no Exterior, confira abaixo as vantagens e desvantagens desta segunda modalidade. 

Vantagens das ações no exterior

  • Maior diversidade de empresas que as BDRs (só na NASDAQ são em média 2.987 empresas e mais 2.873 na NYSE);
  • Dessa forma você investe verdadeiramente nas ações das empresas;
  • Ativos dolarizados;
  • Alta liquidez, já que há muito mais negociações diárias do que a bolsa de valores brasileira;
  • Isenção de imposto para até 35 mil reais investidos.

Desvantagens das ações no exterior

  • Processo um pouco mais burocrático por ser no exterior;
  • Você precisa de um investimento um pouco maior, já que é feito em dólares;
  • Tem o custo do envio do dinheiro (que varia de 1 a 2% + IOF);
  • As ações são um pouco mais caras já que você precisa fazer o câmbio.

Como escolher entre BDRs ou ações no exterior?

Agora que você já tem bastante conhecimento sobre os BDRs e ações no exterior, basta você identificar qual a melhor opção se encaixa para o seu momento como investidor(a). Nessa hora, é correto lembrar que não há um melhor ou pior mas, sim, objetivos diferentes.

Por este motivo, é importante não seguir as recomendações de gurus do mercado ou especialistas no mercado financeiro. Afinal de contas, somente você sabe os seus reais interesses e o que você acha ou não adequado gastar dinheiro e tempo.

Você viu que cada uma das opções possuem vantagens e desvantagens. E cada uma dessas características exclusivas de cada tipo de investimento pode ter pesos diferentes para cada tipo de investidor.

Por exemplo, se você for um investidor experiente e se considerar super adaptado ao mercado financeiro, talvez não ache nada difícil investir em ações diretamente no exterior. Agora, se você for iniciante ou intermediário e preferir se manter na zona de conforto, talvez prefira manter os seus investimentos aqui onde você sabe exatamente o que está acontecendo.

O que é vantajoso para uma pessoa, pode não ser para outra. Ou pode não ser vantajoso ao menos naquele momento, talvez no futuro. Somente o próprio investidor saberá responder a essas questões e apostar no que lhe for mais conveniente.

Portanto, entre BDRs ou ações no exterior, não há melhor ou pior. Há vantagens e desvantagens que você deverá colocar na balança e decidir sozinho. 

Por que investir no exterior é importante?

Independente de você optar por investir em BDRs ou ações no exterior, o que importa é você começar a cogitar esse tipo de investimento na sua carteira. Isso porque são muitas as vantagens - algumas que já elencamos, e outras que iremos elencar.

Veja a seguir:

  1. Diversificar ainda mais sua carteira

Uma das grandes regras para diminuir o risco de qualquer investimento é a diversificação. E sabendo disso, você pode diversificar sua carteira em um todo (renda fixa e renda variável; pode variar entre segmentos de ações (energia elétrica, vestuário, etc); como também pode variar a moeda dos seus investimentos.

Está certo que investindo em BDR você não estará investindo diretamente em dólares. Mas a valorização do seu investimento será um reflexo direto do desempenho da empresa lá nos Estados Unidos, que pode ter resultados diferentes das empresas no Brasil.

  1. Possibilidade de investir em novas empresas

Enquanto na Bolsa de Valores brasileira nós temos cerca de 400 empresas (dado de 2021), as bolsas americanas reúnem mais de 2.000 cada! Isso abre um leque enorme de possibilidades para que você possa ampliar (além de diversificar) o seu portfólio. 

Empresas de tecnologia, logística, saneamento, energia elétrica, enfim. Todos os setores e algumas das maiores companhias do mundo estão listadas nas Bolsas americanas. Mas lembre-se: as BDRs são mais limitadas, cerca de 600 listados na nossa Bolsa.

  1. Investir em uma grande economia

O patrimônio de investidores pode ser facilmente afetado por políticas internas e eventuais crises ocasionadas por más gestões nos governos. No momento que você decide alocar o seu dinheiro em um país estrangeiro, passará a depender de tais economias e políticas.

Por este motivo, é muito importante focar também em economias mais estáveis. Dessa forma, caso aconteça algum problema que torne a nossa moeda cada vez mais desvalorizada, por exemplo, você terá na sua carteira pelo menos um ativo protegido do problema. 

  1. Diminuir os riscos do investimento 

Todas essas vantagens que já elencamos diminuem o risco do investimento em ações: a diversificação de carteira, o investimento em economias mais estáveis, a ampla oportunidade de empresas ofertando ações…

Tudo isso faz com que você diminua o risco da sua carteira de investimentos como um todo. Quanto maior for a sua diversificação, claro que sempre dentro daquilo que você consegue analisar, mais seguro estará o seu patrimônio. 

Por este motivo, optando por investir também no exterior, você amplia as oportunidades de lucro e reduz os riscos da sua carteira como um todo.

Investir no exterior é para todo mundo?

Não!

Como já mencionamos anteriormente, para tudo existem vantagens e desvantagens que devem ser levadas em consideração e que possuem pesos diferentes para cada pessoa. 

Investir em BDRs ou ações no exterior pode ser muito vantajoso se você desejar investir para o longo prazo; se for adepto aos riscos; se deseja ampliar o patrimônio e o portfólio…

Por outro lado, nunca será vantajoso para aqueles investidores que preferem a segurança da renda fixa. Estes, deverão se manter apenas nos investimentos mais seguros, que trazem uma rentabilidade menor mas que não oferecem muito risco.

Portanto, lembre-se: a melhor pessoa para tomar as suas decisões para os seus investimentos é você mesmo. Só você sabe das suas ambições e do quanto você está disposto a arriscar. 

Sobre o autor
Mais Retorno
A Mais Retorno é um portal completo sobre o mercado financeiro, com notícias diárias sobre tudo o que acontece na economia, nos investimentos e no mundo. Além de produzir colunas semanais, termos sobre o mercado e disponibilizar uma ferramenta exclusiva sobre os fundos de investimentos, com mais de 35 mil opções é possível realizar analises detalhadas através de índices, indicadores, rentabilidade histórica, composição do fundo, quantidade de cotistas e muito mais!
Mais sobre

Inscreva-se em nossa newsletter