Logo Mais Retorno
Fundos de Investimentos

Ranking: em 2021 só 3 fundos de renda fixa conseguiram bater o IPCA de 10,06%

Os 10 fundos de renda fixa campeões superaram o CDI e a poupança, mas 3 deles devem bater a inflação em 2021

Data de publicação:10/01/2022 às 00:30 -
Atualizado 4 meses atrás
Compartilhe:
  • Facebook
  • Linkedin
  • Twitter Mais Retorno
  • Telegram Mais Retorno
  • WhatsApp Mais Retorno
  • Email Mais Retorno

Os 10 fundos de renda fixa campeões de rentabilidade em 2021 superaram com boa margem de folga tanto o CDI, com 4,42%, como também a poupança com rendimento acumulado de 2,94% em 2021. Mas, apenas 3 deles conseguiram cobrir a inflação do período, que fiicuou em 10,06%.

Com a alta dos juros, esses fundos de renda fixa ganharam mais atratividade e bateram recorde de captação, roubando investidores dos fundos multimercado e de ações.

fundos de renda fixa campeões
Fundos de renda fixa campeões em 2021 bateram o DI e a poupança - Foto: Arquivo

Em sete altas consecutivas em 2021, a taxa básica de juro da economia saiu de seu piso histórico de 2% para terminar em 9,25% ao ano. Mesmo a esses níveis de juros, entre os 10 mais rentáveis, cinco fundos conseguiram apresentar rendimento acima da Selic. Gestores saíram em busca de opções na renda fixa e encontraram nos papéis de crédito privado, como as debêntures incentivadas, um caminho para proporcionar um retorno diferenciado aos cotistas.

As debêntures são papéis emitidos pelas empresas privadas para seus projetos. As do setor de infraestrutura são incentivadas e contam com isenção do imposto de renda no rendimento proporcionado ao investidor pessoa física. Atrelado ao rendimento mais elevado dos títulos de crédito, no entanto, está o risco de inadimplência, de falta de pagamento do crédito, mas considerado baixo pelos especialistas do setor.

Entram no estudo exclusivo da Mais Retorno os fundos que estão em operação há pelo menos um ano, com um mínimo de 60 cotistas, patrimônio a partir de R$ 17 milhões e abertos ao públicos.

Os fundos de renda fixa campeões

FUNDORend. 2021Rend. dez/2021Patrimônio
R$ em milhões
SCHRODER PREMIUM 45 ADVISORY10,92%0,50% 127,5
BTG PACTUAL DEB. INCENTIVADAS10,37%0,81% 234,1
CAPITÂNIA INFRA. 90 FIC INCEN10,32%1,05% 62,4
SUL AMERICA PREMIUM 9,75%0,90% 93,7
SCHRODER HIGH GRADE ADVISORY 9,51%0,52%1.745,6
ARX VINSON CLEAN FEE 9,18%0,80% 22,6
DEVANT MAGNA 9,14%0,78% 54,1
ARX VINSON 9,01%0,79%1.181,4
CA INDOSUEZ AGILITÈ 8,97%0,80% 503,9
ARX VINSON ACCESS 8,93%0,79% 86,2
Fonte: Mais Retorno

Todos os fundos de renda fixa campeões pagaram duas ou três vezes mais do que a poupança e o dobro do CDI, os Certificados de Depósito Interbancário, usado nas operações de empréstimos diários entre bancos e referência para o rendimento das aplicações em renda fixa.

Os fundos da Schroder estiveram sempre entre os mais rentáveis durante o ano, assim, como o do BTG Pactual e o da Capitânia, esse último com desempenho também alto no mês de dezembro, com musculatura para superar a inflação do mês, estimada abaixo de 1%.

Com essa performance e sem a instabilidade permanente que foi apresentada pela renda variável ao longo de 2021, os fundos de renda fixa foram destaque na captação.

A captação dos fundos

Dados da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais, Anbima, mostram que a captação líquida (aplicações menos resgares) da indústria de fundos alcançou a casa de R$ 369 bilhões. No entanto, nada menos que R$ 215,2 bilhões, ou 58% do total, foram para os fundos de renda fixa. Um resultado que ultrapassa a média dos últimos dez anos e é recorde no setor.

Entre os quatro fundos de renda fixa que mais captaram em 2021, três são do Banco do Brasil e um do Bradesco, mas todos com total acima de R$ 12 bilhões, a rentabilidade, no entanto, bem abaixo dos campeões: o BB RF Curto Prazo Automático Setor Público FIC FI (R$ 20,3 bilhões) com rendimento de 2,51%; BB RF Curto Prazo Diferenciado FIC FI (R$ 16,4 bilhões), com 3,80%; Bradesco FIC FI Referenciado DI Max (R$ 12,6 bilhões), com 4,87%; e o BB RF Simples Solidez Super FIC FI (R$ 12,4 bilhões), com 4,41%.

Na comparação com os outros setores de fundos, os multimercado também apresentaram em 2021 captação líquida positiva, de R$ 59,6 bilhões, mas muito abaixo dos números dos de renda fixa, e também de seus resultado em 2020, quando chegaram a R 104,5 bilhões.

E os fundos de ações tiveram uma captação bem mais fraca, embora positiva, de R$ 200 milhões, minúscula quando comparada aos R$ 73,3 bilhões do ano anterior.

Desempenho em dezembro

Em outro recorte do estudo, o de rendimento mais alto em dezembro, a tabela é composta por outros fundos. A coluna de rendimento mensal impressiona, com variação da cota de 4,36% a 2,24%. Resultado que não impediu, no entanto, um rendimento negativo no ano.

Um total de 45 fundos, em universo de 763, apresentou rendimento acima de 1% em dezembro com capacidade de proteger o investidor da inflação medida pelo IPCA, que ficou em 0,73%.

FUNDOS Rend. dez/2021Rend.2021Patrimônio
R$ em milhões
BB TOP IDKA PRÉ 5 ANOS4,36%-10,50% 101,0
BB LP PRÉ 5 ANOS PRIVATE4,33%-10,75% 33,5
BRADESCO PREFIXADO LONGO4,11%-10,89% 79,5
ICATU VANGUARDA PREFIXADO3,50% - 9,35% 158,8
ITAÚ PRIVATE PRÉ IDKA3,31% -6,18% 191,7
AF GLOBAL BONDS2,31% 3,34% 50,3
BRADESCO DÍV. EXTERNA CRE. SOBERANO2,30% 2,64% 4,6
BB PREVIDENCIÁRIO2,29% -5,27% 171,5
FI CAIXA BRASIL IRF M1 TÍT. PÚBLICOS2,27% -5,31% 1.203,6
BV IRF M12,24% -5,70% 152,1
Fonte: Mais Retorno

Perspectivas para 2022

Parece não existir dúvidas no mercado de que a trajetória continua sendo de alta para os juros em 2022. A inflação não dá ainda sinais de trégua mais consistente, e a elevação do juros é o principal instrumento de política monetária nas mãos do Banco Central para esfriar a economia e domar o dragão da inflação.

Mas além disso, há outra pressão de alta vinda do exterior: a elevação de forma mais rápida e acentuada dos juros na economia americana. Sinalização já dada Fed (Federal Reserve, banco central americano), em ata da última reunião de seu Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc).

Hoje, o juro de curto prazo dos fed funds, semelhante à Selic, que o Fed administra está entre 0% e 0,25% e a perspectiva é de que possam subir 0,25 ponto porcentual na primeira rodada de ajuste, com grandes possibilidades de ocorrer em março, segundo analistas.

Uma decisão que teria impacto não apenas nos EUA, mas que provocará efeitos pelos quatro cantos do mundo. Inclusive no Brasil, com possível aumento de pressão sobre o câmbio. Juros mais elevados no exterior atraem capitais ancorados no Brasil para os títulos americanos e uma forma de conter uma fuga de recursos é aumentar ainda mais os juros por aqui, para um nível suficientemente atraente para os estrangeiros.

Por essas razões, a taxa básica de juro, atualmente em 9,25% ao ano, que deve pular novamente de degrau, já no início de fevereiro na próxima reunião do Copom (Comitê de Política Monetária), em sua primeira reunião do ano, prevista para os dias 1º e 2 do próximo mês. Analistas do mercado financeiro projetam uma Selic entre 11% e até 12% ainda no primeiro semestre deste ano.

Mais informações dos fundos de renda fixa

O mesmo levantamento permite obter dados interessantes sobre os fundos de renda fixa, seu tamanho, seu desempenho, sua captação. Acompanhe:

  • Universo do levantamento da Mais Retorno compreende 763 fundos
  • 93 deles apresentaram variação negativa da cota em 2021
  • A captação líquida (menos os resgates) dos 763 fundos de renda fixa em 2021 alcançou R$ 86,8 bilhões
  • O fundo com maior captação líquida em 2021 foi o BB RF CP Automático Setor Público, R$ 20,3 bilhões
  • O fundo com maior saída de recursos em 2021 foi o FI Caixa Brasil IRF M1 Título Público, R$ 10,4 bilhões
  • 4 fundos registraram captação líquida acima de R$ 12 bilhões em 2021
  • 3 fundos devem superar a inflação de 2021, estimada em torno de 10%, pelo menos em termos nominais
  • A captação líquida dos fundos em dezembro ficou em R$ 19,2 bilhões
  • O fundo com maior captação líquida em dezembro foi BB RF Simples Solidez Super, R$ 10,8 bilhões
  • O fundo com maior saída de recursos em dezembro foi o BB RF CP Diferenciado, R$ 17,5 bilhões
  • 11 fundos apresentaram captação líquida acima de R$ 1 bilhão em dezembro
  • 45 fundos tiveram valorização acima de 1% em dezembro e devem superar a inflação em termos nominais

LEIA MAIS

Sobre o autor
Regina Pitoscia
Editora do Portal Mais Retorno.