Economia

IPCA-15 sobe 0,78% em dezembro e fecha o ano com variação positiva de 10,42%

Maior contribuição para a variação positiva do indicador foi do grupo Transportes, em especial da alta dos preços dos combustíveis

Data de publicação:23/12/2021 às 09:43 - Atualizado um mês atrás
Compartilhe:
  • Facebook
  • Linkedin
  • Twitter Mais Retorno
  • Telegram Mais Retorno
  • WhatsApp Mais Retorno
  • Email Mais Retorno

Considerado uma prévia da inflação mensal, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15) subiu 0,78% em dezembro, 0,39 ponto percentual abaixo do resultado de novembro – 1,17%. Os dados foram divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quinta-feira, 23.

O dado ficou abaixo da mediana das estimativas dos analistas do mercado financeiro, de 0,82%, e do intervalo que ia de 0,67% a 0,96%. Com o resultado, o IPCA-15 fecha o ano com alta de 10,42%, maior acumulado do ano desde 2015 – 10,17%. No mesmo período do ano passado, o indicador foi de 1,06%.

IPCA-15 tem alta de 0,78% em dezembro e fecha ano em 10,42%
Grupo Transportes puxou mais uma vez a alta do IPCA-15, que registrou alta de 0,78% em dezembro e fecha 2021 em 10,42% -,Foto: Envato

O IPCA-E, que é o IPCA-15 acumulado trimestralmente, ficou em 3,18% para o período entre outubro e dezembro.

IPCA-15 em números

Dezembro/210,78%
Novembro/211,17%
Dezembro/201,06%
Acumulado do ano10,42%
Fonte: IBGE

Alta em sete de nove grupos pesquisados para o IPCA-15

Dos nove grupos de produtos e serviços pesquisados, sete apresentaram alta em dezembro. Apenas Saúde e cuidados pessoais (-0,73%) e Educação (0,00%) não registraram aumento no mês.

O maior impacto (0,50 p.p.) e a maior variação (2,31%) vieram mais uma vez do grupo Transportes, que encerraram o ano com alta acumulada de 21,35%. Na sequência, Habitação (0,90%) e Alimentação e Bebidas (0,35%) contribuíram com 0,15 p.p. e 0,07%., respectivamente.

Influência de Transportes na prévia da inflação

O resultado do grupo Transportes (2,31%) foi influenciado principalmente pela alta nos preços dos combustíveis (3,40%) - em particular, da gasolina (3,28%), que contribuiu com o maior impacto individual (0,21 p.p.) no índice do mês.

Além disso, os preços do etanol (4,54%) e do óleo diesel (2,22%) também subiram, embora as variações tenham sido menores que as do mês anterior (7,08% e 8,23%, respectivamente).

IPCA-15: Habitação

No grupo Habitação (0,90%), a maior contribuição veio da energia elétrica (0,96%), cujo resultado ficou próximo ao do mês anterior (0,93%). Desde setembro, está em vigor a bandeira Escassez Hídrica, que acrescenta R$ 14,20 na conta de luz a cada 100 kWh consumidos.

Alimentação e bebidas: alta de 0,35%

A alta de 0,35% em Alimentação e bebidas se deve principalmente à alimentação no domicílio (0,46%). A maior contribuição individual veio do café moído (9,10%), que acelerou em relação a novembro (4,91%). A alimentação fora de casa, por sua vez, variou 0,08%.

Saúde e cuidados pessoais em queda

O único grupo com queda em dezembro foi Saúde e cuidados pessoais (-0,73%). A variação negativa ocorreu por conta dos itens de higiene pessoal (-3,34%), em particular perfume (-9,82%), produtos para pele (-8,70%) e  artigos de maquiagem (-4,71%).

Alta em todas as regiões pesquisadas

No que concerne aos índices regionais, todas as áreas pesquisadas apresentaram alta em dezembro. A maior variação foi registrada na região metropolitana de Salvador (1,13%), enquanto o menor resultado ocorreu na região metropolitana de Belém (0,32%).

Dados ausentes

De acordo com o IBGE, o processo de mudança do datacenter do instituto impediu a divulgação de algumas informações referentes ao IPCA-15, como o acúmulo no ano e de 12 meses para as localidades, pesos dos subitens nos resultados regionais e análise do resultado mensal por localidade.

Sobre o autor
Mais Retorno
A Mais Retorno é um portal completo sobre o mercado financeiro, com notícias diárias sobre tudo o que acontece na economia, nos investimentos e no mundo. Além de produzir colunas semanais, termos sobre o mercado e disponibilizar uma ferramenta exclusiva sobre os fundos de investimentos, com mais de 35 mil opções é possível realizar analises detalhadas através de índices, indicadores, rentabilidade histórica, composição do fundo, quantidade de cotistas e muito mais!
Câmbio Fixo

Câmbio Fixo

O que é o câmbio fixo? Câmbio fixo é o nome dado ao regime cambial adotado pelos países que, utilizando uma moeda estrangeira como referência, mantêm...

  CONTINUAR LENDO