Logo Mais Retorno
Mercado Financeiro

Ibovespa cai aos 111 mil pontos e dólar avança em dia de ofensiva russa contra a Ucrânia

Ataques russos na Ucrânia penaliza os mercados financeiros globais

Data de publicação:24/02/2022 às 12:01 -
Atualizado 3 meses atrás
Compartilhe:
  • Facebook
  • Linkedin
  • Twitter Mais Retorno
  • Telegram Mais Retorno
  • WhatsApp Mais Retorno
  • Email Mais Retorno

O início da ofensiva russa contra a Ucrânia pesa sobre os mercados financeiros ao redor do mundo. No Brasil, a Bolsa tem dia de queda nesta quinta-feira, 24. Às 17h00, o Ibovespa recuava 0,86%, aos 111.049 pontos, enquanto o dólar, após dias em queda, avançava 1,24%, cotado a R$ 5,101.

Durante a madrugada no Brasil, a Rússia iniciou a invasão da Ucrânia, com ataques aéreos em todo o país, incluindo a capital Kiev, e a entrada de forças terrestres ao norte, sul e ao leste do país.

Mercado ao vivo: confira a Bolsa e o dólar nesta quinta-feira, 24 de fevereiro
Ibovespa e dólar: invasão da Rússia na Ucrânia penaliza bolsas globais nesta quinta-feira, 24 - Foto: Envato

Até o momento, já existem relatos de várias mortes e feridos, segundo a Ucrânia. Em reação à invasão, Kiev chamou o ataque de “invasão em grande escala”, decretou lei marcial e rompeu as relações diplomáticas com Moscou, enquanto o presidente americano, Joe Biden, disse que iria impor “sanções severas” a Moscou.

Segundo o presidente russo, Vladimir Putin, a Rússia não pretende “ocupar” seu vizinho, mas essa ação foi necessária depois que os Estados Unidos e seus aliados cruzaram a “linha vermelha” da Rússia ao expandir a aliança da Otan.

Já Volodymyr Zelenski, presidente ucraniano, afirmou, em reunião para criar uma coalizão contra a Rússia, que “não sabe por quanto tempo seu país irá existir”.

Enquanto isso, vários membros da União Europeia estão reunidos, de acordo com reportagem do The Guardian, buscando consenso sobre a formação de um grande pacote de sanções, incluindo não somente o setor financeiro, mas também energético para a Rússia.

As últimas notícias, de acordo com a Associated Press, apontam que as tropas russas já alcançaram a região de Kiev, a poucos quilômetros do centro da cidade. O chefe militar da Ucrânia, Valerii Zaluzhnyi, confirmou que vários combates já estão sendo travados entre as tropas dos dois países.

O Ministério da Defesa russo confirmou que 74 instalações militares ucranianas foram destruídas até o momento, incluindo 11 bases aéreas.

Impacto nas bolsas mundiais

O impacto da invasão russa na Ucrânia foi direto no mercado financeiro mundial. Os principais indicadores das bolsas americanas S&P 500 e Dow Jones Industrial Average recuam. No fechamento, os índices de ações asiáticas caíram acentuadamente, com o Hang Seng de Hong Kong despencando quase 3% e o Nikkei Stock Average do Japão fechando no menor nível desde novembro de 2020. Já o Stoxx 600, índice pan-europeu, encerrou o dia com queda de mais de 3%.

O ouro e os títulos de Tesouro dos EUA, que normalmente sobem em tempos de estresse, também aumentaram. O contrato futuro de ouro mais negociado subiu 1,8% para cerca de US$ 1.945 por onça troy.

O dólar se fortaleceu, com o índice ICE U.S. Dollar ganhando 0,41% para 96.585, de acordo com o FactSet. Moedas consideradas paraísos, como o iene japonês, também se firmaram, enquanto as criptomedas caíram, com o bitcoin despencando quase 9%, para cerca de US$ 34.300.

O rublo russo enfraqueceu para uma baixa recorde, caindo até 9% em relação ao dólar e sendo negociado a 90 rublos para US$ 1. O banco central russo disse que começaria a intervir no mercado de câmbio.

Principais índices/bolsas americanas

  • S&P 500: -1,06%
  • Dow Jones: - 1,86%
  • Nasdaq 100: +0,02% (dados atualizados às 14h44)

Bolsas europeias/fechamento

  • Stoxx 600 (Europa): -3,19% (439,40 pontos)
  • FTSE 100 (Londres): -3,86% (7.209 pontos)
  • DAX (Frankfurt): -3,98% (14.049 pontos)
  • CAC 40 (Paris): -3,83% (6.521 pontos)

Sobe e desce do Ibovespa

Maiores altas

SulAmerica (SULA11)+11,70%
3R Petroleum (RRRP3)+4,53%
Minerva (BEEF3)+3,67%
Marfrig (MRFG3)+2,34%
Raia Drogasil (RADL3)+1,21%
Fonte: B3

Maiores baixas

Qualicorp (QUAL3)-17,05%
Rede D'Or (RDOR3)-8,72%
Azul (AZUL4)-8,13%
CVC (CVCB3)-7,75%
BRF (BRFS3)-6,81%
Fonte: B3 (dados atualizados às 14h52)

Juros futuros

Conforme esperado, os juros futuros - somente os curtos caminham na direção contrária - sobem nesta quinta-feira, alinhados ao dólar em dia de aversão a risco global por causa da invasão da Rússia à Ucrânia.

A disparada de mais de 7% do petróleo também traz pressão, pois eleva o temor com o aumento da inflação no Brasil. Além disso, investidores aguardam pelo leilão de LTN e NTN-F do Tesouro, a partir das 11h00.

Por volta das 14h40, a taxa do contrato de depósito interfinanceiro (DI) para janeiro de 2027 subia a 11,33%, de 11,24% na abertura do dia. O DI para janeiro de 2025 subia para 11,43%, de 11,30%, e o para janeiro de 2023 recuava para 12,33%, de 12,43%.

Preço do petróleo dispara

Após a notícia de que a força militar russa realizou vários bombardeios em cidades da Ucrânia nesta quinta-feira, 24, o preço do petróleo disparou no mercado internacional, subindo mais de 7%, a mais de US$100 o barril. Às 14h56, o preço do barril do petróleo tipo Brent – que impacta diretamente nas ações da Petrobras – disparava 5,55%, cotado a US$99,27, e o tipo WTI avançava 4,88%, cotado a US$96,59.

O valor da commodity já vinha em alta, atingindo o maior patamar dos últimos sete anos, acima de US$ 90/barril por conta de um desajuste entre oferta e demanda, ocasionada pela retomada econômica global pós-pandemia.

A grande preocupação do mercado é o agravamento desse desequilíbrio, já que a Rússia é um dos maiores produtores de petróleo e gás natural do mundo. E a Europa tem o gás natural como sua principal fonte de energia.

Esse movimento deve impactar globalmente no avanço da inflação, que já segue elevada, pelo fato de que esse forte aumento deve ser repassado aos combustíveis, pressionando os preços da gasolina e do diesel.

Milho e trigo avançam no mercado

Além do petróleo, outras commodities ligadas ao agronegócio também disparam no mercado, como o milho e o trigo, produtos nos quais a Ucrânia é responsável por 13% e 7% da produção mundial, respectivamente.

Para Pedro Serra, head de Research da Ativa Investimentos, o aumento do preço do trigo, que já vem em escalada, poderá afetar negativamente algumas empresas listadas na Bolsa, como é o caso da M. Dias Branco, que depende da importação da commodity.

Por outro lado, a elevação no preço do milho – que além do conflito ucraniano, tem ainda a estiagem no Sul do Brasil – de acordo com Serra, pode ser favorável para empresas que produzem e exportam esses grãos, como a SLC Agrícola e a Brasil Agro.

No entanto, a situação não deve ser favorável para empresas que compram milho, como a BRF, Seara e Ambev. “Elas devem sentir impactos negativos em seus resultados”, complementa.

Dados econômicos americanos dividem a atenção do mercado

Enquanto o mundo está às voltas com a crise entre Rússia e Ucrânia, os investidores acompanham ainda a divulgação de novos dados econômicos das economias globais. Nos Estados Unidos, o Departamento do Comércio divulgou nesta quinta-feira que o Produto Interno Bruto (PIB) cresceu à taxa anualizada de 7% no quarto trimestre.

O número veio em linha com a expectativa dos analistas e superou a estimativa original de alta de 6,9%. No terceiro trimestre de 2021, a economia americana teve expansão anualizada bem menor, de 2,3%.

O Departamento do Comércio informou também que o índice de preços de gastos com consumo (PCE, na sigla em inglês) subiu à taxa anualizada de 6,3% entre outubro e dezembro, enquanto o núcleo do PCE, que desconsidera preços de alimentos e energia, avançou 5% no mesmo período, segundo revisão dos dados.

No cálculo inicial, divulgado há cerca de um mês, as estimativas eram de acréscimos de 6,5% do PCE e de 4,9% do núcleo do índice.

Aumento de empregos no Brasil

Internamente, durante a manhã o IBGE divulgou dados sobre o mercado de trabalho no Brasil. Segundo o instituto, o País registrou um aumento de 2,771 milhões de vagas no mercado de trabalho em apenas um trimestre, de acordo com os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua).

A população ocupada alcançou um recorde de 95,747 milhões de pessoas no quarto trimestre de 2021. Em um ano, mais 8,522 milhões de pessoas encontraram uma ocupação.

Já a população desocupada diminuiu em 1,443 milhão de pessoas em um trimestre, totalizando 12,011 milhões de desempregados no quarto trimestre de 2021. Em um ano, 2,401 milhões deixaram o desemprego.

Bolsas asiáticas fecham em baixa acentuada com invasão na Ucrânia

As bolsas asiáticas fecharam com fortes perdas em reação aos últimos desdobramentos da crise entre Ucrânia e Rússia. / com Tom Morooka e Agência Estado

Bolsas asiáticas/fechamento

  • Nikkei (Tóquio): -1,81% (25.970 pontos)
  • Hang Seng (Hong Kong): -3,21% (22.901 pontos)
  • Taiex (Taiwan): -2,55% (17.594 pontos)
  • Xangai Composto (China continental): -1,70% (3.429 pontos)
  • Shenzhen Composto (China continental): -2,36% (2.282 pontos)
  • S&P/ASX 200 (Sydney): -2,99% (6.990 pontos)
Sobre o autor
Julia Zillig
Repórter do Portal Mais Retorno.