Logo Mais Retorno
Mercado Financeiro

Confira o impacto da invasão russa na Ucrânia nos mercados pelo mundo

Petróleo dispara, dólar sobe, bolsas despencam com investidores buscando ativos de proteção

Data de publicação:24/02/2022 às 10:56 -
Atualizado 3 meses atrás
Compartilhe:
  • Facebook
  • Linkedin
  • Twitter Mais Retorno
  • Telegram Mais Retorno
  • WhatsApp Mais Retorno
  • Email Mais Retorno

Uma reportagem do Wall Street Journal dá o tom para o impacto da ofensiva russa na Ucrânia, iniciada na madrugada desta quinta-feira, 24.

Segundo relato do jornal, assim que os mísseis e ataques irromperam os espaços aéreos ucraniano, investidores internacionais correram para a segurança, derrubaram as ações e elevaram os preços de petróleo, ouro e títulos do governo.

Confira o impacto da invasão russa na Ucrânia nos mercados pelo mundo
Com a invasão da Rússia na Ucrãnia, investidores buscaram refúgio em ativos mais seguros - Foto: Envato

Os futuros atrelados ao S&P 500, Nasdaq 100 e Dow Jones Industrial Average caíram 2,4% e 3,1%. O pan-continental Stoxx Europe 500 caiu mais de 3%. Os índices de ações asiáticas também caíram acentuadamente, com o índice Hang Seng de Hong Kong despencando quase 3% e o Nikkei Stock Average do Japão fechando no menor nível desde novembro de 2020.

Economia global já sofre com problemas na cadeia de suprimentos e inflação elevada

O ataque russo, diz o jornal, aumenta a pressão sobre uma economia global que já sofre com cadeias de suprimentos emaranhadas e algumas das mais altas taxas de inflação em anos, com a Europa provavelmente sofrendo o impacto econômico.

"Isso é o que parecia inacreditável para a maioria dos investidores, e isso está realmente acontecendo. É uma mudança completa de tudo, estamos em um mundo diferente agora."

estrategista-chefe da BCS Global Markets em Moscou, em entrevista para o jornal Shava Smolyaninov

O petróleo bruto Brent, referência global, superou US$ 100 o barril pela primeira vez desde 2014, com o contrato do primeiro mês subindo 6% para US$ 102,68. Os preços de seu equivalente nos Estados Unidos, West Texas Intermediate (WTI), também aumentaram.

Outros mercados de commodities entraram em 'convulsão'

Alguns outros mercados de commodities entraram em convulsão. Os contratos futuros de gás natural na Europa subiram 30% e os preços de referência para alumínio e níquel, dois metais dos quais a Rússia é um grande produtor, atingiram seus níveis mais altos em cerca de uma década.

Os futuros de trigo e milho também avançaram para altas de vários anos, já que tanto a Rússia quanto a Ucrânia são grandes produtores de grãos.

Alta no preço do ouro e nos Treasuries

Os investidores provavelmente permanecerão cautelosos por algum tempo, disse a economista da Daiwa Securities Mari Iwashita, apontando para a anexação da Crijmeia pela Rússia em 2014.

O ouro e os títulos de Tesouro dos EUA, que normalmente sobem em tempos de estresse, também aumentaram. O contrato futuro de ouro mais negociado subiu 1,8% para cerca de US$ 1.945 por onça troy.

O rendimento da nota de referência de 10 anos de Tesouro dos EUA caiu 0,092 ponto porcentual para 1,885% de acordo com o Tradeweb. Os rendimentos do títulos caem à medida que os preços sobem.

Moedas estrangeiras em alta, com exceção do rublo russo

O dólar se fortaleceu, com o índice ICE U.S. Dollar ganhando 0,41% para 96.585, de acordo com o FactSet. Moedas consideradas paraísos, como o iene japonês, também se firmaram, enquanto as criptomedas caíram, com o bitcoin despencando quase 9%, para cerca de US$ 34.300.

O rublo russo enfraqueceu para uma baixa recorde, caindo até 9% em relação ao dólar e sendo negociado a 90 rublos para US$ 1. O banco central russo disse que começaria a intervir no mercado de câmbio.

Sobre o autor
Renato Jakitas
Editor-chefe do Portal Mais Retorno.