Logo Mais Retorno
Mercado Financeiro

Mercado ao vivo: confira a Bolsa e o dólar nesta terça-feira, 26 de abril

Investidores estão de olho na China, nos lucros das empresas e nas projeções econômicas

Data de publicação:26/04/2022 às 11:38 -
Atualizado 20 dias atrás
Compartilhe:
  • Facebook
  • Linkedin
  • Twitter Mais Retorno
  • Telegram Mais Retorno
  • WhatsApp Mais Retorno
  • Email Mais Retorno

Após fechar em queda de 0,35% no dia anterior, a Bolsa segue a mesma tônica negativa no pregão desta terça-feira, 26. Às 15h01, o Ibovespa recuava 1,80%, aos 108.9688 pontos, e o dólar disparava 1,95%, cotado a R$ 4,971.

A queda é explicada, em boa parte, pela desvalorização das ações dos bancos, que passaram a recuar após a divulgação do balanço trimestral do Santander, que tradicionalmente puxa a fila dos resultados dos gigantes financeiros. A alta de 1,3% não agradou o mercado. Às 14h50, as units do banco espanhol recuavam 4,91%. Já as ações preferenciais do Bradesco e Itaú caíam 4,61% e 3,01%, respectivamente.

Mercado ao vivo: confira a Bolsa e o dólar nesta terça-feira, 26 de abril
Resultado trimestral do Santander não agradou ao mercado e as ações dos gigantes financeiros seguem em queda - Foto: Reprodução

Os investidores dividem sua pauta de monitoramento entre o ambiente externo e interno. Segundo Marcelo Oliveira, fundador da Quantzed, há um “tripé” que está movimentando o mercado para cima e para baixo, incluindo o Federal Reserve (Fed, o banco central americano) e a alta dos juros, os balanços corporativos e situação da China com a covid-19.

“O Fed está em período de silêncio. Então o mercado vai ficar só na expectativa e na tentativa de acertar a direção de sua política monetária”.

Marcelo Oliveira, da Quantzed

Em relação aos balanços trimestrais das gigantes internacionais, o especialista aponta que o mercado esperava guidances piores, “mas estão vindo melhores do que o esperado”. Para esta terça-feira são aguardados os resultados das big techs Microsoft e Alphabet (Google). No Brasil, o dia começou com o Santander Brasil apresentando um lucro de 1,3% no primeiro trimestre.

Já em relação à China, além da questão do temor sobre um possível ampliação do lockdown por conta do avanço da covid-19 no país, o que ajuda a aliviar um pouco essa incerteza é a postura do Banco Central da China (PBoC), que ressaltou que irá intensificar o apoio à economia do país atingida pela pandemia.

Já na Europa, as bolsas operam no positivo, na contramão das praças financeiras do Brasil e dos EUA. Após uma queda brusca no dia anterior, o preço do petróleo voltou a subir, buscando recuperação refletindo a continuidade da guerra na Ucrânia.

“Também é importante ficar atento a uma fala da Rússia sobre uma terceira guerra mundial, o que mostra que o país começa a perder o eixo das coisas, já que a guerra está durando tempo demais e além do que esperavam”, enfatiza o fundador da Quantzed.

Bolsas americanas/principais índices

  • S&P 500: -2,10%
  • Dow Jones: -1,81%
  • Nasdaq 100: -2,95% (dados atualizados às 15h08)

Bolsas europeias/fechamento

  • Stoxx 600 (Europa): -0,90% (441,10 pontos)
  • DAX (Frankfurt): -1,20% (13.756 pontos)
  • FTSE 100 (Londres): +0,08% (7.386 pontos)
  • CAC 40 (Paris): -0,54% (6.414 pontos)

Brasil: projeções econômicas para 2022, 2023 e 2024

Internamente, os investidores olham as projeções de alta para o IPCA neste ano (de 7,46% para 7,65%), em 2023 (de 3,91% para 4,00%) e 2024 (de 3,16% para 3,20%) e ainda a elevação para a taxa Selic no fim deste ano (de 13,05% para 13,25%) trazidas pelo Boletim Focus do BC, publicado nesta terça-feira, após três semanas de interrupção por causa da greve de funcionários do Banco Central, que foi suspensa até o dia 2 de maio.

A uma semana do início da reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) de maio, há consenso de que o BC deve elevar a Selic em 1 ponto, a 12,75% ao ano na próxima semana.

O mercado aguarda, agora, o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, que participa da Sessão Solene do Congresso Nacional destinada a comemorar os 105 anos do nascimento de seu avô, o economista Roberto Campos, a partir das 10h, além do leilão de LFT e NTN-B do Tesouro, a partir das 11h.

A partir desta quarta-feira, 27, os membros do BC entram em período de silêncio até a quarta-feira da próxima semana, dia 4, quando o Copom anuncia sua decisão de política monetária.

Juros futuros

 Os juros futuros operam mistos. Às 15h desta terça, a taxa do contrato de depósito interfinanceiro (DI) para janeiro de 2023 marcava 12,94%, de 12,95% no ajuste de segunda-feira. O DI para janeiro de 2025 subia a 12,08%, ante 11,99% na abertura do dia. O DI para janeiro de 2027 marcava 11,90%, de 11,82%.

Sobe e desce da Bolsa

Maiores altas

3R Petroleum (RRRP3)+3,27%
PetroRio (PRIO3)+2,83%
Iguatemi (IGTI11)+1,46%
CPFL (CPFE3)+1,44%
Taesa (TAEE11)+1,24%

Maiores baixas

Americanas S.A (AMER3) -5,87%
Locaweb (LWSA3)-5,67%
Totvs (TOTS3)-5,57%
Banco Inter (BIDI11)-5,26%
Santander (SANB11)-5,08%
Fonte: B3 (dados atualizados às 15h19)

Mercado internacional: bolsas asiáticas fecham mistas

As bolsas asiáticas fecharam sem direção única nesta terça-feira, com as da China estendendo perdas em meio a temores sobre os impactos da onda de covid-19 local e outras se recuperando após o desempenho positivo de Wall Street na véspera.

Pequim iniciou testes em massa da população local e restringiu o movimento em certas partes da cidade, embora tenha registrado apenas 80 casos de covid-19 desde sexta-feira, 22. O temor é que a capital chinesa acabe instituindo um lockdown mais amplo, similar ao que está em vigor em Xangai há mais de duas semanas. / com Agência Estado

Fechamento

  • Xangai Composto (China continental): -1.44% (2.886 pontos)
  • Shenzhen Composto (China continental): -2,11% (1.752 pontos)
  • Nikkei (Tóquio): +0,41% (26.700 pontos)
  • Hang Seng (Hong Kong): +0,33% (19.934 pontos)
  • Kospi (Seul): +0,42% (2.668 pontos)
  • Taiex (Taiwan): +0,14% (16.644 pontos)
  • S&P/ASX 200 (Sydney): -2,08% (7.318 pontos)
Sobre o autor
Julia Zillig
Repórter do Portal Mais Retorno.