Logo Mais Retorno
Renda Variável

Entrada de capital estrangeiro derruba euro em 13,70% e dólar cai 10,56% em 2022

Euro deve se enfraquecer mais enquanto durar a guerra; dólar vai testar novos suportes

Data de publicação:14/03/2022 às 01:27 -
Atualizado 2 meses atrás
Compartilhe:
  • Facebook
  • Linkedin
  • Twitter Mais Retorno
  • Telegram Mais Retorno
  • WhatsApp Mais Retorno
  • Email Mais Retorno

Euro e dólar estão em queda livre desde o início de 2022. No dia 3 de janeiro as moedas eram negociadas a R$ 6,42 e R$ 5,68, respectivamente. Já na última sexta-feira, o euro fechou cotado R$ 5,54, e o dólar, a R$ 5,05, níveis que não eram atingidos desde março de 2020, quando o início da pandemia assombrou o mundo.

Na visão de especialistas, o euro tende a se enfraquecer ainda mais quanto mais tempo durar a guerra da Rússia; já o dólar deve testar novos suportes, a R$ 4,80 e R$ 5, e alta da Selic nesta semana deve valorizar o real.

euro e dólar
Euro e dólar se desvalorizam com entrada de capital estrangeiro no mercado financeiro brasileiro - Foto: Reprodução

O Brasil vive um momento peculiar em 2022, com o fluxo de capital estrangeiro batendo recorde, em busca de boas oportunidades de investimentos no mercado financeiro, o que vem deprimindo as cotações das moedas fortes.

A entrada de recursos externos na Bolsa de Valores é surpreendente: desde o início do ano até a última quarta-feria, 9 de março, portanto em pouco mais de 2 meses, o total equivale a algo perto de R$ 71,1 bilhões, e isso é mais do que ingressou no País durante todo o ano passado, somando R$ 70,8 bilhões.

Do ponto de vista macro, o mercado brasileiro é desafiador, inflação em alta, juros em alta, riscos fiscais à vista com uma eleição presidencial em outubro deste ano. Nenhuma dessas questões, no entanto, parece preocupar o investidor estrangeiro, que desembarca por aqui atraído por uma Bolsa ainda descontada e barata em relação às bolsas americanas, por exemplo.

Mas não é só. A elevação da Selic, que saiu de 2% no início de 2021 para chegar ao nível de dois dígitos, em 10,75% ano, em dezembro, passou a oferecer atrativos também na renda fixa. A diferença entre os juros brasileiros e os juros internacionais, permite que investidores tomem recursos a uma taxa mais baixa lá fora para remunerá-los aqui a juros mais robustos.

A guerra da Rússia acabou provocando uma explosão nos preços das commodities - petróleo, aço, minério de ferro, entre outras -, e fornecendo mais um charme ao mercado doméstico. Por ter muitas empresas exportadoras de commodities, a Bolsa brasileira passou a ser considerada um verdadeiro porto seguro entre os emergentes.

Primeiro porque o País não está diretamente envolvido no conflito no Leste Europeu, recebendo investidores que estavam alocados na Rússia. Segundo porque, ao se posicionar em papeis de empresas brasileiras exportadoras de commodities, os aplicadores se protegem de altas dos produtos no mercado internacional.

Para o economista José Faria Júnior, sócio da Wagner Investimentos, o euro não deve cair muito mais além do atual nível, já o dólar deve testar novos suportes.

"Seguimos negativos com o euro, mas não acreditamos que vá muito abaixo de US$ 1,08 no curto prazo. Quanto mais tempo durar o conflito, mais a moeda única tenderá a se enfraquecer"

José Faria Júnior - economista

Para o dólar, "temos aqui dois pontos importantes: R$ 4,80 e R$ 5 como suportes. O Copom deve vir mais duro na quarta-feira, e isso tende a ajudar o real", afirma o economista.

Do início da guerra, 24 de fevereiro, até a última sexta-feira, o euro acumula uma queda de 3,31%, o dólar, de 0,78%. Embora tenham subido nos dias seguintes, a partir do dia 27, as duas moedas fortes entraram em trajetória de queda.

As moedas não atingiam níveis tão baixos desde o dia 20 de março de 2020, quando o euro foi cotado a R$ 5,42, e o dólar a R$ 5,06.

Veja a variação das duas moedas em outros períodos na comparação com o fechamento da última sexta-feira, 11 de março. Em um ano, as quedas são expressivas.

A dança do euro e do dólar

DataCotação euro QuedaCotação dólar Quedaeuro X dólar
03/01/2022R$ 6,42-13,70%R$ 5,68-10,56%US$ 1,13
14/02/2022R$ 5,90- 6,10%R$ 5,52- 7,97%US$ 1,07
24/02/2022R$ 5,73- 3,31%R$ 5,12- 0,78%US$ 1,12
27/02/2022R$ 5,82-13,70%R$ 5,16- 2,13%US$ 1,13
26/03/2021R$ 6,79-18,41%R$ 5,75- 11,65%US$ 1,18
11/03R$ 5,54 -.-R$ 5,05 -.-US$ 1,09
Fonte: Mais Retorno

Sobre o autor
Regina Pitoscia
Editora do Portal Mais Retorno.