Logo Mais Retorno
Fundos de Investimentos

Conheça os fundos de ações, de renda fixa e multimercado que mais decepcionaram em 2021 e saiba por quê

Fundo de ações que mais caiu teve variação negativa de 37,21% no ano

Data de publicação:17/01/2022 às 00:52 -
Atualizado 4 meses atrás
Compartilhe:
  • Facebook
  • Linkedin
  • Twitter Mais Retorno
  • Telegram Mais Retorno
  • WhatsApp Mais Retorno
  • Email Mais Retorno

O ano passado foi marcado por vários eventos políticos e econômicos no Brasil e no mundo que impactaram os investimentos: do surgimento de uma nova variante do coronavírus, a ômicron, quando a pandemia parecia estar perto de ser controlada aos debates sobre o risco fiscal brasileiro com a aprovação da PEC dos Precatórios e a reformulação do teto de gastos. Todos eles afetam o desempenho dos ativos do mercado financeiro, conheça os fundos que decepcionaram em 2021

No entanto, para os especialistas, quando falamos sobre o retorno dos fundos há um fator principal para explicar os números mais fracos: a taxa de juros. Se por um lado, os ativos atrelados à Selic ou ao mercado de juros se beneficiaram do ciclo de aperto monetário, por outro, os fundos com estratégias que dependem de um cenário de juros mais baixos acabaram sendo prejudicados. Até mesmo os de renda fixa são atingidos dependendo do tipo do papel.

Fundos que decepcionaram em 2021cado
Elevação dos juros afetou o resultado dos três tipos de fundos - Imagem: Reprodução

"O principal evento que tivemos em 2021 no mercado externo foi uma inflação mais resistente e persistente, que fez com que houvesse uma expectativa de elevação de juros no mercado americano. Isso gerou um pouco de medo no mercado. Aqui no Brasil, a gente teve uma inflação acima da meta, e teve também um governo que fez um movimento em direção a furar o teto de gastos, gerando um problema fiscal, o que fez com que a expectativa de juros subisse muito, como um foguete."

Flavio de Oliveira, Head de Renda Variável da Zahl Investimentos

Como a taxa de juros impactou os fundos?

Fundos de investimento de ações

Para Oliveira, os fundos de ações que mais sofrem com os juros altos são aqueles setoriais ou com grandes posições em empresas com múltiplos altos. Ele explica que as companhias com múltiplos muito altos são aquelas "precificadas pela expectativa de crescimento da empresa ao longo dos próximos anos", sobretudo as de tecnologia e varejistas, setores bastante ligados ao consumo doméstico.

É que, conforme as expectativas de crescimento econômico são impactadas pela elevação da taxa de juros, na tentativa de controlar a inflação - o que encarece a tomada de crédito e os financiamentos -, essas companhias com boas perspectivas de expansão no longo prazo são prejudicadas tanto pela redução no consumo quanto pelas maiores dificuldades das próprias empresas de se financiarem e investirem em seu desenvolvimento.

Também por conta da redução do consumo, outro setor que sente os impactos da elevação dos juros é o de construção civil. "Quando um imóvel é comprado, na maior parte das vezes, ele precisa ser financiado, precisa ser parcelado. Quando a taxa básica de juros sobe, automaticamente, as pessoas precisam ter mais renda pra comprar", explica Oliveira sobre a tendência de queda das vendas de imóveis em tempos de Selic alta.

As 10 maiores decepções de 2021 entre os fundos de ações

FundoSubclasseRentabilidade em 2021
INTER + IBOVESPA ATIVO FIAÍndice ativo-37,01%
SAFRA CONSUMO FIC FIASetoriais-35,36%
SAFRA CONSUMO PB FIC FIASetoriais-34,38%
PATRIA PIPE FEEDER INSTITUCIONAL FIC FIALivre-32,17%
FIA CAIXA CONSTRUÇÃO CIVILLivre-31,79%
BB AÇÕES CONSTRUÇÃO CIVIL FIC FILivre-31,65%
BTG PACTUAL ABSOLUTO INSTITUCIONAL FIC FIALivre-29,32%
BB ESPELHO AÇÕES BTG PACTUAL ABSOLUTO PRIVATE FIC FIALivre-29,02%
CSHG ALLOCATION ABSOLUTO PARTNERS FIC FIALivre-27,74%
ABSOLUTO PARTNERS I 2 FIC FIALivre-27,72%
Fonte: Mais Retorno

Fundos de investimento multimercado

O especialista da Zahl Investimentos destaca que os fundos de investimento multimercado que mais recuaram no último ano são os long biased, que são fundos que balanceiam suas posições entre compra e venda de ativos para tentar obter bons retornos nas duas pontas.

Oliveira explica que, nestes casos, os fundos multimercado com grandes posicionamentos em ações também passaram pela mesma volatilidade que os fundos de ações focados em setores e companhias como varejo, construção civil e tecnologia.

"Os fundos long biased compram posições em ações e podem ficar aumentando ou diminuindo a exposição, o gestor fica tentando fazer timing (com os movimentos dos ativos), mas ele fica predominantemente aplicado em ativos de renda variável. Não é que o gestor (necessariamente) tenha errado a mão nas teses de investimento. Mas com aquele furo no teto que a gente teve no ano passado e os juros aumentando, os ativos de risco foram penalizados. A Bolsa como um todo sofreu e os fundos long biased sofrem praticamente a mesma coisa que um fundo de ação".

Flavio de Oliveira, Head de Renda Variável da Zahl Investimentos

As 10 maiores decepções de 2021 entre os fundos multimercado

FundoSubclasseRentabilidade em 2021
VERSA LONG BIASED FIMLong & Short - Direcional-37,21%
XP LONG TERM EQUITY FIC FIMLivre-24,23%
TRUXT LONG BIAS ADVISORY FIC FIMLivre-21,46%
TRUXT I LONG BIAS FIC FIMLivre-21,43%
MANAGER TRUXT LONG BIAS FIC FIMLivre-21,27%
MANAGER TRUXT LONG BIAS S FIC FIMLivre-21,21%
TRUXT LONG BIAS FIC FIM ACCESSLivre-21,13%
PACIFICO LB FIC FIMLivre-20,93%
TREND BOLSA CHINESA FIMLivre-20,91%
BTG PACTUAL TOF FIMLivre-20,50%
Fonte: Mais Retorno

Fundos de investimento de renda fixa

Embora todos os fundos de investimento em renda fixa tenham que, obrigatoriamente, alocar pelo menos 80% de seu portfólio em ativos da própria renda fixa, Oliveira pontua que este fundos "podem ter várias estratégias, como os pós-fixados, os prefixados e os de crédito privado".

O Head de Renda Variável da Zahl afirma que, em 2021, os fundos de renda fixa que mais desvalorizaram foram os com estratégia de alocação principalmente em ativos pré-fixados. O especialista explica que o problema para estes produtos veio da marcação a mercado, em decorrência do aumento nas expectativas para os juros futuros.

Na marcação a mercado em títulos com uma taxa prefixada, ou seja, que já tem a sua rentabilidade definida no momento da compra do ativo, quando os juros aumentam, apesar da rentabilidade subir também, o preço unitário do investimento cai, levando prejuízo ao investidor - seja ele pessoa física ou institucional -, caso dos fundos de investimento.

As 10 maiores decepções de 2021 entre os fundos de renda fixa

FundoSubclasseRentabilidade em 2021
BB TOP RF IDKA PRÉ 5 ANOS LP FIIndexados-10,50%
VITREO INFLAÇÃO LONGA FI RFDuração Livre Soberano-9,53%
ICATU VANGUARDA PRÉ FIXADO FI RF LPDuração Alta Grau de Investimento-9,35%
ICATU VANGUARDA FIC FI INFLAÇÃO LONGA RF LPDuração Média Crédito Livre-7,43%
ITAÚ RF JUROS REAIS B5+ FIC FIIndexados-7,42%
ITAÚ INDEX JUROS REAIS B5+ RF FIC FIIndexados-7,06%
FI CAIXA BRASIL IMA B 5+ TITULOS PÚBLICOS RF LPIndexados-7,00%
ITAÚ PRIVATE RF IMA B 5+ FIC FIIndexados-6,96%
BTG PACTUAL TESOURO IPCA LONGO FI RF REFERENCIADODuração Livre Soberano-6,84%
TREND INFLAÇÃO LONGA FI RFDuração Livre Crédito Livre-6,84%
Fonte: Mais Retorno

Leia mais

Sobre o autor
Bruna Miato
Repórter na Mais Retorno