Renda Variável

A TIM (TIMS3) está na lista das maiores empresas de telecomunicações do mundo. Subsidiária da Telecom Itália no Brasil, a companhia conta atualmente com mais de 50 milhões de clientes, o que corresponde a um market share de 24,0% — conforme dados divulgados no balanço de 2019.

De modo geral, o sucesso de seus resultados está diretamente atrelado aos programas de planos pré-pagos desenvolvidos pela empresa. Além disso, a criação de sistemas de recompensas, como programas de vantagens, ajudou a TIM a atingir a marca de maior margem EBITDA do mercado.

Saiba mais!

Quem é a TIM?

A TIM Participações S.A é uma empresa de telecomunicações que oferece serviços de telefonia móvel, fixa, internet 4G e ultrabanda larga fixa, a TIM Live. Fundada em 1995 no Rio de Janeiro, a companhia está listada na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) e Nova York (NYSE).

Sua história é marcada pela inovação do setor da comunicação no Brasil. Além disso, o pioneirismo na modernização dos serviços de transmissão de dados e voz fazem parte da marca da empresa.

Líder em cobertura 4G, a TIM direciona ainda os seus esforços em inovação e qualidade de atendimento, seja por meio de infraestrutura e serviços de qualidade. Dessa forma, o foco da TIM é manter sua base de clientes cada vez mais conectadas.

História da TIM

Também chamada de Telecom Italia Mobile, a TIM foi fundada em 1995 em Turim a partir da união de diversas empresas do setor de telecomunicações de seu país de origem. Líder na Itália, a empresa desembarcou no Brasil em 1998, quando iniciou seu projeto de expansão internacional. Hoje, além de Itália e Brasil, a empresa opera na Argentina, Bolívia e Cuba.

No mercado de ações, a companhia negocia seus papéis com o ticker TIMS3 e até 2019 tinha um valor de mercado de aproximadamente R$35 bilhões. No terceiro trimestre do mesmo ano, seu lucro líquido foi de R$561,7 milhões, gerando um valor acumulado de R$3,3 bilhões. Em 28 de janeiro de 2021, as ações ordinárias da TIM estão cotadas em R$13,48.

Breve resumo

A empresa estreou na Bolsa de Valores do Brasil em outubro de 2004, a partir do nome TIM PART. S.A. Os códigos de negociação dos papéis da empresa, no entanto, herdaram as características da Tele Celular Sul, e podiam ser encontradas pelo ticker TCSL3 (ações ordinárias) e TCSL4 (ações preferenciais).

No mesmo ano, a empresa passou a emitir recibos de ações na bolsa de valores de Nova York (NYSE), os chamados ADRs (American Depositary Receipt).

Em meados de 2009, a operadora deu início ao seu projeto de recolocação da marca no país. A primeira ação foi estabelecer um novo slogan, com a frase: “Você, sem fronteiras”. Para fortalecer ainda mais sua presença no mercado, elaborou novo portfólio com ofertas como dos planos “Infinity”.

Estrutura organizacional da TIM

Assim como as demais empresas de capital aberto, a TIM é gerida por um Conselho de Administração. O órgão é composto por 10 membros com mandatos de dois anos, sendo permitida a reeleição.

Cabe aos membros deste conselho, entre outras atribuições, tomar decisões sobre o objetivo da empresa, conforme legislação brasileira e previsão legal estabelecida no Estatuto Social.

De acordo com o regulamento do Novo Mercado — segmento de listagem destinado à negociação de ações emitidas por companhias que se comprometam, voluntariamente, com a adoção de práticas de governança corporativa adicionais em relação ao que é exigido pela legislação — a empresa conta com 4 conselheiros independentes.

Confira, a seguir, a relação dos atuais membros efetivos do Conselho de Administração para conhecer os seus respectivos cargos e mandatos:

Fonte: Site da empresa

Assim como o Conselho de Administração, a TIM Participações S.A conta também com uma Diretoria Estatutária. O órgão, por sua vez, é responsável pela administração executiva da companhia.

Formada por 1 Diretor Presidente e 6 Diretores Executivos, a Diretoria Estatutária é eleita pelo Conselho de Administração para um mandato de dois anos. Vale ressaltar ainda que o conselho tem poder de destituição dos diretores eleitos a qualquer tempo, em consonância com o regimento interno da companhia.

Os atuais Diretores e seus respectivos cargos são os seguintes:

Fonte: Site da empresa

Gestão administrativa da TIM

A TIM Participações S.A é uma companhia societária de capital aberto formada por um Conselho de Administração e Diretoria Estatutária. Além destes órgãos, fazem parte da gestão, administração e supervisão o Conselho Fiscal.

Seus membros são responsáveis por acompanhar as ações da administração, bem como fornecer informações relevantes e pertinentes aos acionistas. Em via de regra, a composição desse conselho se dá por profissionais independentes, com formação superior em Ciências Econômicas, Contábeis, Economia, Administração e áreas correlatas, sem que haja qualquer vínculo com a companhia.

Esses cuidados são necessários para que a supervisão da empresa se dê de forma autônoma, ética e transparente, conforme preconizado pelas melhores práticas de governança corporativa.

Além destes princípios, a TIM dedica-se a uma gestão administrativa pautada pela boa-fé, lealdade e genuinidade de seus negócios. Ademais, conforme a instituição, os princípios gerais que regem a companhia são:

  1. liberdade de decisão;
  2. acesso à informação;
  3. igualdade de tratamento;
  4. transparência.

Desde 2003 a TIM adota políticas de divulgação e uso de informações e negociação de valores mobiliários, de acordo com as determinações da Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Isso significa que os administradores se comprometem legalmente a seguir um código de conduta por parte de todos os funcionários que ocupam posições de destaque e, em função disso, têm acesso a informações privilegiadas.

Negócios e áreas de atuação da Tim

Como já destacamos anteriormente, a TIM opera no setor de telecomunicações ofertando serviços de telefonia móvel, fixa, internet 4G e ultrabanda larga fixa — para algumas regiões do país.

Com o seu DNA de inovação e transformação, a empresa foi pioneira no serviço de transmissão de dados e voz, sendo líder de cobertura 4G. Em 2019, a empresa foi responsável por inaugurar os testes e implementação de tecnologias 5G, em um projeto intitulado “Living Lab TIM”.

Utilizando tecnologia de ponta e centros de referência, a empresa realizou diversos testes para nova tecnologia de acesso à internet através de dispositivos móveis. Assim, sendo mais uma vez pioneira em um modelo de negócio promissor.

Através dos seus projetos de fortalecimento de novas tecnologias, a TIM garantiu que 3200 municípios pudessem ter acesso à Internet das Coisas (IoT). Isso significa maior eficiência operacional, produtividade e novas experiências de consumidores e modelos de negócios tanto para grandes centros quanto para municípios de regiões afastadas.

A “Internet das Coisas” se trata de uma plataforma que promete revolucionar a tecnologia como a conhecemos, com o principal objetivo de conectar diferentes objetos do mundo físico e digital. Ao alcançar essa abrangência, a companhia se tornou mais uma vez pioneira no desenvolvimento de novas soluções.

Produtos

Concorrentes

Responsável pela maior cobertura 4G do país, a TIM apresenta um crescimento patrimonial significativo nos últimos anos. Com suas contas equilibradas e receitas estabilizadas, a TIM está entre as maiores empresas de telecomunicação no Brasil. Contudo, o primeiro semestre de 2020 teve uma queda de rendimento acentuada, afinal, apresentou ganhos de apenas R$ 422 milhões, contra R$ 2,1 bilhão no mesmo período de 2019.

Conheça os resultados das suas principais concorrentes de mercado: Oi e Telefônica (Vivo).

Oi

Desde 2016 a Oi vem enfrentando uma recuperação judicial. Entretanto, a empresa ainda tem se demonstrado um ativo interessante para diversos investidores, sobretudo nos últimos meses — apesar das incertezas a longo prazo.

No final do primeiro semestre de 2020, a dívida líquida da companhia era de cerca de R$ 60 bilhões. Além disso, desde 2015 os resultados da Oi são negativos, salvo em 2018, quando apresentou lucro. 

Apesar de indicadores ruins, muitos investidores ainda apostam na reestruturação da companhia, que apenas no primeiro semestre de 2020 teve um resultado negativo de aproximadamente R$ 10 bi.

Telefônica (Vivo)

Quando comparada às suas demais concorrentes, a Telefônica apresenta resultados melhores, principalmente em relação ao seu patrimônio. Enquanto a Telefônica conquistou cerca de R$ 69 bilhões em patrimônio até metade do ano passado, a TIM teve R$ 22 milhões e a Oi, apenas R$ 8 bi.

O market share das empresas também apresentam números discrepantes no segmento de telefonia móvel. Isso porque a Telefônica lidera o mercado com 33,60%, contra 22,41% da TIM, de acordo com balanço do terceiro trimestre de 2020.

Gráfico de ações da TIM

A ação TIMS3 valorizou 19,33% nos últimos 12 meses, enquanto o Ibovespa acumula uma queda de -5,32% no mesmo período.

Dividendos da TIM

Em via de regra, os dividendos pagos pela TIM correspondem a 25% dos lucros obtidos pela companhia. Isso significa que todos os sócios, acionistas e investidores têm direito a sua parcela correspondente ao lote de ações ordinárias na data de distribuição dos proventos.

Por isso, esse tipo de ação é mais recomendada para investidores que não se preocupam com as oscilações do mercado, e pretendem investir na empresa por períodos mais longos. Nesses casos, é muito comum que o valor pago seja utilizado para reinvestimento na compra de novas ações.

Confira, a seguir, o histórico de dividendos pagos pela TIM (TIMS3) nos últimos cinco anos:

Fonte: Site da empresa

Como investir na TIM (TIMS3)

Assim como qualquer outra companhia de capital aberto, a TIM (TIMS3) negocia suas ações na Bolsa de Valores do Brasil, a B3. Toda negociação é realizada em ambiente virtual, chamado home broker e, portanto, não conta com a intermediação ou intervenção humana.

Sendo assim, para negociar as ações da TIM, o interessado deve abrir uma conta em uma corretora de valores, acessar a sua plataforma de negociação, escolher os papéis que deseja adicionar à sua carteira de investimentos e solicitar a ordem de compras.

Também é possível negociar a compra e venda de ações da TIM na bolsa de valores de Nova York, por meio do ticker TSU. Portanto, o investidor pode acumular recursos financeiros, criando um patrimônio maior tanto com o recebimento de dividendos, quanto fazendo a negociação de ativos em curto prazo.

Vale a pena investir na TIM?

Como você pode perceber ao longo deste artigo, a TIM Participações S.A é uma empresa muito sólida e consistente no setor de telecomunicações. Líder em cobertura de transmissão de dados pela internet, também é uma das principais fornecedoras de redes móveis e fixas do mercado brasileiro.

De excelente infraestrutura, a companhia conta com uma margem operacional acima das demais. Por outro lado, o segmento é marcado pela forte presença de seus concorrentes e a empresa larga em desvantagem quando o assunto é a oferta de banda larga fixa.

Em contrapartida, sua solidez credencia a TIM como uma excelente oportunidade de investimentos a longo prazo, sobretudo porque a empresa pode se fortalecer com oportunidades específicas do mercado.

Portanto, para ter uma decisão mais segura e acertada, é de fundamental importância compreender de fato como o mercado se comporta. A dica aqui é ficar de olho em seu histórico financeiro, oportunidades de crescimento futuro e fazer uma análise minuciosa de seus fundamentos. Além é claro de observar seu perfil de investidor e seus objetivos.

Gostou das informações que trouxemos através deste artigo? Caso tenha ficado alguma dúvida sobre as ações da empresa na Bolsa de Valores, deixe um comentário na caixinha de diálogo logo abaixo.

Imagem do autor

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Visualizar Comentários

Renda Variável
Renda Variável
Renda Variável
Renda Variável
Veja mais Ver mais