Logo Mais Retorno
Mercado Financeiro

Mercado ao vivo: confira a Bolsa e o dólar nesta quinta-feira, 10 de março

Falta de entendimento entre Rússia e Ucrânia impacta no preço do petróleo e investidores repercutem dados econômicos globais

Data de publicação:10/03/2022 às 11:11 -
Atualizado 2 meses atrás
Compartilhe:
  • Facebook
  • Linkedin
  • Twitter Mais Retorno
  • Telegram Mais Retorno
  • WhatsApp Mais Retorno
  • Email Mais Retorno

Após fechar em alta de mais de 2% no dia anterior, a Bolsa opera no terreno negativo nesta quinta-feira, 10, seguindo na esteira das bolsas internacionais. Às 14h47, o Ibovespa recuava 1,13%, aos 112.607 pontos, e o dólar subia 0,78%, cotado a R$ 5,050.

O dia é marcado por vários temas importantes que tomam conta da agenda dos investidores, como os desdobramentos da guerra entre Rússia e Ucrânia, inflação americana, decisão de taxa de juros do Banco Central Europeu (BCE) e retorno do avanço do preço do petróleo - fatores que aumentam a cautela nos ativos de risco.

Mercado ao vivo: confira a Bolsa e o dólar nesta quinta-feira, 10 de março
Após tombo no dia anterior, preço do petróleo volta a subir com falta de entendimento para um cessar-fogo entre Rússia e Ucrânia -Foto: Envato

Após o tombo da véspera, o preço do barril do petróleo voltou a subir nesta quinta-feira, com mais uma tentativa de entendimento sem sucesso entre Rússia e Ucrânia para um cessar-fogo. A nova alta no preço da commodity influencia no comportamento das ações das petroleiras. Às 14h46, Petrobras valorizava 3,75%, após também ter anunciado reajuste no preço dos combustíveis. Porém, esse cenário positivo não está sendo suficiente para trazer o Ibovespa para o azul.

Uma das grandes preocupações do mercado sobre essa elevação de preços é a pressão sobre a inflação global. Nos Estados Unidos, o índice de preços ao consumidor de fevereiro subiu 0,8% em fevereiro, segundo dados divulgados pelo Departamento do Trabalho. O núcleo da inflação, que exclui alimentos e energia, teve alta de 0,5%. Ambos os resultados vieram em linha com o esperado pelos analistas.

O mercado redobra a atenção no CPI pois esse indicador é o preferido do Federal Reserve (Fed, o banco central americano) para conduzir sua política monetária.

Por lá ainda, a Câmara dos Representantes bateu o martelo para o projeto de lei que bloqueia importações de petróleo da Rússia, após decisão anunciada pelo presidente Joe Biden. Além de banir importações de petróleo russo, o projeto exige que o Representante do Comércio dos EUA encoraje outros membros da Organização Mundial do Comércio (OMC) a suspender concessões comerciais à Rússia e tomar providências para suspender Moscou do órgão.

Bolsas americanas/principais índices

  • S&P 500: -1,30%
  • Dow Jones: -1,14%
  • Nasdaq 100: -2,05% (dados atualizados às 14h50)

Na Europa, as bolsas fecharam em forte queda, impactadas pelo retorno da elevação do petróleo no mercado internacional. Além disso, os investidores repercutem a postura do Banco Central Europeu (BCE), que informou, via comunicado, a manutenção da taxa de juros do bloco.

Mas com o avanço da inflação, a 5,8% em fevereiro, a autoridade monetária irá acelerar a redução do programa de estímulos monetários, apontando um norte de conclusão dessa movimentação para o terceiro trimestre de 2022.

Bolsas europeias/principais índices

  • Stoxx 600 (Europa): -1,69% (427,12 pontos)
  • DAX (Frankfurt): -2,93% (13.442 pontos)
  • FTSE 100 (Londres):-1,27% (7.099 pontos)
  • CAC 40 (Paris): -2,83% (6.207 pontos)

Juros futuros

O tom mais defensivo no exterior por causa da guerra na Ucrânia coloca os juros futuros em alta na manhã desta quinta-feira, em sintonia com o dólar e petróleo.

Às 14h40, a taxa do contrato de depósito interfinanceiro (DI) para janeiro de 2027 subia a 12,22%, de 12,14% na abertura. O DI para janeiro de 2025 subia para 12,37%, de 12,22%. Na ponta curta, o DI para janeiro de 2023 marcava 13,03%.

Sobe e desce da Bolsa

Maiores altas

Petrobras (PETR4)+3,75%
Petrobras (PETR3)+2,80%
Qualicorp (QUAL3)+3,02%
Dexco (DXCO3)+2,65%
Suzano (SUZB3)+2,30%

Maiores baixas

Embraer (EMBR3)-14,93%
Natura&Co (NTCO3) -11,47%
Banco Inter (BIDI11) -8,49%
Via (VIIA3)-6,16%
Magazine Luiza (MGLU3)-5,62%
Fonte: B3 (dados atualizados às 14h46)

Ambiente doméstico: dados econômicos no radar

No cenário interno, a pauta dos investidores se divide entre os desdobramentos da guerra entre Rússia e Ucrânia, dados econômicos internacionais e locais. Por aqui, o IBGE divulgou durante a manhã que as vendas do varejo subiram 0,8% em janeiro ante dezembro, acima da mediana do mercado de 0,3%. Porém, no resultado final de 2021, as vendas caíram 1,9% ante o ano anterior.

Ainda no âmbito econômico, o Ministério do Trabalho e previdência divulgou os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), que apontou a criação de 2,747 milhões de vagas em 2021 e o mercado formal abriu 2022 com um saldo positivo de 155.178 carteiras assinadas em janeiro.

O mercado financeiro já esperava um novo avanço no emprego no mês, e o resultado veio dentro do intervalo das estimativas de analistas, com projeções de abertura líquida de 76.000 a 367.470 vagas em janeiro, com mediana positiva de 150.000 postos de trabalho.

Bolsas asiáticas fecham em alta

As bolsas asiáticas fecharam em alta nesta quinta-feira, à medida que Wall Street se recuperou com vigor e os preços do petróleo sofreram um tombo na véspera, em meio a sinais de que a Ucrânia quer uma solução diplomática para o conflito com a Rússia. / com Tom Morooka e Agência Estado

Bolsas asiáticas/fechamento

  • Nikkei (Tóquio): +3,94% (25.690 pontos - maior patamar desde junho de 2020)
  • Kospi (Seul): +2,21% (2.680 pontos)
  • Hang Seng (Hong Kong): +1,27% (20.890 pontos)
  • Taiex (Taiwan): +2,46% (17.433 pontos)
  • Xangai Composto (China continental): +1,22% (3.296 pontos)
  • Shenzhen Composto (China continental): +2,12% (2.160 pontos)
  • S&P/ASX 200 (Sydney): +1,10% (7.130 pontos)
Sobre o autor
Julia Zillig
Repórter do Portal Mais Retorno.