Logo Mais Retorno
Renda Variável

Criptomoedas seguem em queda nesta segunda-feira, 25, com investidores avessos ao risco

Bitcoin se mantém no patamar dos US$ 38.000, mas especialistas apontam que nos próximos meses pode chegar a US$ 30.000

Data de publicação:25/04/2022 às 09:34 -
Atualizado 22 dias atrás
Compartilhe:
  • Facebook
  • Linkedin
  • Twitter Mais Retorno
  • Telegram Mais Retorno
  • WhatsApp Mais Retorno
  • Email Mais Retorno

Boa parte das principais criptomoedas operam em queda nesta segunda-feira, 25, mantendo o ritmo negativo do fim da semana anterior. O bitcoin, por exemplo, se mantém no patamar dos US$ 38.000. Às 8h33, caía 2,29%, cotado a US$ 38,699.

Criptomoedas seguem em queda nesta segunda-feira, 25, com investidores avessos ao risco
Bitcoin segue em queda e se mantém no patamar dos US$ 38.000 - Foto: Envato

Segundo especialistas, a queda se deu, em grande parte, por conta das declarações do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), de que uma alta de 0,50 ponto porcentual está na mesa para ser aplicada na taxa de juros na próxima reunião do Fomc (Copom americano) no início de maio, para tentar conter a inflação, considerada a maior nos últimos 40 anos.

Além da questão do Fed, pesam ainda sobre as criptomoedas os riscos geopolíticos, por conta da guerra na Ucrânia, que segue em curso e sem um horizonte de um acordo de cessar-fogo com a Rússia, e a queda nas bolsas de valores mundiais nos últimos dias.

O S&P 500, um dos índices mais importantes das bolsas americanas, encerrou o pregão da última sexta-feira, 22, em queda de 2,74%.

Confira a movimentação das principais criptomoedas nesta segunda-feira, 25

Nome TickerMovimentaçãoCotação em US$
BitcoinBTC-1,96%38.828
EthereumETH-2,74%2.857
BinanceBNB-2,50%1.879
Solana SOL-4,48%464,23
CardanoADA-3,59%0,856
AvalancheAVAX-3,93%69,73
Dados atualizados às 9h05

Queda pode ser ainda maior nos próximos meses

Desde o início de abril – com dados até o dia 18 – o mercado de criptomoedas como um todo perdeu quase US$ 400 bilhões (cerca de R$ 1,8 trilhão), incluindo as dez principais criptomoedas, incluindo a BNB, da Binance, XRP, da Ripple, além da solana, cardano, luna e avalanche, de acordo com reportagem da Forbes.

De acordo com Ayron Ferreira, head researcher da Titanium Asset, para o curto prazo as quedas do bitcoin podem ser ainda mais acentuadas. Analistas alertam que um “desastre nos mercados financeiros” poderia empurrar o bitcoin para menos de US$ 30 mil (R$ 141 mil).

A mesma perspectiva é reforçada por Arthur Hayes, confundador da exchange de criptomoedas BitMEX, segundo a Bloomberg. O especialista revelou que teme que o preço do bitcoin caia para US$ 30 mil nos próximos dois meses e que o preço do ethereum chegue a US$ 2.500 (R$ 11,7 mil).

Em seu blog, Hayes escreveu que “o bitcoin e ethereum chegarão ao fundo do poço bem antes que o Fed afrouxe sua política monetária”, acrescentando que aposta em um “crash” nos preço das criptomoedas até, no máximo, o mês de junho.

Longo prazo: perspectivas mais otimistas

No entanto, para o longo prazo, Ferreira segue otimista quanto à tese de valor do bitcoin, com o aumento da adoção tanto dos investidores institucionais quanto do varejo.

"Ainda é um mercado novo que tende a atrair uma grande quantidade de investidores adquirindo criptomoedas. Porém, há temos países aprovando o bitcoin como uma moeda legal, além de novas leis que tornam o mercado mais profissional e maduro", destaca.

Sobre o autor
Julia Zillig
Repórter do Portal Mais Retorno.