Renda Variável

As ações da maior plataforma de negociação de criptomoedas dos Estados Unidos, a Coinbase Global, começam a ser negociadas nesta quarta-feira,14, na Nasdaq, e prometem bater recordes. Alguns agentes do mercado acreditam na possibilidade de a precificação inicial da companhia superar os US$104 bilhões, valor em que o Facebook foi avaliado em 2012, quando fez seu IPO (Oferta Pública Inicial de ações, na sigla em inglês)

Apesar da euforia, a atual avaliação da Coinbase nos mercados privados é de US$ 68 bilhões. Com 56 milhões de usuários, dos quais 13 milhões cadastraram-se entre janeiro e março deste ano, a empresa registrou receita de US$ 1,14 bilhão em 2020, 139% a mais do que em 2019. Seus serviços estão disponíveis em 100 países, o que, somado ao número expressivo de clientes cadastrados, garante à companhia o maior ecossistema de investimentos em criptomoedas

Em balancete referente ao primeiro trimestre de 2021, a empresa estima lucro entre  US$ 730 milhões a US$ 800 milhões, sobre uma receita de cerca de US$ 1,8 bilhão. Os valores são nove vezes maiores em relação aos apresentados nos últimos três meses do ano passado. 

Ainda segundo dados do primeiro trimestre de 2021, o número de usuários com frequência mensal mais do que dobrou: saiu de 2,8 milhões para 6,1 milhões, um aumento de 118%. Neste período, negociaram US$ 335 bilhões em criptomoedas e acumularam US$ 223 bilhões em suas contas.

O sucesso da companhia, no entanto, é incerto, já que está suscetível à alta volatilidade das criptomoedas e tem 96% de suas receitas associadas à cobrança de taxas de 0,5% pelas transações efetuadas por meio da plataforma. 

A empresa adotou meio alternativo de listagem

Na contramão da maior parte das empresas que decidem negociar suas ações em bolsa, a Coinbase não optou por conduzir este processo por intermédio de uma instituição financeira. Por isso, ainda não se sabe quantos papéis estarão disponíveis para negociação e nem a que preço serão vendidos no início do pregão.

Geralmente as companhias abrem capital com auxílio de bancos de investimentos, responsáveis por precificar os ativos e fazer conexões com potenciais compradores. Estes serviços costumam custar entre 3,5% e 7% dos valores desembolsados para a realização do IPO. 

Além da economia, o modelo escolhido apresenta uma vantagem: permite a quem já possui ações da companhia negociá-las imediatamente após a oficialização da listagem. Desta forma, executivos da empresa podem lucrar com parte de seus investimentos e aproveitar eventual valorização dos papéis provocados por investidores eufóricos com a abertura de capital. Em processos de IPO convencionais, esta prática é proibida. 

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Veja mais Ver mais