Logo Mais Retorno
criptomoedas
Renda Variável

Crise na FTX castigou os criptoativos em novembro: bitcoin caiu 15%; ether, 17%

Apenas duas criptomoedas encerraram o mês no campo positivo: litecoin e polygon; veja ranking

Data de publicação:07/12/2022 às 08:00 -
Atualizado 2 meses atrás
Compartilhe:

O escândalo envolvendo a corretora FTX impactou negativamente o mercado de criptoativos em novembro, apenas duas moedas digitais fecharam o mês no azul. O bitcoin (BTC), a criptomoeda mais popular do mercado, desvalorizou-se 15,63% em reais, no mês, e o ether (ETH) recuou 17,10%. Os dados são de levantamento feito pela QR Asset Management.

O litecoin (LTC) apresentou o melhor desempenho. Liderou a valorização, com uma variação positiva de 44,96% no período. Historicamente, o litecoin costuma subir com força em fins de grandes ciclos do mercado – tanto em movimentos cíclicos de alta quanto nos de baixa, avalia Theodoro Fleury, gestor da QR Asset.

criptoativos rússia CVM
Apenas dois criptoativos fecharam o mês no azul - Foto: Reprodução

Outro fator, além do cíclico, pode ter impulsionado a valorização do LTC. Em 2023, está previsto o halving do litecoin, evento que chega com a perspectiva de cortar à metade a oferta de novas moedas.

A possibilidade de redução de oferta pode estar levando os investidores a antecipar compras do litcoin, movidos pela expectativa de que a possível escassez do ativo tenha impacto positivo, altista, sobre os preços.

Melhores desempenhos 

criptomoedasímbolovariação
litecoinLTC44,96%
polygonMATIC4,13%
bitcoin cashBCH-0,71%
chainlinkLINK-1,64%
moneroXMR-4,30%

Maiores quedas

criptomoedasímbolovariação
solanaSOL-56,22%
near protocolNEAR-44,13%
cronosCRO-42,38%
flowFLOW-31,95%
the sandboxSAND-31,69%

O halving é um evento periódico programado de uma blockchain que reduz o prêmio dos mineradores de uma criptomoeda, diminuindo consequentemente a oferta de ativos no mercado.

Em segundo lugar, na contramão do mercado como um todo, mas a uma ampla distância de valorização em relação ao primeiro colocado, ficou o polygon (MATIC), com alta de 4,13%. O protocolo segue beneficiando-se das iniciativas do ethereum de aumentar a escalabilidade da rede via soluções de segunda camada.

Ademais, a rede Polygon, de acordo com a análise da QR Asset, tem sido a principal escolha de players de peso, como Starbucks, Reddit e Meta, como plataforma de lançamento e venda de NFTs associados a suas marcas.

A Polygon foi também, de acordo com um relatório publicado pela Messari, a rede de blockchain que registrou maior aumento porcentual de vendas de NFT em outubro, contribuindo com a performance acima da média dos tokens em novembro – a NFT é um token não fungível que, em geral, representa algo único e garante propriedade digital de algum ativo (arte, documento, etc.).

O bitcoin cash (BCH) tem em geral uma alta correlação com o litecoin (LTC). Daí por que seu desempenho acima da média seria consequência provavelmente da forte valorização de LTC no mês.

Já o chainLink tem performado melhor que a média do mercado movido pela expectativa de que um possível staking de seus tokens seja anunciado brevemente. O staking consiste no depósito de um token em um protocolo para receber juros na forma de mais tokens.

A coluna de desempenho negativo foi ocupada por tokens associados ao desmoronamento de todo o ecossistema ligado às empresas FTX e Alameda.

O pior resultado do mês foi solana (SOL), com queda de 56,28%. O token, grande aposta da Alameda, foi penalizado pela necessidade da empresa e demais fundos de zerar posições líquidas para cobrir o rombo gerado pela exposição ao ecossistema FTX.

Enquadram-se nessa categoria também os tokens flow (FLOW) e near protocol (NEAR), que eram grandes posições da Alameda e do fundo de VC Multicoin. Com cerca de 15% de seus ativos presos na Exchange FTX, o VC Multicoin teve de vender ativos a qualquer preço para compensar perdas.

O cronos (CRO), token nativo da blockchain Cronos, associada à corretora Crypto.com, está entre os destaques de queda, pelo temor de que a Exchange também possa estar em dificuldades de liquidez, após a crise de confiança desencadeada com o caso FTX.

Critérios para o levantamento

A QR Asset Management adotou alguns critérios de corte para a seleção das criptomoedas incluídas no levantamento. Foram analisadas as top 40 moedas por capitalização de mercado de acordo com Messari.io e considerado qualquer ativo que começou ou terminou o mês no top 40. Ao longo da análise, foram deixados fora, ainda, os ativos com valor de mercado abaixo de um bilhão de dólares no início do mês. 

Leia mais:

 

Sobre o autor
Tom Morooka
Colaborador do Portal Mais Retorno.

Inscreva-se em nossa newsletter