Logo Mais Retorno
Mercado Financeiro

Bolsa fecha com alta de 0,81%, com commodities e bancos; dólar subiu 0,29%

Fluxo de capital estrangeiro ainda é forte em busca das blue chips

Data de publicação:10/02/2022 às 19:04 -
Atualizado 3 meses atrás
Compartilhe:
  • Facebook
  • Linkedin
  • Twitter Mais Retorno
  • Telegram Mais Retorno
  • WhatsApp Mais Retorno
  • Email Mais Retorno

A Bolsa de Valores, a B3, fechou em alta de 0,81% aos 113.367 pontos, e o dólar também subiu, 0,29%, e ficou cotado a R$ 5,24 no fim do dia.

O principal evento do dia foi a divulgação da inflação americana de janeiro, com o índice de preços ao consumidor, o CPI subindo 0,6% e acumulando uma alta de 7,5% em 12 meses, maior nível desde 1982.

bolsa
Bolsa sobe com fluxo de capital estrangeiro ainda forte - Foto: Reprodução

Um dado que veio acima das expectativas, explica Rodrigo Moliterno head de Renda Variável da Veedha Investimentos, e que levou a uma queda das bolsas em Nova York. A bolsa brasileira, no entanto, operou descolada do exterior e trafegou pelo terreno positivo durante o dia.

André Chade, sócio-fundador da Turing Investimentos, diz que essa inflação dos EUA mais pressionada se traduz em aumento mais rápido e mais prolongado dos juros americanos. Essa perspectiva, que já vem castigando o mercado de ações se tornou mais evidente nos negócios de hoje com a divulgação da inflação de curto prazo levando a um movimento de realização de lucros mais forte e queda nas bolsas de Nova York.

O índice Nasdaq fechou com queda de 0,86%, o Dow Jones, de 1,47%, e o S&P 500, de 1,81%. Resultado também, segundo Eduardo Teles, especialista em Renda Variável da Blue3, da fala do dirigente do Fed, James Bullard, defendendo um aperto monetário mais acentuado. para combater o avanço da inflação.

Segundo Chade, os dados da inflação vem movimentando as bolsas nesses dois últimos dias, com a diferença de que aqui, a inflação medida pelo IPCA e divulgada ontem pelo IBGE, de 0,54% em janeiro, veio em linha com o esperado, sem afetar o mercado. Ao contrário, a trajetória de alta dos juros iniciado há um ano já vem sendo precificado nos ativos.

Bolsa descola do exterior com fluxo comprador

Os papeis com preços descontados na B3 continuam atraindo o capital estrangeiro e a entrada tem sido por meio das blue chips, as mais negociadas em pregão, ressalta Flávio Oliveira , head de Renda Variável da Zahl Investimentos. O fluxo foi claramente comprador em papéis de bancos, que sofreram no dia anterior com os resultados de Bradesco que não agradaram ao mercado, e de commodities, com Vale e Petrobras.

Kaue Franklin, especialista em Renda Variável do Grupo Aplix, ressalta que o forte aumento do minério de ferro no mercado internacional ajudou a mineradora. As ações de Vale fecharam com alta de 2,69%. Essa entrada mais firme do investidor estrangeiro, segundo o especialista, vem deprimindo os preços do dólar que hoje fecharam com pequena alta de 0,29%.

Franklin lembra de mais dois fatores que chegaram a mexer com o mercado nesta quinta-feira: a divulgação dos pedidos de seguro desemprego nos EUA, que vieram melhor do que o esperado, 223 mil ante a expectativa de 230 mil, indicando um reação positiva da economia americana; e também a fala enigmática do presidente Bolsonaro de que "nos próximos dias algo vai acontecer no Brasil que vai nos salvar", sem dar sinalizações do que isso poderia significar, causando algum tumulto entre os operadores.

Petrobras apresentou valorização de 1,53% no encerramento dos negócios e não foi só, Moliterno ressalta que vários setores foram bem nas negociações desta quinta-feira, como os bancos, Itaú subiu 1,91% com expctativas em relação à divulgação de seu balanço na noite desta quinta-feira. Tiveram desempenho positivo ainda, os setores de serviços financeiros, bens de consumo e materiais, sendo que o de tecnologia e comunicação se apresentou mais fraco e destoou dos demais.

Sobre o autor
Regina Pitoscia
Editora do Portal Mais Retorno.