Logo Mais Retorno
Bolsa
Mercado Financeiro

Mercado ao vivo: confira a Bolsa e o dólar nesta quinta-feira, 10 de fevereiro

Investidores adotam posição de cautela com dados da economia dos EUA

Data de publicação:10/02/2022 às 11:18 -
Atualizado 8 meses atrás
Compartilhe:

A Bolsa opera volátil nesta quinta-feira, 10. Após abrir em alta, mudou o sinal e passou a cair com os dados da inflação americana acima do esperado. Pouco tempo depois, voltou a subir, impulsionada pelo avanço das ações das gigantes do setor de commodities, como Petrobras e Vale, que avançam mais de 2% no pregão, refletindo o dia positivo para o petróleo e minério de ferro lá fora.

Às 16h42, o Ibovespa subia 1,03%, retornando aos 113 mil pontos - 113.621. Já o dólar registrava alta residual de 0,04%, cotado a R$ 5,229.

Mercado ao vivo: confira a Bolsa e o dólar nesta quinta-feira, 10 de fevereiro
Após a divulgação dos dados da inflação americana, Bolsa chegou a registrar queda, mas voltou a subir em seguida - Foto: Envato

O Departamento do Trabalho americano divulgou que o índice de preços ao consumidor no país (CPI, na sigla em inglês) avançou 0,6% em janeiro ante o mês anterior. O núcleo da inflação, que exclui aumentos e energia, também subiu 0,6% no mês.

Os números vieram acima do projetado pelo mercado, que eram de alta de 0,4% para o CPI e de 0,5% para o núcleo de inflação.

Na comparação anual, a inflação subiu 7,5%, ainda acima do esperado, que era de alta de 7,3%. Esse é o maior avanço anual desde fevereiro de 1982.

Com os resultados, os futuros americanos, que até então estavam operando em leve alta, viraram o sinal e passaram a registrar queda acentuada. Após a abertura do pregão do dia, os principais índices seguem na mesma toada negativa.

Principais índices/bolsas americanas

  • S&P 500:  -0,32%
  • Dow Jones: -0,21%
  • Nasdaq 100: -0,56% (dados atualizados às 14h39)

Segundo alguns analistas, com sinais claros de que a inflação segue avançando, o Federal Reserve (Fed, o banco central americano) pode apertar ainda mais o ciclo de alta de juros, podendo aplicar um ajuste de 0,50 ponto porcentual - ao invés de 0,25, já precificado anteriormente - na próxima reunião do Fomc (Copom americano) em março.

Os próximos meses serão decisivos para calibrar a altura da Selic no fim deste ciclo de alta. "Em especial, está em aberto o quão poderosa será a alta de juros nos Estados Unidos para atrair dólares e elevar preços em reais", avalia Filipe Teixeira, sócio da Wisir Research.

Setor de serviços recupera perdas de 2020

Durante a manhã, o IBGE divulgou que o setor de serviços cresceu 10,9% em 2021, após ter recuado 7,8% em 2020. Segundo o instituto, essa foi a maior taxa para um fechamento de ano desde o início da série histórica em 2012.

Na comparação de dezembro de 2021 ante o mês anterior, a atividade expandiu 1,4%, contabilizando o segundo mês de alta, acumulando avanço de 4,1%.

Os números mensal e anual vieram em linha com as expectativas do mercado. Segundo projeções do BTG Pactual, a aposta era de um avanço mensal de 0,30% e alta ano a ano de 8,90%.

Com esse resultado, que aponta indícios da retomada econômica do país, algumas casas de análise já estão revendo suas estimativas para o PIB de 2021. Segundo a Ativa Investimentos, o número mais forte de serviços impulsionou à elevação da perspectiva do PIB de 4,6% para 4,7%.

Juros futuros

Os juros futuros operam perto da estabilidade, com viés de alta, mostrando efeito limitado do dado de serviços. O mercado agora espera leilão de LTN e NTN-F do Tesouro, que acontece a partir das 11h.

Por volta das 14h30 , a taxa do contrato de depósito interfinanceiro (DI) para janeiro de 2023 estava em 12,31%, de 12,25% na abertura. O DI para janeiro de 2025 marcava 11,30%, ante 11,19%, e o vencimento para janeiro de 2027 exibia taxa de 11,29%, de 11,20%.

Sobe e desce na Bolsa

Maiores altas

Via (VIIA3)+6,19%
3R Petroleum (RRRP3)+5,00%
Magazine Luiza (MGLU3)+4,09%
Azul (AZUL4)+3,91%
Qualicorp (QUAL3)+3,34%
Fonte: B3

Maiores baixas

Suzano (SUZB3)-4,29%
Méliuz (CASH3)-3,38%
Klabin (KLBN11)-2,64%
Vivo/Telefônica (VIVT3)-2,04%
Totvs (TOTS3)-2,00%
Fonte: B3 (dados atualizados às 14h44 )

Balanços trimestrais em andamento

Após o Bradesco e o Santander apresentarem seus lucros trimestrais, nesta quinta-feira o Itaú traz seus números referentes aos meses de outubro, novembro e dezembro de 2021, além do fechamento do ano. O mercado aguarda com expectativa os dados do maior banco do Brasil, já que no dia anterior os resultados do Bradesco frustraram os investidores. A divulgação será feita após o fechamento do pregão da Bolsa.

Também nesta quinta-feira, a Vale apresenta suas prévias operacionais de produção de minério de ferro, níquel e pelotas.

Exterior

Bolsas europeias fecham mistas

No continente europeu, em dia de agenda esvaziada, as bolsas fecharam mistas, com os dados da inflação americana de janeiro.

Sobre a inflação na zona do euro, o economista-chefe do Banco Central Europeu (BCE), Philip Lane, projetou nesta quinta-feira, 10, que as pressões inflacionárias na zona do euro devem arrefecer sem a necessidade de ajustes significativos na política monetária. A avaliação consta em artigo publicado no site do BCE, que ele repercutiu durante evento virtual nesta quinta-feira.

O dirigente justificou a análise com o fato de que a recente escalada da inflação é resultado de gargalos na cadeia produtiva, que eventualmente serão solucionados. "Como a política monetária orienta a demanda doméstica, um aperto da política monetária em reação a um choque de oferta externa significaria que a economia seria confrontada simultaneamente com dois choques adversos", destacou.

Lane pontuou que os desvios de preços associados aos desequilíbrios na oferta são intrinsecamente de curto prazo. De acordo com ele, a alta dos preços de um produto escasso induzirá a criação de nova oferta, o que eventualmente colocará pressão sobre os preços. "Por essas razões, os aumentos iniciais nos preços relativos das categorias que tiveram alta demanda e/ou baixa oferta podem se estabilizar ou até reverter", acrescentou.

Bolsas europeias/fechamento

  • Stoxx 600 (Europa): -0,20% (472,36 pontos)
  • FTSE 100 (Londres): +0,38% (7.672 pontos)
  • DAX (Frankfurt): +0,05% (15.490 pontos)
  • CAC 40 (Paris): - 0,41% (7.101 pontos)

Bolsas asiáticas fecham em alta

As bolsas na Ásia fecharam na maioria em alta nesta quinta-feira, após os sólidos ganhos de Wall Street na véspera e expectativas sobre novos dados da inflação americana. / com Tom Morooka e Agência Estado

Fechamento/bolsas asiáticas

Nikkei (Tóquio): +0,42% (27.696 pontos)
Hang Seng (Hong Kong): +0,38% (24.924 pontos)
Kospi (Seul): +0,11% (2.771 pontos)
Xangai Composto (China continental): +0,17% (3.485 pontos)
Shenzhen Composto (China continental): -0,64% (2.302 pontos)
S&P/ASX 200 (Sydney): +0,28% (7.288 pontos)

Sobre o autor
Mais Retorno
A Mais Retorno é um portal completo sobre o mercado financeiro, com notícias diárias sobre tudo o que acontece na economia, nos investimentos e no mundo. Além de produzir colunas semanais, termos sobre o mercado e disponibilizar uma ferramenta exclusiva sobre os fundos de investimentos, com mais de 35 mil opções é possível realizar analises detalhadas através de índices, indicadores, rentabilidade histórica, composição do fundo, quantidade de cotistas e muito mais!

Inscreva-se em nossa newsletter