Logo Mais Retorno
Mercado Financeiro

Em semana de véspera de Natal, Bolsa cai 2,15% e dólar tem leve baixa de 0,36%

No radar dos investidores nesta quinta, a inflação no Brasil e nos EUA

Data de publicação:23/12/2021 às 18:49 -
Atualizado 8 meses atrás
Compartilhe:

Em uma semana de volume de negociações bem abaixo da média, fator característico das últimas semanas do ano, a Bolsa de Valores caiu 2,15% em relação ao fechamento da última sexta-feira. Nesta quinta, 23, antevéspera do Natal e último pregão da semana, o Ibovespa recuou 0,33%, aos 104.891 pontos, com os investidores repercutindo novos dados de inflação no Brasil e nos Estados Unidos.

Por aqui, o IPCA-15 de dezembro, a prévia oficial da inflação, subiu 0,78%, abaixo das expectativas dos analistas, que esperavam alta de 0,82%. No entanto, com o resultado, o índice acumula a maior alta anual desde 2015, de 10,42%. Com a divulgação dos dados, que sinalizam uma continuação na deterioração do cenário macroeconômico brasileiro, o investidor que opera na especulação preferiu não arriscar e não quis passar o feriado comprado na Bolsa.

Mercado ao vivo: confira a Bolsa e o dólar nesta terça-feira, 21 de dezembro
Foto: Getty Images/iStockphoto

Rafael Ribeiro, analista da Clear Corretora comenta que "levando em conta as projeções do mercado no último relatório Focus para o IPCA no ano em 10%, o resultado revela uma defasagem de expectativa e um ajuste para cima da curva de juros, o que ajuda a explicar a queda do mercado". A curva de juros futuros fechou o dia em alta em todos os contratos, nesta quinta.

Dólar

O dólar viveu um pregão de alta e fechou com valorização de 0,38%, cotado a R$ 5,68. As perspectivas econômicas com a alta da inflação contribuem para que o investidor migre seu patrimônio para a moeda americana, considerada uma moeda segura, contra a escalda dos preços.

Embora o fechamento desta quinto tenha sido com alta, em relação à última sexta-feira a cotação do dólar apontou um leve recuo de 0,36%. A queda foi influenciada pela desvalorização da véspera, quando a moeda americana caiu 1,59% depois da divulgação do Produto Interno Bruto (PIB) dos EUA revisado.

O PIB avançou 2,3% no terceiro trimestre, acima das expectativas doas analistas. Com o dado positivo, o apetite por riscos do investidor estrangeiro aumenta, o que tende a beneficiar as moedas de países emergentes.

Inflação nos Estados Unidos

Nos Estados Unidos a inflação também avançou. O índice de preços dos gastos com consumo (PCE, na sigla em inglês) avançou 0,6% em novembro e em 5,7% na comparação anual, de acordo com dados publicados mais cedo pelo Departamento do Comércio do país.

Os números vieram acima da expectativa dos especialistas, que esperavam uma alta mensal de 0,4% na base mensal e de 4,5% na anual. Por ser o indicador preferido do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), segundo analistas, essa alta pode influenciar os próximo capítulos da política monetária americana. Vale lembrar que o Fed planeja, pelo menos, três altas nos juros em 2022.

Apesar do indicador acima das expectativas, os principais índices do mercado financeiro americano fecharam em alta hoje, acompanhando o bom-humor com as novas notícias à respeito da ômicron, nova variante do coronavírus, que indicam que a cepa é menos grave para a saúde.

Fechamento dos índices americanos

  • S&P 500 fechou com alta de 0,60%;
  • Dow Jones avançou 0,55%;
  • Nasdaq 100 subiu 0,79%.

Ômicron: a cepa tem menor gravidade e novos medicamentos

Pesquisadores na Escócia e no Imperial College London disseram que no Reino Unidos as taxas de hospitalização estão mais baixas entre pessoas com a ômicron. Os novos dados somam-se a um estudo que mostra que os sul-africanos tem 70% menos probabilidade de desenvolver uma versão mais grave da doença e 80% menos probabilidade de serem hospitalizados se contraírem a doença.

Em paralelo, um novo medicamento anti-covid-19 desenvolvido pela Pfizer ganhou liberação para uso de emergência nos Estados Unidos.

Ainda no noticiário da pandemia, a AstraZeneca divulgou nesta quinta-feira que uma análise laboratorial conduzida pela Universidade de Oxford mostrou que sua vacina contra a doença foi eficaz na prevenção a infecções pela ômicron após uma terceira dose, mostrando resultados similares aos observados contra a delta após um regime regular de duas doses.

O dia na Bolsa

Maiores altas do dia na Bolsa

EmpresaCódigoVariação
MarfrigMRFG3+4,17%
EmbraerEMBR3+3,18%
BRFBRFS3+1,98%
MinervaBEEF3+1,54%
IguatemiIGTI11+1,38%
Fonte: B3

Maiores baixas do dia na Bolsa

EmpresaCódigoVariação
MéliuzCASH3-6,34%
GetnetGETT11-5,91%
HapvidaHAPV3-4,16%
IntermédicaGNDI3-3,24%
PetzPETZ3-2,89%
Fonte: B3
Sobre o autor
Bruna Miato
Repórter na Mais Retorno