Logo Mais Retorno
real digital
Renda Variável

Mundo das criptomoedas: conheça as Stablecoins e sua importância

As stablecoins são moedas mais estáveis que acompanham as moedas nacionais como euro, dólar.

Data de publicação:09/03/2022 às 00:10 -
Atualizado 7 meses atrás
Compartilhe:

Nos últimos anos, as criptomoedas se popularizaram bastante. No entanto, a adoção em massa destas moedas digitais traz na esteira riscos aos investidores, com a considerada altíssima volatilidade dos ativos. Com o objetivo de amenizar esses riscos, foram criados os stablecoins.

fundos de criptomoedas
Foto: Reprodução

Os stablecoins são moedas que possuem valor estável, ou seja, ativos com baixíssima volatilidade. 

Diante disso, os investidores e amantes das criptomoedas têm a oportunidade de montar sua carteira e mantê-la equilibrada, garantindo assim proteção em momentos de alta volatilidade.

O que são Stablecoins?

O BIS – Banco de Compensações Internacionais atua como fórum de vários bancos centrais e definiu as regras para vários tipos de serviços como pagamentos, liquidação e compensação. No dia 08 de dezembro de 2021, a Câmara dos Deputados aprovou o Projeto de Lei 2303/15, que estabelece as diretrizes do mercado de criptomoedas e as boas práticas de governança.

Por se tratar de um novo mercado, comparando com os ativos tradicionais, o mercado de criptomoedas tem um obstáculo complexo: a alta volatilidade nos preços do ativo. Para os investidores com perfil arrojado, essa característica é atrativa. No entanto, para o público em geral, isso acaba sendo um problema. Para resolver, as stablecoins surgiram.

As stablecoins oferecem a oportunidade para qualquer pessoa que possua criptomoedas em sua carteira, possa trocar por outros ativos digitais, em que a cotação não sofra tanta variação. Isso ocorre pois as stablecoins são lastreadas em ativos concretos e reais, como moedas nacionais fiduciárias (dólar, euro, etc), petróleo, ouro, entre outros.

Dessa forma, eles vão sempre representar o seu valor real. Por exemplo, a criptomoeda USD Coin (USDC) está atrelada ao dólar americano, ou seja, a cada 1 USDC representa 1 dólar. A principal característica da stablecoin é a estabilidade.

As stablecoins se popularizaram rapidamente, chamando a atenção de diversos países no mundo. A partir daí, foram criadas as CBDCs (Central Bank Digital Currencies), ou seja, Moedas Digitais de Bancos Centrais que são stablecoins emitidas pelos bancos centrais. 

Para entender melhor, toda CBDC é uma stablecoin, pois está atrelada a um ativo real e é estável. Mas nem toda stablecoin é uma CBDC.

A stablecoin ganhou força no mercado financeiro por fornecer o melhor de dois mundos: a privacidade do pagamento digital da criptomoeda e a segurança digital, além da redução de volatilidade, instabilidade das moedas tradicionais fiduciárias e a velocidade no processamento das operações.

Relação entre criptomoedas e stablecoins

A principal diferença entre as criptomoedas como bitcoin, litecoin ou ethereum e as stablecoins é a estabilidade desse último ativo. 

As criptomoedas normais têm alta volatilidade de preço entre a oferta de compra e venda no mercado financeiro. Em contrapartida, as stablecoins possuem valor mais estável, pois seguem o fluxo de moedas reais.

Além disso, as stablecoins conectam o blockchain e o mundo real, mitigando a volatilidade dos preços. Mas, ao mesmo tempo, elas mantêm determinadas características dos bitcoins, como resistência à censura e o fluxo livre de capital. 

Já as stablecoins não têm algoritmo próprio, blockchain própria, nem sistema de mineração para emitir. Essas especificações estão presentes nas outras criptomoedas.

Tipos de stablecoins

Atualmente, há centenas de stablecoins que estão em circulação. A principal é a Tether (USDT), que é atrelada ao dólar norte-americano. Há outras como: Paxos Standart, TrueUSD, USD Coin, Binance USD, DAI etc. Todas elas estão lastreadas em dólar. Mas existem stablecoins lastreadas em outras moedas, commodities e diversos outros ativos.

Há 4 tipos de stablecoins:

Stablecoins commodity-colaterizada

São criptomoedas lastreadas por ativos como imóveis, obras de arte, metais preciosos. Essa moeda vale o equivalente aos ativos que representam. O investidor que compra esse tipo de stablecoin faz pensando no investimento.

Stablecoins centralizadas

São conhecidas como uma stablecoin que tem dono, também chamadas de IOU (I owe you). Nesse tipo, o emissor faz o controle da emissão e a stablecoin representa moedas estatais como euro, dólar. A principal criptomoeda desse modelo é o Tether (USDT).

Stablecoins não-colateralizada

Modelo que não tem lastro, portanto o que mantém o valor da moeda digital estável são algoritmos que devem controlar o número de ativos que estão em circulação. Com isso, eles operam a emissão dos tokens e as vendas, de acordo com a necessidade para manutenção do mesmo preço.

Stablecoins cripto-colateralizada

Este modelo usa um lastro descentralizado, o que torna uma solução para que os investidores confiem no emissor. Elas são lastreadas em criptomoedas com grande volatilidade e descentralizadas, que podem sofrer variações de preço. A principal stablecoin desse modelo é a Dai (DAI).

Vantagens das stablecoins

As stablecoins são muito eficientes no que tange ao mecanismo do pagamento digital. Elas podem ser utilizadas para enviar dinheiro para todo mundo, liquidar pagamentos de forma prática e serem integradas aos aplicativos digitais compatíveis... As vantagens são inúmeras. Confira as principais:

1. Têm segurança criptográfica;

2. Possibilidade de estarem atreladas a quase todo tipo de ativo;

3. Possuem tarifas de transação baixas;

4. Voltadas para pagamentos que atravessam fronteiras de empresas e bancos centrais;

5. Têm apoio dos ativos do mundo real;

6. Têm a possibilidade de transferência rápida;

7. Possibilidade de envio e recebimento por qualquer pessoa, a qualquer hora, e qualquer lugar;

8. Proteção para os investidores e traders em caso de volatilidade do mercado;

9. Possibilidade de serem utilizadas para transações globais.

A importância das stablecoins para economia e o seu futuro

Uma das criptomoedas mais populares do mundo é o Bitcoin. Mas por ter alta volatilidade reduz suas chances de se tornar uma moeda digital no dia a dia, pois uma moeda precisa ser usada como reserva de valor e troca monetária. 

Para isso, o valor precisa ter uma estabilidade relativamente a longo prazo, sem a ocorrência de variações bruscas. E é aqui que as stablecoins ganham mais importância na economia tradicional, pois funcionam como solução para atingir essas características.

Num futuro próximo no universo das criptomoedas, as stablecoins são elementos cruciais, pois se tornam uma “porta de entrada” nesse segmento. Para muitos investidores, é mais fácil investir em ativos que utilizam moedas nacionais como lastro.

Vale a pena investir nas stablecoins?

Como visto acima, as stablecoins representam o primeiro passo para se investir no mercado de criptomoedas, pois elas trazem mais estabilidade para a moeda digital. 

Dessa forma, investir nas stablecoins pode ser uma alternativa interessante de caixa para protocolos de finanças que são descentralizadas e para smart-contracts. 

Mas muitos especialistas acreditam que vale muito mais a pena investir na própria moeda do que sua stabelecoin. Tudo vai depender do propósito e do perfil do investidor.

Sobre o autor
Mais Retorno
A Mais Retorno é um portal completo sobre o mercado financeiro, com notícias diárias sobre tudo o que acontece na economia, nos investimentos e no mundo. Além de produzir colunas semanais, termos sobre o mercado e disponibilizar uma ferramenta exclusiva sobre os fundos de investimentos, com mais de 35 mil opções é possível realizar analises detalhadas através de índices, indicadores, rentabilidade histórica, composição do fundo, quantidade de cotistas e muito mais!

Inscreva-se em nossa newsletter