Logo Mais Retorno
Mercado Financeiro

Mercado aposta em Selic a 11,75% na reunião do Copom e em ajuste de 0,25 pp nos juros americanos

Indicação de reajuste de 1 ponto na Selic foi dada quando ainda não havia guerra na Ucrânia

Data de publicação:16/03/2022 às 01:27 -
Atualizado 2 meses atrás
Compartilhe:
  • Facebook
  • Linkedin
  • Twitter Mais Retorno
  • Telegram Mais Retorno
  • WhatsApp Mais Retorno
  • Email Mais Retorno

A expectativa majoritária de analistas e especialistas do mercado financeiro continua sendo um aumento de 1 ponto porcentual na taxa Selic. Um ajuste que levaria a taxa básica de 10,75% para 11,75% ao ano. Não falta também uma ala minoritária que aposta em alta maior, de 1,25 ponto e de até 1,50 ponto porcentual.

Outro evento de política monetária, também nesta quarta-feira, é a reunião do Fed (Federal Reserve, banco central americano), que deve iniciar o ciclo de elevação dos juros de curto prazo. Juntos, os dois eventos caracterizam a Super Quarta. Lá fora, o clima é positivo, com os futuros americanos e as bolsas europeias em alta.

mercado
Banco Central anuncia nova Selic após o fechamento do mercado. Apostas do mercado estão alinhadas com a autoridade monetária - Foto: Reprodução

A taxa dos Fed funds está próxima de zero e a previsão dos especialistas é que tenha um ajuste de 0,25 ponto porcentual. Seria o primeiro de uma série de outros aumentos, de igual calibre, embora alguns analistas esperem alta maior já na reunião de hoje.

A decisão será tomada nesta quarta-feira, 16, no fim da reunião do Comitê de Política Monetária, do Banco Central (BC), e anunciada após o fechamento dos mercados. Já a do Fed será conhecida em meados da tarde, antes da definição da Selic, que será divulgada apenas no início da noite.

Futuros/bolsas americanas

  • S&P 500: +1,31%
  • Dow Jones: +1,13%
  • Nasdaq 100: +1,92% (dados atualizados às 7h30)

Bolsas europeias/principais praças financeiras

  • Stoxx 600 (Europa): +2,56%
  • DAX (Frankfurt): +3,11%
  • FTSE 100 (Londres): +1,07%
  • CAC 40 (Paris): +3,34% (dados atualizados às 7h32)

Trajetória da Selic

A expectativa de analistas para a Selic é que a decisão do Copom venha de acordo com o já adiantado pelo BC, uma alta de 1 ponto porcentual. Apesar da persistente inflação, com pressões adicionais de altas de commodities e de alimentos.

A ideia é que o Copom sacramente o aumento já contratado e estenda o ciclo de elevação dos juros. É com base nela que o mercado está de olho no comunicado que o BC vai divulgar no fim da reunião.

Espera-se que o texto explicativo da decisão dê alguns sinais sobre os próximos passos de política monetária. Analistas lembram que quando o BC adiantou um ajuste menor na Selic para esta reunião não havia ainda guerra na Ucrânia e tampouco o forte reajuste recente dos combustíveis.

Na agenda de balanços, está prevista para esta quarta-feira a divulgação dos resultados quadrimestrais da Braskem e da MRV Engenharia.

Guerra na Ucrânia e variante ômicron

Os eventos de política monetária dividirão a atenção dos mercados com as novidades quentes da guerra na Ucrânia e com a volta de um fantasma que parece assombrar ainda os investidores. Por lá, os bombardeios na capital ucraniana continuam, atingindo prédios residenciais, enquanto ainda não há um entendimento sobre um cessar-fogo entre a Rússia e a Ucrânia.

É o aumento das infecções pela variante ômicron na China que levou o governo local a restringir a circulação de pessoas e a fechar fábricas. Teme-se que isso venha a agravar ainda mais as cadeias de suprimentos globais.

Bolsas asiáticas fecham em alta

Apesar do avanço das contaminações na China, os mercados asiáticos fecharam em alta nesta quarta-feira, com destaque para o índice Hang Seng, de Hong Kong, que saltou mais de 9% - após cair mais de 6% no dia anterior - com as ações de gigantes de tecnologia como Alibaba e NetEase saltando mais de 20%.

O forte impulso desses papéis veio após a divulgação de uma reportagem em uma mídia estatal que sinalizou apoio às ações chinesas do setor. Reguladores americanos e chineses estão progredindo em direção a um plano de cooperação em ações chinesas listadas nos Estados Unidos, segundo o material, citando uma reunião presidida pelo vice primeiro-ministro Liu He. / com Júlia Zillig e Agência Estado

Bolsas asiáticas/fechamento

  • Nikkei (Tóquio): +1,64% (25.762 pontos)
  • Kospi (Seul): +1,44% (2.659 pontos)
  • Hang Seng (Hong Kong): +9,08% (20.087 pontos)
  • S&P/ASX 200 (Sydney): +1,10% (7.175 pontos)
  • Xangai Composto (China Continental): +3,48% (3.170 pontos)
Sobre o autor
Tom Morooka
Colaborador do Portal Mais Retorno.