Logo Mais Retorno
Mercado Financeiro

Número de IPO bateu recorde em 2021, mas empresas não foram bem depois da estreia na Bolsa

Relatório da XP mostra que de 46 empresas que estrearam na B3 em 2021, 35 têm desempenho negativo

Data de publicação:11/01/2022 às 00:30 -
Atualizado 4 meses atrás
Compartilhe:
  • Facebook
  • Linkedin
  • Twitter Mais Retorno
  • Telegram Mais Retorno
  • WhatsApp Mais Retorno
  • Email Mais Retorno

O ano passado foi marcado por um grande número de empresas que estrearam na Bolsa de Valores, a B3. Ao todo, foram 46 companhias que fizeram seus IPOs (oferta pública inicial, na tradução) que, juntas, movimentaram cerca de R$ 65,6 bilhões, fazendo de 2021 um ano recorde para as ofertas públicas iniciais de ações no Brasil em valor.

No entanto, em relatório elaborado pela XP Investimentos seus analistas mostram que, apesar dos números expressivos, o último ano não foi o que registrou o maior volume de transações para as ações recém-chegadas na Bolsa. Os resultados foram fracos para a grande maioria dos papéis. De todas as empresas que estrearam na B3 em 2021, 35, ou 76% do total, apresentaram um retorno negativo até aqui.

ipos em 2021
Foto: Reprodução

"Na média, 3 meses após o início das negociações, as ações caíram -4,2%, e 6 meses depois elas registraram uma queda de -9,6%. E no total, as empresas que se tornaram públicas em 2021 tiveram um desempenho médio de -26,1% no ano".

XP Investimentos

As 10 empresas que mais caíram desde sua estreia em 2021

EmpresaSetorData de estreiaVariação
DotzTecnologia31/05-80,7%
MoblyVarejo05/02-79,7%
OceanpactTransporte12/02-76,1%
WestwingVarejo10/02-75,3%
GetNinjasVarejo13/05-74,2%
BrisanetTecnologia29/07-67,0%
ClearsaleFinanceiro30/07-64,1%
EspaçolaserVarejo01/02-58,9%
VamosTransporte29/01-58,3%
HBR RealtyImobiliário21/01-58,1%
Fonte: XP Investimentos

Os IPOs vinham com força até julho de 2021

De acordo com a análise da XP, desenvolvida por Fernando Ferreira, Jennie Li e Rebecca Nossig, o movimento de abertura de capital teve dois momentos distintos em 2021, um de muito fôlego do mercado até julho, quando aconteceram 40 das 46 ofertas iniciais

Performance promovida pelo avanço da vacinação contra a covid-19 e a retomada da atividade econômica em diversos lugares do mundo, inclusive no Brasil, e a melhora no cenário global como um todo.

Os especialistas comentam que neste contexto mais positivo, a Bolsa brasileira se tornou mais atrativa, tanto para os investidores pessoas físicas domésticos, que superaram a marca de 4 milhões em 2021 (alta de 26% em relação ao ano anterior), quanto para os estrangeiros. O fluxo de investimentos internacionais somou mais de R$ 100 bilhões no ano, afirma a XP.

"Tudo isso tornou o mercado acionário mais atraente para empresários, fazendo com que 2021 se consolidasse como o segundo ano com maior número de IPOs no país – atrás de 2007 quando 64 companhias se tornaram públicas e movimentaram R$ 55,6 bilhões".

XP Investimentos

Mudança de cenários

O segundo momento aconteceu a partir de agosto com a deterioração do cenário macroeconômico e o aumento das preocupações fiscais, o que levou empresários a dar um passo atrás na decisão de realizar o IPO. De lá para cá, dados da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) mostram que, até novembro, 61 empresas desistiram de realizar seus IPOs em 2021, em decorrência do cenário macroeconômico.

E as perspectivas também não nada animadoras para 2022, com inflação e juros em alta, pouco crescimento econômico, além da proximidade das eleições presidenciais. Um mix de tensões que leva a XP a não apostar em número expressivo de IPOs acontecendo no mercado no ano.

Diversificação setorial

Para a equipe de especialistas da corretora, um dos pontos fortes trazidos com o grande número de ofertas iniciais foi a maior diversificação setorial. O relatório destaca que a composição do Ibovespa é bastante concentrada em poucos setores, sendo o financeiro e o de commodities os mais expressivos.

"Já os IPOs foram feitos em setores pouco representados no índice Ibovespa, como o setor de varejo, tecnologia, saúde, entre outros. Vemos esse fator como bastante positivo por aumentar o leque de opções de investimento para os investidores".

XP Investimentos

Além da diversificação, os especialistas também pontuam outras vantagens da maior procura das empresas em entrar no mercado de capitais:

  • O Brasil ainda possui um nível muito baixo de empresas listadas na Bolsa (415) em relação a países como Estados Unidos (5.289), China (4.301), Japão (3.824) e Inglaterra (2.017);
  • O grande número de IPOs também traz maior liquidez ao mercado - em 2021, a negociação diária na B3 terminou o ano com um volume de cerca de R$ 15,3 bilhões;
  • Mais empresas listadas traz um maior fluxo de capital estrangeiro para a Bolsa - enquanto em 2020 o fluxo estrangeiro foi de R$ 7,4 bilhões, em 2021 esse valor chegou a R$ 102,3 bilhões em 2022.

Lista de IPOs na B3 em 2021

EmpresaSetorData de estreia em 2021Variação desde o IPO
HBR RealtyImobiliário21/01-58,1%
VamosTransporte29/01-58,3%
EspaçolaserVarejo01/02-58,9%
IntelbrasTecnologia04/02+64,1%
Mosaico TecnologiaVarejo05/02-61,5%
MoblyVarejo05/02-79,7%
Jalles MachadoAgronegócio08/02+23,0%
Focus EnergiaElétricas08/02+43,0%
Cruzeiro do SulEducação11/02-52,1%
OceanpactTransporte12/02-76,1%
OrizonPetróleo e gás17/02+8,2%
EletromidiaVarejo17/02-44,2%
BemobiTecnologia10/02-40,5%
CSN MineraçãoMineração18/02-11,2%
WestwingVarejo10/02-75,3%
AlliedVarejo12/04-9,4%
Hospital Mater DeiSaúde16/04-30,2%
Blau FarmacêuticaSaúde19/04-21,3%
Grupo GPSVarejo26/04+23,2%
Boa Safra SementesAgronegócio29/04+50,6%
Caixa SeguridadeFinanceiro29/04-17,2%
ModalmaisFinanceiro20/04-50,0%
InfracommerceVarejo04/05+12,5%
PetroRecôncavoPetróleo e gás05/05+20,9%
GetNinjasVarejo13/05-74,2%
G2D InvestmentsFinanceiro14/05-23,3%
DotzTecnologia31/05-80,7%
BR PartnersFinanceiro21/06-14,3%
3tentosAgronegócio12/07-25,3%
SamrtiftVarejo26/07-51,3%
CIA Brasileira de AlumínioMineração14/07+13,8%
DesktopTecnologia22/07-32,4%
MultilaserTecnologia21/07-32,1%
WDC NetworksTecnologia15/07-39,2%
AgrogalaxyAgronegócio26/07-21,5%
UnifiqueTecnologia27/07-30,5%
ArmacBens de capital28/07+37,4%
TradersclubFinanceiro28/07-48,0%
BrisanetTecnologia29/07-67,0%
ClearsaleFinanceiro03/07-64,1%
RaízenAgronegócio09/08-14,5%
ViveoSaúde04/08-10,1%
OncoclinicasSaúde10/08-47,1%
Kora SaúdeSaúde13/08-31,1%
VittiaTecnologia02/09+66,3%
NubankFinanceiro09/12+6,7%
Fonte: XP Investimentos
Sobre o autor
Bruna Miato
Repórter na Mais Retorno