Logo Mais Retorno
Fundos de Investimentos

Fiagro: fundos do agronegócio despertam o interesse de investidores e do mercado; saiba por quê

Potencial e relevância do setor, além da rentabilidade, são alguns atrativos dos fundos

Data de publicação:18/05/2022 às 00:30 -
Atualizado um mês atrás
Compartilhe:
  • Facebook
  • Linkedin
  • Twitter Mais Retorno
  • Telegram Mais Retorno
  • WhatsApp Mais Retorno
  • Email Mais Retorno

O Fundo de Investimento em Cadeias Agroindustriais (Fiagro) conquista cada vez mais espaço nas vitrines de investimento e no radar de investidores. Até a Bolsa de Valores, a B3, lançou esta semana o Iagro- FFS, índice específico que vai acompanhar as 32 ações do agronegócio. Por que o setor está tão em evidência?

Produto relativamente novo, a maioria com início de operação entre o fim de 2021 e o início deste ano, o fundo chama a atenção por uma serie de atrativos. A começar pela rentabilidade.

fiagro
Fiagros distribuem dividendos que aumentam o retorno aos cotistas - Foto: Agência Brasil

Destaques de rentabilidade entre os fundos

Dos cerca de 20 ofertados (em operação e em processo de captação) no mercado, três fundos renderam acima de 1% nos últimos meses. Em dois meses de distribuição de dividendos, o Devant Fiagro (DCRA11) pagou 1,30% em abril e 1,40% em maio.

O XP Crédito Agrícola Fiagro (XPCA11), que começou a captação em novembro, distribuiu 1,67% em março e 1,59% em abril. O Kinea Crédito Agro (KNCA11) pagou dividendos no valor de R$ 1,17 por cota,  equivalentes a 140% da taxa DI, isentos de imposto de renda, em abril.

É uma rentabilidade que supera a Selic de 12,75% ao ano, que dá como rendimento pouco mais de 1% ao mês. Os fundos dessa modalidade têm a carteira formada predominantemente por Certificados de Recebíveis do Agronegócio (CRAs). Papéis atrelados ao CDI+ e IPCA+, dois indexadores que estão em alta neste momento de juros e inflação nas alturas.

Índice Agro

“A indústria como um todo está pagando um rendimento atraente”, observa David Camacho, gestor da Devant Fiagro. A boa performance desses fundos levou a B3 a lançar o Iagro-FFS (Índice Agro Free Float Setorial), que estreou segunda-feira, 16, na Bolsa de Valores.

O novo índice abre novo canal de acesso a investimentos no setor do agronegócio, com a criação de novos produtos com exposição ao segmento. ETFs e outros fundos passivos, referenciados nesse índice, podem ser criados e oferecidos ao investidor.

O Fiagro está ganhando força rapidamente, com os papéis do setor entre os mais negociados em bolsa, portanto é natural a criação do índice, analisa Camacho. “O Iagro ajuda a difundir mais o agronegócio na cadeia de investimentos”, reforça Gustavo Almeida, gestor comercial do XP Crédito Agrícola Fiagro.

Composição do índice

O Iagro-FFS, que estreou na B3, é um índice de empresas do setor de agronegócio que inclui 32 ações. Entre os papéis que formam a carteira, estão Marfrig, JBS, Klabin, Suzano, São Martinho, BRF, Raizen e até Pão de Açúcar e Carrefour.

Os ativos selecionados vão além de empresas ligadas à pecuária e agricultura. Participam também companhias do setor de agroindústria e de agrosserviços, de acordo com a classificação da própria B3.

O novo índice tem como objetivo acompanhar e refletir o desempenho médio dos ativos de empresas que têm atividade ligada de alguma forma à cadeia do agronegócio. Os papeis que formam o índice serão revistos a cada quatro meses, sempre em janeiro, maio e setembro.

Fiagros X FIIs

Camacho, da Devant Asset, destaca que o agronegócio, um setor de alta resiliência que tem puxado o crescimento do País, representa 27% do PIB.  Um segmento dinâmico da economia a que o investidor tem a oportunidade de investimento, com mais facilidade, por meio do Fiagro.

Ele compara a trajetória de sucesso do novato Fiagro à dos fundos imobiliários (FIIs), lembrando que estes levaram anos para deslanchar. “Os pilares essenciais dos dois fundos são muito similares”, o que facilita a incursão dos investidores ao produto, já mais familiarizados com os FIIs.

A estrutura do Fiagro lembra a do FIIs em nova versão, diz Camacho. “Já tem todo um processo educacional sobre como funciona essa dinâmica, e o investidor que conhece os FIIs terá facilidade de aplicar no Fiagro.” Com maior potencial de ganho porque a participação do setor imobiliário no PIB é menor, em torno de 5% a 6%, em relação à do agronegócio.

Atrativos dos Fiagros

O rendimento, como o dos fundos imobiliários, é isento de imposto de renda para o investidor pessoa física que investe em fundo com mais de 50 cotistas. “Essa isenção é apenas um dos atrativos do produto”, aponta Gustavo Almeida, gestor comercial do XP Crédito Agrícola Fiagro.

Este é um momento interessante, reforça o gestor, para investir em um produto focado no agronegócio, um setor pujante.

A Selic em alta também favorece o Fiagro, que ainda “diversifica e dilui o risco com a alocação de recursos em várias cadeias, do produtor ao comércio varejista, o que compensa eventual recessão econômica”.

A maioria dos Fiagro distribui dividendos mensais, isentos de imposto, aos cotistas. Outra fonte de rendimento pode ser o ganho de capital, com a compra e venda de cotas no mercado secundário.

Os fundos também têm riscos

Almeida diz que o fundo da XP teve o ingresso de R$ 135 milhões nos primeiros meses de captação, iniciada em novembro de 2021, e de lá para cá girou R$ 180 milhões no total. Um ganho de capital que engordou o saldo da conta dos cotistas.

O gestor comercial da XP vê um futuro promissor aos Fiagro, o que não dispensa cuidados do investidor. Ele chama atenção para o risco de crédito, que exige cautela do gestor na escolha de empresas e setores para a alocação de recursos do portfólio.

“É um tipo de fundo peculiar a que o investidor deve estar atento também às adversidades do clima”, alerta Almeida. “Condições climáticas como chuva, geada, granizo podem interferir na produtividade da safra e nas condições financeiras da companhia que emitiu o ativo.”

O desempenho de 7 fundos Fiagro

O gráfico abaixo foi obtido com o 'Comparador de Ativos' da Mais Retorno, ele traz a rentabilidade dos fundos acumulada de 14 de março a 16 de maio deste ano, período em que todos eles já estavam em operação.

Fiagro
Fonte: Mais Retorno

O Comparador também traz um quadro com a remuneração apresentada em diferentes períodos:

Fiagro
Mais Retorno

Leia mais

Sobre o autor
Tom Morooka
Colaborador do Portal Mais Retorno.