Economia

Segundo informação divulgada nesta quinta-feira, 18, pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), o Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M) registrou alta de 2,98% na segunda prévia de março, após elevação de 2,29% na segunda prévia de fevereiro.

Com esse resultado, o índice totaliza subida de 8,30% no ano e aumento de 31,15% em 12 meses.

A Fundação também informou os resultados dos três indicadores que fazem parte da segunda prévia do IGP-M de março.

O IPA-M, que indica os preços no atacado, subiu 3,72% em março, ante um avanço de 2,98% na segunda prévia de fevereiro.

O IPC-M, que corresponde à inflação no varejo, registrou alta de 0,89% na segunda prévia de março, após subida de 0,29% na segunda prévia de fevereiro.

Combustíveis são responsáveis pela alta do índice na segunda prévia de março

Já o INCC-M, que aponta o custo da construção, teve avanço de 1,31% na segunda prévia de março, após uma elevação de 1,00% na segunda prévia de fevereiro.

Combustível pressiona alta do IGP-M

A alta no preço da gasolina pressionou a inflação ao consumidor na segunda prévia de março do IGP-M.

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC-M) avançou 0,89% na segunda prévia do mês. Quatro das oito classes de despesa registraram taxas de variação mais elevadas, com destaque para o grupo Transportes, que passou de um aumento de 1,19%, na segunda prévia de fevereiro, para uma elevação de 3,52% na mesma leitura de março.

O item gasolina saltou de 3,65% para 9,99% no período.

Os demais setores que influenciaram na alta do índice foram Habitação (de -0,34% para 0,37%), Saúde e Cuidados Pessoais (de 0,14% para 0,41%), Vestuário (de -0,03% para 0,40%), tarifa de eletricidade residencial (de -2,89% para 0,07%), artigos de higiene e cuidado pessoal (de -0,52% para 0,68%) e acessórios do vestuário (de -0,40% para 2,22%).

O setor de Alimentação subiu 0,11% na segunda prévia de março, mantendo a mesma taxa da prévia de fevereiro, pressionada por itens como aves e ovos (de -0,14% para 1,80%), mas alívio do arroz e feijão (de -0,12% para -1,95%).

Reajuste de mais de 2,50% no acumulado

O IGP-M é usado para reajuste de contratos de aluguel. O período de coleta de preços para cálculo do índice foi de 21 de fevereiro a 10 de março. No dado fechado do mês de fevereiro, o IGP-M aumentou 2,53%. / com Agência Estado.

Imagem do autor

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Economia
Economia
Economia
Índices e Indicadores
Veja mais Ver mais