Fiagro

Última modificação em 05 de Agosto de 2021 às 02:16

O que é Fiagro?

Fiagro significa Fundos de Investimento nas Cadeias Produtivas Agroindustriais, criado com o objetivo de permitir que investidor pessoa física ou jurídica, inclusive estrangeiros, pudesse investir no agronegócio.

Ao investir no Fiagro, os seus recursos são geralmente destinados aos investimentos em imóveis da zona rural, além de outros setores do setor agroindustrial — algo inspirado nos fundos de investimento imobiliários (FII).

Quais as características do Fiagro?

Não é novidade que o agronegócio sempre compôs a maior parte da economia brasileira, mas isso foi validado ainda mais com a pandemia do coronavírus, em 2020, quando ele foi o único setor que cresceu nesse período crítico — em 26,6%.

Mas, para que um investidor, que tem poupado os seus recursos por anos, pudesse entrar nesse mercado, ele teria que adquirir um terreno, enfrentar a informalidade, estudar a área etc. A outra opção era comprar CRI e CRA (Certificado de Recebíveis Imobiliários e do Agronegócio). 

Por isso que, da mesma forma que os investidores em FII não se preocupam com imobiliárias, reparos em imóveis e locações, quem investir no Fiagro também poderá ter esses benefícios ao atuar no agro business.

Assim, a criação do Fiagro, pela Lei nº 14.130/2021, uniu a necessidade de crédito do setor para continuar a sua expansão junto ao aumento de investidores pessoas físicas na B3. 

Imóveis rurais, participação em sociedades, títulos de crédito e cotas de FII são exemplos de aplicações do fundo e, em relação à tributação, a princípio, a alíquota é de 20% no Imposto de Renda de pessoa física.

Como investir no Fiagro?

Até o momento, o fundo mais característico do Fiagro é o Riza Terrax (RZTR11), já que os outros fundos estão mais relacionados à logística do agro e outras atividades relacionadas. 

O RZTR11 é um FII híbrido, que investe em terras produtivas, legais e em normalidade com as regulamentações ambientais das regiões do Centro-Oeste, Norte e Nordeste. 

Suas estratégias são de Sale & LeaseBack, Buy to Lease e Land Equity, com retorno de 9,5 a 10,5% a.a. Lembrando que:

  • Sale & LeaseBack: é a venda (sale) da propriedade seguida da sua locação (leaseback) pelo ex-proprietário;
  • Buy to Lease: é a compra do terreno para a sua posterior locação para um terceiro;
  • Land Equity: não é tão popular no Brasil, mas é um crédito não-monetário concedido a um proprietário de uma terra caso ele decida contribuir com o terreno como patrimônio, em vez de vendê-lo em dinheiro ao comprador.

O IPO do Riza Terrax se deu em outubro de 2020 e, desde então, ele tem pago dividendos regularmente (entre R$ 0,75 a 0,80) para os seus investidores.

Quais os possíveis riscos nos investimentos com o Fiagro?

Uma peculiaridade ao investir no agronegócio é a influência do arrendamento rural. Trata-se de um contrato no qual uma pessoa cede à outra o uso do imóvel para a exploração agrícola mediante uma retribuição ou aluguel — independente dos resultados.

Para simplificar: o gestor do fundo, basicamente, compra terras, considerando muitos fatores, como microclimas, produtores próximos etc. Mas, além disso, se ele fecha um contrato de R$ 1000 por hectare, mesmo com uma colheita negativa, esse valor deverá ser pago.

Adicionalmente, esses contratos de arrendamento normalmente são de longo prazo — em torno de 10 anos. Então existe a influência de oscilações de CDI (Certificado de Depósito Interbancário) e outras taxas afetando também a lucratividade do investimento. 

Por isso, é importante considerar todos esses riscos. Porém, o mais relevante do Fiagro continua sendo a democratização do agronegócio, em que, qualquer investidor, com apenas R$ 100, pode incrementar o seu patrimônio com um pedaço de terra.

Glossário de Finanças e Investimentos

Pesquise a(s) palavra(s) navegando pelo alfabeto abaixo