Logo Mais Retorno
Mercado Financeiro

Em dia de decisão do Copom, Bolsa fecha em alta de 0,40% com bancos e consumo

Em dia de decisão de política monetária do Copom, a Bolsa encerrou o pregão desta quarta-feira, 3, em alta de 0,40%, aos 103 mil pontos. O…

Data de publicação:03/08/2022 às 17:27 -
Atualizado 3 dias atrás
Compartilhe:

Em dia de decisão de política monetária do Copom, a Bolsa encerrou o pregão desta quarta-feira, 3, em alta de 0,40%, aos 103 mil pontos. O dólar concluiu o dia com leve queda de 0,02%, cotado a R$ 5,27.

A trajetória positiva do principal índice da B3 foi sustentada pelas ações do setores financeiro, imobiliário e de consumo.

Bolsa
Investidores seguiram na expectativa da decisão de política monetária do Copom, que sai após o fechamento do mercado - Foto: Marcello Casal Jr / Agência Brasil

Na ponta contrária, a desvalorização das ações de empresas de commodities - principalmente as siderúrgicas, incluindo a Vale, que terminou a sessão em queda de 3,60% - recuaram acompanhando a forte queda dos preços do petróleo e do minério de ferro, que, segundo Leonny Monteiro, especialista em renda variável da Blue3, reflete as incertezas quanto à oferta e demanda desses produtos.

Nova Selic a 13,75% ao ano?

O consenso do mercado é de que o colegiado do BC irá ajustar a Selic, taxa básica de juros do País, em 0,50 ponto porcentual, elevando-a para 13,75% ao ano, maior patamar dos últimos cinco anos.

Com essa alta já precificada, os especialistas e investidores voltam sua atenção para o comunicado que acompanha a publicação da decisão, que deve trazer novas pistas sobre se o ciclo de aperto monetário termina ou terá continuidade, com mais um ajuste na próxima reunião, em setembro.

Vale lembrar que as estimativas da inflação seguem cedendo para este ano. No entanto, o olhar do BC está voltado para 2023, no qual os economistas já subiram por 17 vezes consecutivas a expectativa para a inflação do período - o último ajuste foi de 5,30% para 5,33%, de acordo com o Boletim Focus.

Se essa projeção se cumprir, o Banco Central entrará no terceiro ano consecutivo de estouro da meta do IPCA, que para 2023 está em 4,75%.

O dia na Bolsa

Maiores altas

EmpresaTickerVariação
LocawebLWSA3+11,64%
ViaVIIA3+11,49%
Natura & Co.NTCO3+11,17%
CieloCIEL3+9,05%
YduqsYDUQ3+8,51%

Maiores baixas

EmpresaTickerVariação
GerdauGGBR4-4,32%
Gerdau MetalurgiaGOAU4-3,89%
ValeVALE3-3,60%
MinervaBEEF3-2,43%
BB SeguridadeBBSE3-2,56%
Fonte: B3

Mercado internacional

NY conclui o pregão no positivo

As bolsas americanas encerraram a sessão em alta, com os investidores digerindo falas de dirigentes do Federal Reserve (Fed, o banco central americano) sobre os rumos da política monetária dos Estados Unidos.

Boa parte deles adotou uma postura mais dura sobre o aperto monetário, reforçando as expectativas de mais uma alta de 0,75 ponto porcentual na taxa básica de juros americana em setembro.

Já a presidente da distrital da autoridade monetária de São Francisco, Mary Daly, afirmou que uma alta de 0,5 p.p "parece razoável".

Além da política monetária, os investidores repercutiram dados referentes ao índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) de serviços dos EUA, que caiu de 52,7 em junho para 47,3 em julho, atingindo o menor nível em 26 meses e leitura abaixo de 50 pontos, apontando contração na atividade.

Apesar disso, a leitura definitiva de julho veio acima das expectativas dos analistas, que projetavam 47 para o indicador do período.

Bolsas americanas/fechamento

  • S&P 500: +1,52% (414,27 pontos)
  • Dow Jones: +1,29% (32.812 pontos)
  • Nasdaq 100: +2,73% (13.253 pontos)

Bolsas europeias terminam o dia em alta

Os principais índices da Europa fecharam em alta nesta quarta-feira, reagindo a dados econômicos da zona do euro e ao fim visita da presidente da Câmara dos Representantes dos EUA, Nancy Pelosi, a Taiwan.

O PMI da zona do euro caiu para 49,9 em julho, destacando que a atividade no continente contraiu no início do terceiro trimestre em meio a temores de uma possível recessão na Europa.

Além disso, as vendas no varejo da região caíram 1,2% em junho em relação ao mês anterior, contrariando as expectativas de estabilidade. Já a taxa anual de inflação ao produtor (PPI, na sigla em inglês) da zona do euro diminuiu ligeiramente para 35,8% em junho.

Na Alemanha, o destaque foi o balanço do banco Commerzbank, que teve um lucro superior ao esperado. / com Agência Estado

Bolsas europeias/fechamento

  • Stoxx 600 (pan-europeu): +0,54% (438,30 pontos)
  • DAX (Frankfurt): +1,03% (13.587 pontos)
  • FTSE 100 (Londres): +0,49% (7.445 pontos)
  • CAC 40 (Paris): +0,97% (6.472 pontos)

Leia mais

Ethereum pode desbancar o reinado do bitcoin? (maisretorno.com)
Dividendos de agosto: Petrobras e Weg se destacam na temporada (maisretorno.com)
Bolsas da Europa fecham em alta com dados econômicos locais (maisretorno.com)
Selic a 13,75%: é melhor Tesouro Selic, Tesouro IPCA ou Prefixado? (maisretorno.com)

Sobre o autor
Julia Zillig
Repórter do Portal Mais Retorno.