Logo Mais Retorno
renda fixa
Finanças Pessoais

Com inflação de 4,77% no ano, confira os 10 fundos de renda fixa mais rentáveis, com ganho real de até 12,65% no período

Ao todo, 512 fundos estão conseguindo pagar ganho real ao cotista em 2022

Data de publicação:09/08/2022 às 09:22 -
Atualizado 2 meses atrás
Compartilhe:

Com a alta dos juros de um lado e a queda da inflação de outro, cresce o número de fundos de renda fixa com boa perfomance e com capacidade de proteger o patrimônio do cotista. Entre os 10 mais rentáveis no ano, todos eles superaram com larga margem de ganho a inflação em 2022.

O IPCA de julho teve variação negativa de 0,68% e com isso o acumulado do IPCA em 2022 está em 4,77%, e em 12 meses, em 10,07%.

fundos de renda fixa
Margem de ganho real dos fundos de renda fixa vem crescendo a cada mês - Foto: Reprodução

Em todos os períodos, é maior o número de fundos de renda fixa que está conseguindo entregar resultados bem positivos. Ao mesmo tempo, alguns deles continuam com rendimento negativo e dando prejuízo ao investidor.

Resultados em 2022

Quatro deles estão entregando rendimento acima de 11% em 2022, mais que o dobro da variação da inflação nesses sete meses do ano.

Esse time seleto de 10 fundos de renda fixa , acompanhados de outros, estão rendendo bem acima também do benchmark, o juro de referência dessa classe de ativos. O CDI acumula uma variação de 6,49% no ano, até julho.

Entre os 792 fundos de renda fixa que compõem a base de dados da Mais Retorno, 612 estão com rendimento nominal acima de 6,16% em 2022. Portanto, mais da metade dos fundos tem a capacidade de cobrir a inflação e também o desconto do imposto de renda, com alíquota máxima de 22,5%.

Os 10 campeões nesse ano

FundoRend. 2022Rend. 12 mesesRend. julho
Infinty Tiger Aloc. Dinâmica13,42%19,09%2,10%
Infinity Lotus13,09%17,79%2,01%
NC RF Exclusive12,04%15,34%1,58%
Infinity Select11,34%15,26%1,68%
Kinea IPCA Dinâmica 9,97%14,14%1,19%
Itaú Optimus 9,34%15,59%1,26%
CA Indosuez Tenace 8,57%14,41%1,40%
CA Indosuez Vitesse 8,26%13,79%1,23%
Itaú Seleção Multirf 8,26%10,90%1,03%
Santander Incentivado 8,16%12,36%1,12%
Fonte: Mais Retorno

O Infinity Tiger Alocação Dinâmica FI RF por mais uma vez se posiciona como o campeão no ano. O fundo da gestora Infinity Asset acumula rendimento de 13,42%, até julho. O segundo colocado é outro fundo da gestora, Infinity Lotus FI RF, com rentabilidade de 13,09%.

Tamanho do ganho real

O Infinity Tiger é o que paga maior fatia de ganho real, descontada a inflação de 4,77%, acumulada em 2022. O rendimento nominal de 13,42% equivale a um líquido de 10,40%, após o desconto de imposto de renda pela alíquota de 22,50%.  Ou 12,65% de ganho real, acima da inflação.

Outros cinco fundos também estão rendendo acima da inflação projetada para o ano. O Infinity Lotus FI RF está pagando rentabilidade nominal de 13,09% ou líquida de 10,15%, com margem real positiva de 9,41% acima da inflação; o NC RF Exclusive FI LP, um rendimento nominal de 12,04% ou líquido de 9,33%, descontado o imposto, o que dá um ganho real de 8,59% em relação à inflação de 4,77% acumulada neste ano.

Ainda entre os 10 mais rentáveis, com generosos ganhos reais aos cotistas no ano estão: o Infinity Select FI RF LP, com rendimento bruto de 11,34%, líquido de 8,79% e ganho real de 8,06 %; o Kinea IPCA Dinâmico II FIC FI RF, com rendimento bruto de 9,97%, líquido de 7,73% e ganho real de 7,00%, e o Itaú Optimus RF LP FIC FI, com rendimento bruto de 9,34%, líquido de 7,24% e margem real positiva de 6,69%.

No CA Indosuez Tenace, o juro real líquido é de 5,92%, no CA Indosuez Vitesse, de 5,68%; no Itaú Seleção Multirf, de 5,68%, e no Santander Incentivado Infra CDI, de 5,60%.

Liderança em julho e em 12 meses

Dois fundos da gestora Infinity Asset lideram também o ranking de rentabilidade em dois outros períodos, em julho e em 12 meses.

O Infinity Tiger Alocação Dinâmica é o campeão em julho, com rendimento de 2,10%, e em 12 meses, com 19,09%. A segunda posição é sustentada pelo Infinity Lotus, com 2,01% e 17,79%, respectivamente. 

A variação negativa de inflação ou deflação em julho, como reflexo da redução de preços de combustíveis e energia elétrica, via corte de impostos, deve transformar em ganho real o rendimento de todos os fundos que conseguiram performar positivamente no mês passado. 

Fundos no vermelho mesmo com deflação

Uma penca de fundos de renda fixa, de acordo com o levantamento da Mais Retorno, vai continuar patinando no vermelho, mesmo com a ajuda do cavalo de pau da inflação em julho. São os fundos que já vêm acumulando performance negativa pelo caminho.

Especialistas atribuem a deflação de julho a uma manobra casuística e populista do governo com objetivos eleitorais. Tanto que o mercado projeta uma inflação acumulada de 7,11% no fechamento do ano.

Pelas contas do administrador de investimentos Fabio Colombo, descontada a deflação de 0,68%, a inflação oficial acumulada no ano de 5,49%, até junho, encolheu para 4,77%, em sete meses de 2022.

A distância em relação à inflação de 7,11% estimada pelo mercado financeiro para o ano, de acordo com o boletim Focus, equivaleria a uma inflação média de 0,44% em cada um dos cinco meses que restam no ano.

Retorno em 15 meses

De abril de 2022 ao final de julho deste ano, todos os fundos superam o CDI. No entanto, dois deles, o NC RF Exclusive e o Itaú Seleção Multirf perdem para a inflação do mesmo período.

O gráfico foi obtido no 'Comparador de Ativos" da Mais Retorno.

fundos de renda fixa
Fonte: Comparador de Ativos da Mais Retorno

Leia mais:

Sobre o autor
Tom Morooka
Colaborador do Portal Mais Retorno.

Inscreva-se em nossa newsletter