Logo Mais Retorno
Mercado Financeiro

Bolsa sobe 1,25% com IPCA e contenção de pandemia na China; dólar tem alta de 0,21%

Em dia de divulgação de inflação pelo mundo, bolsa se recupera das últimas quedas

Data de publicação:11/05/2022 às 18:40 -
Atualizado 9 dias atrás
Compartilhe:
  • Facebook
  • Linkedin
  • Twitter Mais Retorno
  • Telegram Mais Retorno
  • WhatsApp Mais Retorno
  • Email Mais Retorno

O clima na Bolsa de Valores de São Paulo, a B3, melhorou bem nesta quarta-feira, 11, com a divulgação do IPCA de abril em linha com as expectativas, redução de número de casos de covid na China, e alta das commodities no mercado internacional. O Ibovespa fechou com alta de 1,25% aos 104.396 pontos recuperando parte das perdas dos últimos dias. O dólar fechou com alta de 0,21%, cotado a R$ 5,15.

Pela manhã, o IBGE divulgou a inflação oficial de abril, medida pelo IPCA, de 1,06%. Embora com recuo em relação ao avanço de março de 1,62%, foi a maior variação desde 1996 para o mês de abril, elevando o acumulado em 12 meses para 12,13%. "Nível bem acima do centro da meta de inflação fixada pelas autoridades monetárias, além de ser o maior resultado desde outubro de 2003", lembra Lucas Carvalho, especialista em renda variável da Blue3.

Bolsa
Bolsa chegou a subir mais de 2%, mas recuou com perspectiva de continuidade de alta dos juros - Foto: Envato

São números que preocupam, porque ratificam a necessidade de o Banco Central elevar os juros. Por isso, o Ibovespa, que chegou a subir mais de 2% perdeu fôlego no final da tarde. Mas a percepção do mercado é a de que o BC tenha mesmo condições de encerrar o atual ciclo de alta com mais um aumento de 0,5 ponto porcentual, com a Selic em 13,25% ao ano.

Carvalho ressalta que o mercado foi puxado para cima principalmente pelas commodities com redução no número de casos da covid na China. As ações de Petrobras fecharam com alta de 3,48% e Vale, de 4,17%.

Inflação americana

Nos Estados Unidos também foi dia de divulgação de inflação: o índice de preços ao consumidor, ou CPI em inglês, subiu 0,3% em relação ao mês anterior, e 8,3% na base anual. O especialista da Blue explica que embora tenha sido uma alta menor que o último número divulgado, ainda assim, o dado veio acima do esperado (0,2% mensal e 8,1% anual).

Diante da persistente pressão inflacionária, investidores ficam de olho na postura agressiva do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), em quadro que penaliza principalmente ações do setor de tecnologia.

Com isso, o Nasdaq, mais sensível à alta dos juros, terminou o dia com queda de 3,06%,no menor nível de fechamento desde outubro de 2020. Dow Jones caiu 1,02%, aos 31.834,11 pontos, o S&P 500 cedeu 1,65%, aos 3.935,18 pontos,

Na China também os dados de inflação vieram acima do esperado. O índice do produtor cresceu 8% na base anual (expectativa 7,7%) e o do consumidor subiu 2,1% (expectativa 2,1%). Porém, o avanço na contenção do coronavírus contribuiu com as bolsas, fazendo com que as bolsas fechassem no positivo.

As bolsas da Europa fecharam em sua maioria no campo positivo, apesar dos dados inflacionários americanos divulgados. "O bom humor com a China permitiu que os índices avançassem nessa quarta-feira", aponta Carvalho.

Sobre o autor
Regina Pitoscia
Editora do Portal Mais Retorno.