Logo Mais Retorno
bolsa
Mercado Financeiro

Bolsa encerra o pregão em leve alta de 0,04% com ações de consumo e exterior; dólar sobe a R$ 5,43

Investidores repercutiram dados econômicos locais, PEC dos Benefícios, covid-19 na China e LDO

Data de publicação:12/07/2022 às 17:30 -
Atualizado 3 meses atrás
Compartilhe:

Após operar com volatilidade, a Bolsa concluiu o pregão desta terça-feira, 12, em leve alta de 0,04%, aos 98.248 pontos. Já o dólar atingiu mais um dia de avanço, subindo 1,27%, cotado a R$ 5,43. Já o euro chegou brevemente à paridade com a moeda americana pela primeira vez em 20 anos.

O Ibovespa foi pressionado pela queda das ações das empresas exportadoras de commodities - em especial as ligadas ao petróleo - refletindo a baixa acentuada na cotação do produto no exterior, com a divulgação de novos casos de covid-19 na China, além das perspectivas de recessão, com inflação e juros elevados. Os papéis ON e PN da Petrobras encerraram o período com queda de mais de 1%.

bolsa
Forte queda da cotação do petróleo no mercado internacional impactou no desempenho das ações da Petrobras - Foto: Envato

Durante a manhã, a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) divulgou seu relatório mensal e apontou que as previsões para o próximo ano ainda são de alta na demanda pela commodity, mas em um ritmo menor do que em 2022.

Por outro lado, a queda foi acentuada pelo dia positivo para as ações das grandes varejistas, com o Magazine Luiza puxando a fila da alta. Segundo Leandro De Checchi, analista da Clear Corretora, "o mercado parece antecipar, em alguma medida, o dado, pois demonstrou demanda pelas ações do setor desde a semana passada".

Para Marcus Labarthe, sócio-fundador da GT Capital Investimentos, a palavra que resume isso é oportunidade.

"O mercado entendeu que papeis que caíram mais de 80% abrem oportunidades de ganho no curto prazo. Quedas excessivas são turbinadas com operações de venda. Em certo momento, faz com que mercado acredite que ações estão excessivamente baratas. Nisso surge o movimento de oportunidade para compra e, para quem está vendido nos papeis, há o receio de reversão".

Marcus Labarthe

Brasil: setor de serviços, PEC e LDO

Internamente, durante a manhã, o IBGE divulgou o desempenho do setor de serviços em maio, que subiu 0,9% ante abril, surpreendendo positivamente o mercado, que estimava um avanço menos acentuado, de 0,2%.

Além dos dados econômicos, os investidores acompanharam a possibilidade de votação na Câmara, em segundo turno da PEC dos Benefícios, como ficou conhecida a proposta do governo para conceder uma série de auxílios às vésperas das eleições. As "bondades" podem custar mais de R$ 41 bilhões aos cofres públicos e elevar o risco fiscal do País.

Outro assunto que esteve na pauta de acompanhamento foi a aprovação da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2023, que serve de base para a elaboração da Lei Orçamentária Anual (LOA). Com sinal verde da Câmara, a proposta ainda precisa do aval dos senadores.

O relator do texto, senador Marcos do Val, retirou do texto a impositividade das emendas de relator-geral, que compõem o orçamento secreto, o que desagradou ao Centrão.

O dia na Bolsa

Maiores altas

EmpresaTickerVariação
Magazine LuizaMGLU3+12,17%
ViaVIIA3+9,01%
Americanas S.AAMER3+8,71%
AzulAZUL4+7,91%
Natura & CoNTCO3+6,68%

Maiores baixas

EmpresaTickerVariação
3R PetroleumRRRP3-6,36%
SCL AgrícolaSLCE3-5,96%
Pão de AçúcarPCAR3-3,42%
CarrefourCRFB3-2,79%
AlpargatasALPA4-2,94%
Fonte: B3

No exterior

Em Nova York, as bolsas fecharam no negativo, com os investidores repercutindo a situação da China e em compasso de espera com a divulgação do índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) dos Estados Unidos que acontece nesta quarta-feira, 13, além da temporada de balanços trimestrais, que começa a ganhar força.

Na Europa, as principais praças financeiras fecharam em alta, com exceção de Lisboa, Milão e Madrid. Na agenda de indicadores, o índice ZEW de expectativas econômicas da Alemanha veio bem abaixo do esperado, em junho.

Segundo analistas, o euro pode seguir sob pressão, diante dos riscos de recessão na região da moeda comum.

A Oxford Economics afirmou que o dado ilustrou os riscos à economia alemã e adiantou que deve cortar projeções para o crescimento da zona do euro. Para o Morgan Stanley, o indicador reforça a percepção de um quadro de recessão regional.

Fechamento das bolsas americanas

  • S&P 500: -0,87% (380,87 pontos)
  • Dow Jones Industrial Average: -0,63% (30.976 pontos)
  • Nasdaq 100: -0,97% (11.744 pontos)

Fechamento das bolsas europeias

  • Stoxx 600 (pan-europeu): +0,49% (417,04 pontos)
  • DAX (Frankfurt): +0,57% (12.905 pontos)
  • FTSE 100 (Londres): +0,18% (7.209 pontos)
  • CAC 40 (Paris): +0,80% (6,044 pontos)

Com Agência Estado

Leia mais

Petróleo em queda pode impactar petroleiras e economia do País; entenda (maisretorno.com)
Panamby: retração econômica mundial é positiva para frear a inflação (maisretorno.com)
Euro chega à paridade com o dólar pela primeira vez em 20 anos; ações de empresas da região caem | (maisretorno.com)
América Latina: oportunidades na transição energética? (maisretorno.com)
BlackRock: alta de juros está finalizando mas cenário fiscal preocupa (maisretorno.com)

Sobre o autor
Mais Retorno
A Mais Retorno é um portal completo sobre o mercado financeiro, com notícias diárias sobre tudo o que acontece na economia, nos investimentos e no mundo. Além de produzir colunas semanais, termos sobre o mercado e disponibilizar uma ferramenta exclusiva sobre os fundos de investimentos, com mais de 35 mil opções é possível realizar analises detalhadas através de índices, indicadores, rentabilidade histórica, composição do fundo, quantidade de cotistas e muito mais!

Inscreva-se em nossa newsletter