Logo Mais Retorno
Economia

Euro chega à paridade com o dólar pela primeira vez em 20 anos; ações de empresas da região caem

Euro sofre com aumento de gás natural, guerra na região e postura do BCE

Data de publicação:12/07/2022 às 10:40 -
Atualizado um mês atrás
Compartilhe:

O euro despencou para um ponto de paridade com o dólar nesta terça-feira e os mercados de ações caíram com a perspectiva de mais aperto dos bancos centrais e as preocupações com a saúde das economias em todo o mundo trasendo temor aos investidores, informa a Agência Reuters de notícias.

O papel do dólar como moeda de refúgio seguro para investidores preocupados com as perspectivas econômicas foi aprimorado nas últimas semanas, com a moeda americana subindo para máximas de duas décadas contra várias moedas. É primeira vez, em 20 anos desde a criação do euro, que as moedas chegam a essa equivalência.

euro
Preocupações com saúde das economias globais afetam o euro - Foto: Reprodução

O euro tem sido particularmente vulnerável devido ao impacto de um aumento contínuo dos preços do gás natural na economia regional e da guerra na vizinha Ucrânia, e com o Banco Central Europeu atrás de rivais no aumento das taxas de juros.

A moeda única caiu para um mínimo de US$ 1,00005 na manhã desta terça-feira, seu valor mais baixo desde dezembro de 2002. Estava em US$ 1,0011, uma queda de 0,3% no dia.

"Não parece haver muito apoio ao euro neste momento", disse Sarah Hewin, economista sênior do Standard Chartered. "Isso não se relaciona apenas aos preços do gás, mas ao que parece ser uma divisão dentro do BCE sobre até que ponto eles aumentam as taxas".

Recessão no radar

O moral dos negócios também está se deteriorando na zona do euro, com mais preocupações com uma recessão. O sentimento dos investidores alemães caiu acentuadamente em julho, de acordo com um índice de sentimento econômico amplamente observado publicado na terça-feira

O foco para esta semana serão dados macro, incluindo a inflação ao consumidor dos EUA na quarta-feira, e comentários de autoridades do Federal Reserve, enquanto os investidores procuram pistas sobre o resultado da próxima reunião de política do Fed antes do período de apagão pré-reunião.

Uma leitura de inflação alta aumentaria a pressão para que o Fed intensifique seu ritmo já agressivo de aumentos das taxas de juros.

Nos mercados de ações, o Euro STOXX caiu 0,3%, enquanto o alemão DAX caiu 0,8% e o britânico FTSE 100 caiu 0,35%.

Os mercados futuros dos EUA também apontaram para uma abertura mais fraca.

O índice mais amplo da MSCI de ações da Ásia-Pacífico fora do Japão caiu 1,21% para seu nível mais baixo em dois anos, enquanto o Nikkei do Japão perdeu 1,77%.

Também no topo da lista de preocupações dos investidores está o fato de que um número crescente de cidades chinesas, incluindo o centro comercial de Xangai, está adotando novas restrições à covid-19 a partir desta semana para conter novas infecções depois de encontrar uma subvariante Omicron altamente transmissível.

O aumento do custo da energia na Europa também é um grande medo, já que o maior gasoduto que transporta gás natural russo para a Alemanha entrou em manutenção anual, com fluxos previstos para parar por 10 dias.

Os investidores estão preocupados que a paralisação possa ser estendida por causa da guerra na Ucrânia, restringindo ainda mais o fornecimento de gás europeu e levando a economia da zona do euro à recessão.

O rendimento das notas do Tesouro de 10 anos de referência foi de 2,93%, tendo caído abaixo de 3% durante a noite, com os investidores comprando títulos do Tesouro em meio a uma liquidação em Wall Street.

De olho no petróleo

Os temores de crescimento também estavam pesando sobre o petróleo, apesar das preocupações com a oferta apertada.

Os contratos futuros de petróleo Brent caíram 2,3%, para US$ 104,7 por barril, enquanto o petróleo US West Texas Intermediate estava em US$ 101,42 por barril, uma queda de 2,57%.

O ouro estava estável, com os preços à vista sendo negociados em US$ 1.734 por onça.

Os preços das criptomoedas caíram, com o bitcoin caindo 1,4%, para US$ 19.680.

O índice do dólar ganhou 0,3%, chegando a 108,56, enquanto a libra esterlina atingiu outra baixa de dois anos e o iene não estava longe de ser o mais fraco em mais de duas décadas. /Agência Reuters

Sobre o autor
Mais Retorno
A Mais Retorno é um portal completo sobre o mercado financeiro, com notícias diárias sobre tudo o que acontece na economia, nos investimentos e no mundo. Além de produzir colunas semanais, termos sobre o mercado e disponibilizar uma ferramenta exclusiva sobre os fundos de investimentos, com mais de 35 mil opções é possível realizar analises detalhadas através de índices, indicadores, rentabilidade histórica, composição do fundo, quantidade de cotistas e muito mais!