Logo Mais Retorno
Mercado Financeiro

Bolsa cai 0,29% com Petrobras e inflação; dólar sobe 0,53%

Rumores sobre a demissão do presidente da Petrobras interromperam recuperação do Ibovespa no fim dos negócios

Data de publicação:28/03/2022 às 18:22 -
Atualizado 2 meses atrás
Compartilhe:
  • Facebook
  • Linkedin
  • Twitter Mais Retorno
  • Telegram Mais Retorno
  • WhatsApp Mais Retorno
  • Email Mais Retorno

Depois de trafegar pelo vermelho por boa parte do dia, com queda nos preços do petróleo lá fora e projeções mais altas para a inflação doméstica, a Bolsa de Valores de São Paulo, a B3, até ensaiou uma recuperação no fim da tarde, mas foi impactada pelos rumores de demissão do presidente da Petrobras, Joaquim Silva e Luna. No encerramento dos negócios, o Ibovespa fechou em queda de 0,29%, aos 118.737 O dólar teve um dia de valorização, fechou com alta de 0,53%, cotado a R$ 4,77.

bolsa
Assunto 'Petrobras' faz bolsa cair nesta segunda-feira - Foto: Envato

Um dos principais vetores de queda para o mercado de ações ao longo desta segunda-feira foi a queda do petróleo no mercado internacional de mais de 7%, motivada pelo novo surto de covid-19 na China que provocou o fechamento das atividades em Xangai, destaca o especialista em Renda Variável da Blue3, Artur Borges.

A perspectiva de redução da atividade econômica e, portanto, de uso da commodity na segunda maior economia do mundo levou a uma depreciação de suas cotações. O movimento bateu direto nos preços de Petrobras por aqui: as PETR4 fecharam com queda de 2,17%, e as PETR3, de 2,63%.

A melhora do humor nas bolsas americanas ajudavam a B3 a engatar uma ligeira alta no fim do pregão, quando começaram a circular informações de que o presidente Bolsonaro havia decidido demitir o presidente da Petrobras, Joaquim Silva e Luna, segundo o especialista da Blue3.

O mercado encerrou os negócios sem ter a confirmação oficial dessa informação, mas já noticiada por alguns veículos de imprensa.

A revisão para cima das projeções de inflação para este ano também pesou sobre o mercado de ações: segundo o Boletim Focus do Banco Central, analistas e economistas subiram de 6,59% na semana anterior para 6,86% nesta segunda. As estimativas da Selic continuaram em 13%.

Números que destoam das estimativas do presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, que dão conta de um último ajuste da Selic em maio, levando-a para 12,75% ao ano.

Lá fora, os mercados operaram com expectativas sobre dados do emprego e da inflação nos EUA, de acordo com Borges. No fechamento, as bolsas americanas fecharam no azul: Dow Jones apresentou alta de 0,27%, S&P500, de 0,71%, e Nasdaq, de 2,16%. Comportamento que foi ajudado pela queda dos juros em contratos mais longos, de 30 anos.

Destaques do Ibovespa

Entre so destaques do dia apareceram os frigoríficos, a maior alta foi de Marfrig, com alta de 4,02%, seguida por Minerva Foods, com valorização de 3,66%. Estiveram ainda entre as cinco maiores altas, Assaí, 3,35%, Ambev, 2,93%, e Weg, 2,53%.

Sobre o autor
Regina Pitoscia
Editora do Portal Mais Retorno.