Logo Mais Retorno
Mercado Financeiro

Bolsa opera em queda puxada por commodities e acompanhando dados dos EUA; dólar cai

Acompanhe o movimento dos mercados financeiros nesta quarta-feira

Data de publicação:22/12/2021 às 12:22 -
Atualizado 8 meses atrás
Compartilhe:

Em mais um dia de baixo volume de negociação, reflexo da época de fim de ano, a Bolsa de Valores opera em queda nesta quarta-feira, 22, puxada pela desvalorização das ações ligadas ao minério de ferro e com os investidores acompanhando a divulgação de dados econômicos nos Estados Unidos. Às 11h32, o Ibovespa caía 0,98%, aos 104.462 pontos.

Durante a manhã, o Escritório Federal de Análise Econômica (BEA, na sigla em inglês), divulgou o Produto Interno Bruto (PIB) dos EUA do terceiro trimestre revisado, que cresceu 2,3% na taxa anualizada, enquanto os analistas esperavam uma alta menos expressiva, de 2,1%. Os números refletem uma desaceleração da economia americana, que no segundo trimestre registrou um crescimento de 6,7% no PIB.

Mercado ao vivo: confira a Bolsa e o dólar nesta quarta-feira, 15 de dezembro bolsas da europa
Foto: Envato

Com a divulgação dos dados, somada à cautela persistente em relação ao avanço da ômicron, a nova variante do coronavírus, os investidores demonstram um menor apetite por riscos. No entanto, o dólar opera em baixa nesta quarta-feira, refletindo a aprovação do Relatório do Orçamento de 2022 na véspera. Às 11h42, a moeda americana reportava baixa de 0,25%, cotada a R$ 5,73.

"Deve ser um dia de leve busca por risco, mas sem grandes movimentos. Portanto, mais uma dia de baixa liquidez e instabilidade, com viés negativo".

Roberto Padovani, economista-chefe do BV

Cenário interno: Orçamento 2022

Depois de muito impasse, o Orçamento de 2022 foi aprovado ontem - na Câmara e no Senado -, definindo o fundo eleitoral em R$ 4,9 bilhões, inferior ao valor de R$ 5,1 proposto antes, porém maior do que o da eleição de 2020.

Dentre outras considerações, o texto incluiu a previsão de R$ 1,7 bilhão para aumento dos salários de policiais federais - base de apoio do chefe do Executivo -, abrindo precedente para que outras categorias se mexam nessa direção e elevando as incertezas fiscais. Na reta final, os deputados e senadores carimbaram R$ 16,5 bilhões de emendas de relator do chamado "orçamento secreto".

Segundo Carlos Duarte, planejador financeiro CFP pela Planejar, ainda que partes do texto do Orçamento de 2022 gerem ruídos, a aprovação em si já foi incorporada pelo investidor. "Por mais que os servidores possam fazer um movimento radical pleiteando reajuste salarial nos moldes dos policiais federais, não terá grandes impactos fiscais. Só valerá o que está no Orçamento. Então, a Bolsa deve replicar o desempenho externo".

Cenário externo: atividade econômica

No cenário externo, a atenção dos investidores está voltada para a atividade econômica global, sobretudo a dos EUA, a maior economia do mundo. Os dados dos Estados Unidos são acompanhados com afinco pelo mercado, à medida que o Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos) está acelerando a retirada de estímulos econômicos (tapering) e pretende promover três altas dos juros em 2022.

Também segue no radar do mercado o avanço da nova variante do coronavírus, a ômicron, pelo mundo. Especialistas explicam que as consequências da nova cepa, tanto para a saúde quanto para a economia, ainda são muito incertas e, por isso, há uma certa expectativa em ver como a ômicron vai impactar o desempenho da atividade econômica dos países nos próximos meses.

Apesar dos dados mais fracos nos EUA e a preocupação com a pandemia, os principais índices americanos operam no azul neste pregão, apontando leve valorização.

Às 11h53, os índices americanos registravam estas variações:

  • S&P 500 subia 0,12%
  • Dow Jones caía 0,09%
  • Nasdaq 100 subia 0,34%

Na Europa, os principais índices também operam em alta, com as boas notícias sobre a eficácia de vacinas e medicamentos contra a ômicron da véspera. Na terça-feira, a farmacêutica Shionogi informou que seu medicamento oral apresentou atividade robusta contra a variante. Na segunda, foi a vez da Moderna destacar a eficácia de sua vacina contra a nova variante se acrescentada uma terceira dose de reforço.

Às 12h, os índices americanos registravam estas variações:

  • Stoxx 600 subia 0,34%
  • FTSE 100 (Londres) subia 0,07%
  • DAX (Frankfurt) subia 0,40%
  • CAC 40 (Paris) subia 0,50%
  • PSI 20 (Lisboa) caía 0,12%
  • Ibex 35 (Madrid) subia 0,40%

Sobe e desce na Bolsa

Após quatro altas consecutivas, o preço do minério de ferro nos mercados internacionais voltou a cair. A expectativa de especialistas do mercado é que, em 2022, a commodity viva mais um ano de bastante volatilidade. Os contratos negociados em Qingdao, na China, fecharam com queda de 2,62%, penalizando as ações do setor aqui no Brasil.

A Vale, que corresponde a cerca de 14% da composição do Ibovespa, caía 1,99% às 12h05. No mesmo horário, as siderúrgicas CSN, Usiminas e Gerdau recuavam 1,29%, 3,31% e 1,51%, respectivamente.

Ainda no campo das commodities, às 12h06 as ações da Petrobras apontavam baixa de 0,53%, em um dia de baixa liquidez para os contratos de petróleo negociados nos mercados internacionais. A petroleira tem um peso de 9% na carteira teórica da B3.

As maiores altas da Bolsa no dia

EmpresaCódigoVariação
GetnetGETT1112,46%
Banco PanBPAN45,20%
BRFBRFS32,04%
AlpagartasALPA41,57%
TotvsTOTS31,13%
Fonte: B3 (atualizado às 12h10)

As maiores baixas da Bolsa no dia

EmpresaCódigoVariação
QualicorpQUAL3-4,63%
NaturaNTCO3-4,58%
UsiminasUSIM5-3,37%
Rede D'orRDOR3-3,88%
HapvidaHAPV3-3,33%
Fonte: B3 (atualizado às 12h10)

Com Agência Estado

Sobre o autor
Bruna Miato
Repórter na Mais Retorno