Logo Mais Retorno
Empresa

Braskem deve ser beneficiada com saída da Petrobras e da Novonor do capital, e tem potencial para subir 40% em um ano

Sem exposição a riscos políticos e a problemas financeiros da Novonor, a petroquímica ganha potencial de valorização

Data de publicação:18/01/2022 às 16:05 -
Atualizado 4 meses atrás
Compartilhe:
  • Facebook
  • Linkedin
  • Twitter Mais Retorno
  • Telegram Mais Retorno
  • WhatsApp Mais Retorno
  • Email Mais Retorno

A venda das participações da Petrobras e Novonor (ex-Odebrecht) na Braskem pode trazer boas oportunidades para o investidor, segundo analistas. Ações bastante descontadas – cotadas a R$ 48,49 no pregão desta terça-feira, 18 –, ficar livre de riscos políticos da petroleira, e das dificuldades financeiras do antigo grupo Odebrecht , em recuperação judicial, estão entre as principais razões para se apostar nos papéis da petroquímica, que passará a contar com um bom potencial de crescimento no longo prazo.

Para Virgílio Lage, especialista da Valor Investimentos, o preço justo para as ações da Braskem gira em torno de R$ 70 a R$ 80 por papel.

Saída da Petrobras e da Novonor do capital da Braskem podem trazer oportunidades para o investidor; entenda
Para Virgílio Lage, as ações da companhia estão bastante descontadas e Braskem terá novos caminhos - Foto: Divulgação

Na oferta pública protocolada na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) pelas empresas nesta semana estão previstas a venda de ações preferenciais que ambas as companhias possuem junto à Braskem. Estima-se a oferta de até 154,9 milhões de papéis da série A - cerca de 47% deles são de posse da Petrobras. Se levada em conta a cotação atual da petroquímica, a operação pode render algo em torno de R$ 8 bilhões para seu caixa.

Até o momento, a empresa não anunciou o valor da ação a ser negociado durante o follow-on.

Riscos políticos, expansão e ganhos de governança corporativa

O especialista da Valor aponta que a dissolução da participação da Petrobras na companhia vai permitir que a Braskem possa expandir seu leque de atuação, além de não sofrer os efeitos de riscos políticos por tabela.

“A saída da Petrobras possibilitará caminhos mais promissores de crescimento para a empresa, que pode atuar com outros mercados e companhias. Além disso, não há indícios de perda de contratos, ou seja, a empresa deve continuar prestando serviços para a petroleira”.

Virgílio Lage, especialista da Valor Investimentos

O especialista Marcos Poliszezuk, sócio-fundador do Poliszezuk Advogados, aponta que a Braskem apresentou ótimos resultados para o ano de 2021 e a ausência de ingerência das duas companhias - Petrobras e Novonor - possivelmente afastará a tomada de decisões divergentes.

"Isso é muito positivo para qualquer companhia, possibilitando uma gestão mais comprometida com o seu core business do que o esperado pelos seus controladores", ressalta Poliszezuk.

Outro ponto levantado por Lage, da Valor, é a questão do risco político, algo que impacta na Petrobras e também nas demais empresas de propriedade do governo. Em ano de eleições, isso pode se tornar ainda mais acentuado. “Por ser estatal, a Petrobras convive com o risco de intervenção política o tempo todo, o que a partir dessa saída, passa a não afetar mais a Braskem.

Rodrigo Crespi, especialista de mercado da Guide Investimentos, aponta ganhos de governança corporativa para a petroquímica ao ser desvinculada da Novonor, que está em recuperação judicial.

Braskem crescimento

Após enfrentar um período desafiador em 2020 por conta da pandemia, a Braskem virou o jogo e conseguiu voltar a crescer em 2021, favorecida pelo ciclo de commodities e pela alta da inflação. “A empresa se recuperou fortemente, auxiliada pelo spread obtido nos produtos derivados de petróleo, como o propileno.”.

No terceiro trimestre do ano passado, a Braskem reportou lucro líquido atribuído de R$ 3,5 bilhões, revertendo prejuízo líquido de R$ 1,4 bilhão um ano antes.  Em agosto, a agência de risco S&P Global Rating elevou o risco da companhia da BBB-, com perspectiva estável, enfatizando a melhora dos índices de rentabilidade e de geração de caixa.

Analistas recomendam compra, mas com visão de longo prazo

Para o especialista Marcos Poliszezuk, em um primeiro momento os papéis da Braskem não devem sofrer valorização. “Há uma certa ‘pressão vendedora’ no momento que se anuncia um follow-on”.

No entanto, diante da expectativa da Braskem se tornar uma corporação, segundo Poliszezuk, isto é, uma empresa sem controladores definidos, no longo prazo pode trazer benefícios. “Pode afastar os problemas de governança e gerar uma possível valorização dos papéis, se a Braskem continuar apresentando os mesmos resultados positivos”.

Crespi, da Guide, recomenda a compra de ações nesse momento de entrada devido ao potencial de crescimento da companhia nos próximos anos.

“As ações da Braskem têm um potencial de alta de mais de 40% nos próximos 12 meses. Do ponto de vista operacional, a empresa segue bem e se prepara para entrar no Novo Mercado”.

Rodrigo Crespi, especialista de mercado da Guide Investimentos

A operação da empresa deve continuar saudável em 2022, pois sua produção está atrelada ao petróleo, além da margem de lucro interessante, reforça o especialista.

Leia mais

Sobre o autor
Julia Zillig
Repórter do Portal Mais Retorno.