Logo Mais Retorno
Empresa

S&P eleva risco da Braskem para BBB- com perspectiva estável

Melhora da rentabilidade e forte geração de caixa são os motivos para esse upgrade, segundo a empresa

Data de publicação:03/09/2021 às 11:56 -
Atualizado 9 meses atrás
Compartilhe:
  • Facebook
  • Linkedin
  • Twitter Mais Retorno
  • Telegram Mais Retorno
  • WhatsApp Mais Retorno
  • Email Mais Retorno

A Braskem comunicou ao mercado na véspera que a agência de classificação de risco S&P Global Rating (S&P) elevou o nível de risco da companhia para BBB-, com perspectiva estável.

Foto: Reprodução
Melhora dos índices de rentabilidade e geração de caixa são os principais pontos destacados pela Braskem para a elevação do rating da companhia pela S&P - Foto: Reprodução

Em comunicado distribuído ao mercado, a companhia destacou que a elevação do rating para grau de investimento “reflete a melhora considerável dos indicadores de rentabilidade e de geração de caixa”.

A empresa enfatizou ainda a decisão também espelha “o compromisso da companhia com a alavancagem e a expectativa da agência de que a Braskem continue se beneficiando com altos spreads petroquímicos nos próximos meses”.

Outro ponto reforçado pela Braskem é a manutenção de seu compromisso com a rigidez financeira, posição sólida de caixa e manutenção do perfil de endividamento alongado.

Lucro trimestral

No mês passado, a Braskem informou que reverteu o prejuízo de R$ 2,476 bilhões do segundo trimestre do ano passado em lucro líquido de R$ 7,424 bilhões no mesmo período deste ano. Em relação ao primeiro trimestre, houve uma alta de 198% no lucro.

receita líquida de vendas chegou a R$ 26,421 bilhões no segundo trimestre deste ano, avanço de 136% na comparação com o mesmo período de 2019 e alta de 16% em relação ao primeiro trimestre deste ano.

A geração livre de caixa da companhia foi de R$ 1,554 bilhão e o retorno de fluxo de caixa foi de 12,7% no segundo trimestre.

No segundo trimestre, o resultado operacional recorrente da companhia foi de R$ 9,400 bilhões, ante R$ 1,511 bilhão do mesmo período do ano passado e R$ 6,943 bilhões nos primeiros três meses deste ano, em função da apreciação do real frente ao dólar.

Na moeda americana, o lucro operacional recorrente da companhia foi de US$ 1,776 bilhão, 40% superior ao primeiro trimestre explicado, principalmente, pelos melhores spreads internacionais de PE, PVC e principais químicos no Brasil, PP nos Estados Unidos e na Europa e PE no México. / com Agência Estado

Sobre o autor
Mais Retorno
A Mais Retorno é um portal completo sobre o mercado financeiro, com notícias diárias sobre tudo o que acontece na economia, nos investimentos e no mundo. Além de produzir colunas semanais, termos sobre o mercado e disponibilizar uma ferramenta exclusiva sobre os fundos de investimentos, com mais de 35 mil opções é possível realizar analises detalhadas através de índices, indicadores, rentabilidade histórica, composição do fundo, quantidade de cotistas e muito mais!
Mais sobre