Logo Mais Retorno
Mercado Financeiro

Mercado ao vivo: confira a Bolsa e o dólar nesta quinta-feira, 31 de março

Guerra na Ucrânia segue sem avanços nas negociações para um acordo de paz com a Rússia

Data de publicação:31/03/2022 às 11:03 -
Atualizado 2 meses atrás
Compartilhe:
  • Facebook
  • Linkedin
  • Twitter Mais Retorno
  • Telegram Mais Retorno
  • WhatsApp Mais Retorno
  • Email Mais Retorno

Após fechar acima dos 120 mil pontos na véspera, a Bolsa opera entre perdas e ganhos nesta quinta-feira, 31, em dia de correção nos mercados globais. Às 15h00, o Ibovespa apresentava alta de 0,16%, aos 120.452 pontos, e o dólar caía 0,98%, negociado a R$ 4,740, em dia de Ptax.

Com agenda local esvaziada, as atenções do mercado seguem voltadas para a guerra na Ucrânia, cujas negociações para um acordo de paz com a Rússia seguem sem avanços.

Mercado ao vivo: confira a Bolsa e o dólar nesta quinta-feira, 31 de março
Inflação anual dos EUA atinge maior patamar em 40 anos, segundo o Departamento do Comércio do país - Foto: Envato

A Rússia voltou a bombardear na véspera os arredores de Kiev, apenas um dia depois de prometer reduzir operações militares em torno da capital ucraniana. A postura de Moscou coloca em dúvida relatos sobre "avanços" em conversas bilaterais ocorridas na Turquia, na última terça-feira, 29.

Além disso, os investidores estão repercutindo dados da economia americana, como inflação e volume de pedidos de auxílio-desemprego no país.

Segundo dados do Departamento do Comércio dos EUA, divulgados durante a manhã, a inflação americana, medida pelo índice de preços de despesas e consumo pessoal (PCE, na sigla em inglês) subiu 0,4% em fevereiro na base de comparação mensal. Na amostragem anual, a alta do núcleo foi de 5,4%, maior valor em 40 anos.

O dado mensal veio em linha com as expectativas do mercado e o número anual ficou levemente abaixo da expectativa de 5,5%. Vale lembrar que o PCE é um dos principais indicadores que o Federal Reserve (Fed, o banco central americano) usa para balizar suas decisões sobre a taxa de juros. Recentemente, a autoridade monetária não descartou a possibilidade de intensificar ainda mais o aperto monetário do país.

Já o volume de auxílio-desemprego somou 202 mil solicitações na semana encerrada em 26 de março, segundo informações do Departamento do Trabalho publicadas hoje. Na semana anterior, foram 188 mil pedidos. O montante veio acima da previsão de 197 mil benefícios projetados pelos economistas do mercado.

Bolsas americanas/principais índices

  • S&P 500: -0,29%
  • Dow Jones: -0,44%
  • Nasdaq 100: -0,28% (dados atualizados às 11h42)

Ainda no universo de Wall Street, o mercado acompanha a notícia de que o presidente Joe Biden prepara uma liberação de reservas de petróleo na ordem de um milhão de barris por dia para combater a alta dos preços da commodity. Com essa informação, o preço do barril tipo Brent cai mais de 3% no mercado.

Juros futuros

No Brasil, os juros futuros seguem mistos nesta quinta-feira, acompanhando o movimento do dólar ante o real, dos juros dos Treasuries e do petróleo. O movimento de alta leve se dá nos juros longos.

O mercado também aguarda pelo leilão de LTN e NTN-F, que pode trazer alguma pressão de alta, e digere o dado de desemprego Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A taxa de desocupação no Brasil ficou em 11,2% no trimestre encerrado em fevereiro, de acordo com os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), ficando no piso das expectativas dos analistas ouvidos pelo Projeções Broadcast.

Por volta das 11h30, a taxa do contrato de depósito interfinanceiro (DI) para janeiro de 2027 subia para 11,27%, de 11,25% na abertura do dia. O DI para janeiro de 2025 cedia para 11,45%, de 11,47%, e o vencimento para janeiro de 2023 caía para 12,73%, de 12,76%.

Sobe e desce da Bolsa

Maiores altas

Positivo (POSI3)+3,80%
Weg (WEGE3)+2,37%
Cemig (CMIG4)+2,23%
Banco Inter (BIDI11)+2,51%
CVC (CVCB3)+2,64%

Maiores baixas

Méliuz (CASH3)-2,21%
Cosan (CSAN3)-2,02%
3R Petroleum (RRRP3)-1,42%
Suzano (SUZB3)-1,24%
Americanas S.A (AMER3)-1,04%
Fonte: B3 (dados atualizados às 11h24)

Mercado internacional

Bolsas europeias seguem no vermelho

Na Velha Economia, o sentimento de cautela predomina nas principais praças financeiras do continente. Por lá, a guerra na Ucrânia se mantém no radar e os investidores repercutem dados econômicos do bloco, além dos movimentos dos EUA em relação ao petróleo.

A Eurostat, agência oficial de estatística da União Europeia, divulgou ao longo da manhã que a taxa de desemprego da zona do euro caiu de 6,9% em janeiro para 6,8% em fevereiro. O resultado ficou um pouco acima da expectativa dos analistas, que esperavam queda de 6,7%.

A agência da UE estima que havia 11,155 milhões de desempregados na zona do euro em fevereiro. Em relação a janeiro, o número de pessoas sem emprego na região sofreu recuo de 181 mil.

Bolsas europeias/principais índices

  • Stoxx 600 (Europa): -0,67%
  • DAX (Frankfurt): -1,11%
  • FTSE 100 (Londres): -0,68%
  • CAC 40 (Paris): -1,06% (dados atualizados às 11h43)

Bolsas asiáticas fecham em baixa

As bolsas asiáticas fecharam majoritariamente em baixa nesta quinta-feira, após a manufatura da China voltar a se contrair e novos bombardeios russos ao redor da capital da Ucrânia abalarem a confiança de progresso em recentes negociações de paz.

O PMI industrial oficial chinês caiu a 49,5 em março, voltando a ficar abaixo da barreira que 50 que indica contração da manufatura, num momento em que a China restabelece medidas de restrição por causa de um novo surto de covid-19. / com Agência Estado

Bolsas asiáticas/fechamento

  • Nikkei (Tóquio): -0,73% (27.821 pontos)
  • Hang Seng (Hong Kong): -1,06% (21.996 pontos)
  • Taiex (Taiwan): -0,27% (17.693 pontos)
  • Xangai Composto (China continental): -0,44% (3.242 pontos)
  • Shenzhen Composto (China continental): -0,92% (2.117 pontos)
  • Kospi (Seul): +0,40% (2.757 pontos)
  • S&P/ASX 200 (Sydney): -0,20% (7.499 pontos)
Sobre o autor
Julia Zillig
Repórter do Portal Mais Retorno.