Logo Mais Retorno
Mercado Financeiro

Mercado ao vivo: confira a Bolsa e o dólar nesta segunda-feira, 7 de março

Investidores monitoram escalada do petróleo e nova rodada de negociações sobre um possível cessar-fogo entre os dois países

Data de publicação:07/03/2022 às 15:27 -
Atualizado 3 meses atrás
Compartilhe:
  • Facebook
  • Linkedin
  • Twitter Mais Retorno
  • Telegram Mais Retorno
  • WhatsApp Mais Retorno
  • Email Mais Retorno

A Bolsa opera em queda nesta segunda-feira, 7, seguindo a cautela do mercado internacional por conta dos reflexos da guerra entre a Rússia e a Ucrânia, cujo conflito até momento não registrou nenhuma evolução diplomática sobre o cessar-fogo.

A queda do principal índice da B3 é atenuada pelo avanço dos papéis das siderúrgicasVale sobe mais de 3%, com as demais gigantes do setor na mesma esteira - com a valorização do preço do minério de ferro lá fora. Às 13h07, o Ibovespa recuava 0,79%, aos 113.570 pontos, e o dólar caía 0,28%, cotado a R$ 5,064.

Mercado ao vivo: confira a Bolsa e o dólar nesta segunda-feira, 7 de março
Possível interrupção da importação de petróleo e gás natural da Rússia pelos EUA levou o preço do barril tipo Brent para quase US$ 140 - Foto: Envato

Durante a madrugada, o preço do barril do petróleo tipo Brent disparou, chegando a encostar no patamar de US$ 140 o barril, após o governo do presidente americano Joe Biden avaliar na véspera se banirá ou não a importação de petróleo e de gás natural da Rússia.

Para aliviar os preços, que dispararam com a guerra entre o país de Vladimir Putin e a Ucrânia, autoridades dos Estados Unidos se reuniram com representantes da Venezuela para permitir que o petróleo bruto do país volte ao mercado internacional.

Bolsas americanas/principais índices

  • S&P 500: -1,28%
  • Dow Jones: - 1,23%
  • Nasdaq 100: - 1,57% (dados atualizados às 13h10)

No Brasil, com receio dos impactos dessa alta no mercado local, o presidente da República, Jair Bolsonaro, afirmou nesta segunda-feira que vai discutir o salto dos preços da commodity em reunião com os ministérios da Economia, Minas e Energia, e com a Petrobras.

Na ocasião, o chefe do Executivo voltou a criticar a política de preços da estatal, que alinha a variação dos combustíveis à cotação internacional do petróleo. “Não pode continuar”, declarou.

O governo também avalia um novo programa de subsídio aos combustíveis, com validade de três a seis meses. O objetivo é evitar um repasse dos preços para as bombas dos postos de gasolina.

Mercado revisa para cima as expectativas da inflação para 2022

Tendo o conflito entre os dois países no radar, os economistas do mercado revisaram pela oitava vez consecutiva as projeções da inflação para 2022, segundo dados do Boletim Focus divulgado pelo Banco Central ao longo da manhã. De 5,60%, as estimativas para o IPCA do período subiram para 5,65%. Para o ano seguinte, ficaram estacionadas em 3,51% acima da meta do BC de 3,25% para o período.

Juros futuros: alta amenizada com nova tentativa sobre cessar-fogo

Os juros futuros começaram a semana em alta firme refletindo a aversão a risco global e disparada do petróleo, que alimenta os temores com a inflação.

Mas o movimento é amenizado nos juros médios e longos pelas mínimas do dólar ante o real e com o petróleo subindo um pouco menos diante da expectativa com a terceira rodada de negociações de cessar-fogo entre Rússia e Ucrânia, que deve começar no final da manhã.

Por volta das 13h, a taxa do contrato de depósito interfinanceiro (DI) para janeiro de 2027 subia para 11,97%, de 11,83% na abertura. O DI para janeiro de 2025 avançava para 12,18%, de 12,13%, e o DI para janeiro de 2023 se mantinha em 12,94%.

Sobe e desce da Bolsa

Maiores altas

CSN (CSNA3)+4,41'%
Vale (VALE3)+2,83%
Bradespar (BRAP4)+2,85%
CSN Mineração (CMIN3)+2,67%
Suzano (SUZB3)+1.80%

Maiores baixas

Natura & Co-4,05%
Petz (PETZ3)-4,05%
Totvs (TOTS3)- 3,94%
Gol (GOLL4)- 3,63%
Azul (AZUL4)- 3,25%
Fonte: B3 (dados atualizados às 11h36)

Guerra entre Rússia e Ucrânia: novos desdobramentos

Em seu 12º dia, a guerra entre a Rússia e a Ucrânia segue sendo acompanhada de perto pelos investidores. Durante a manhã, militares russos cessaram fogo e abriram corredores humanitários em várias cidades, após os combates interromperem os esforços de evacuação no fim de semana e aumentarem as baixas civis.

No entanto, os canais de retirada de civis levam as pessoas somente para o território russo e para seu aliado, Belarus, um movimento imediatamente denunciado por Kiev como “um golpe imoral”.

Em paralelo a isso, a Rússia sinalizou à Ucrânia que pode interromper as operações militares - e está pronta para isso - se Kiev cumprir uma lista de condições, segundo disse o porta-voz do Kremlin nesta segunda-feira. De acordo com Dmitry Peskov, Moscou está exigindo que a Ucrânia baixe suas armas, mude sua constituição para consagrar a neutralidade, reconheça a Crimeia como território russo e as repúblicas separatistas de Donetsk e Lugansk como estados independentes.

Bolsas europeias fecham em baixa

Após trafegarem em forte queda, as bolsas europeias fecharam em baixa, com o avanço do preço do petróleo – que perdeu um pouco a força ao longo da manhã – e os novos capítulos da guerra entre Rússia e Ucrânia.

Diante do tenso cenário geopolítico, dados econômicos positivos da Alemanha acabaram ficando em segundo plano. Em janeiro, as encomendas à indústria alemã subiram 1,8% ante o mês anterior, superando as expectativas, enquanto as vendas no varejo avançaram 2%, como se previa.

Bolsas europeias/fechamento

  • Stoxx 600 (Europa): +0,05%
  • DAX (Frankfurt): -0,22%
  • FTSE 100 (Londres): +0,03%
  • CAC 40 (Paris): +0,11%

Bolsas asiáticas concluem o dia no vermelho

Os mercados asiáticos fecharam em forte queda nesta segunda-feira, à medida que as cotações do petróleo dispararam como reflexo dos últimos desdobramentos da guerra russo-ucraniana.

Em segundo plano diante do cenário geopolítico, os últimos dados da balança comercial chinesa superaram as expectativas no primeiro bimestre deste ano, mas mostraram significativa desaceleração em relação a dezembro. / com Tom Morooka e Agência Estado

Bolsas asiáticas/fechamento

  • Hang Seng (Hong Kong): -3,87% (21.057 pontos)
  • Nikkei (Tóquio): -2,94% (25.221 pontos)
  • Kospi (Seul): -2,29% (2.651 pontos)
  • Xangai Composto (China continental): - 2,17% (3.372 pontos)
  • Shenzhen Composite (China continental): -2,70% (2.203 pontos)
  • S&P/ASX 200 (Sydney): -1,02% (7.038 pontos)
Sobre o autor
Regina Pitoscia
Editora do Portal Mais Retorno.