Logo Mais Retorno
bolsa
Mercado Financeiro

Com balanços corporativos e alta no minério de ferro, Bolsa sobe 1,54% e dólar cai a R$ 5,40

Dados econômicos negativos não abalaram o otimismo dos investidores

Data de publicação:11/11/2021 às 18:31 -
Atualizado um ano atrás
Compartilhe:

Refletindo o bom-humor dos investidores, especialmente, com o dia de divulgação de fortes balanços corporativos, a Bolsa de Valores fechou o pregão desta quinta-feira, 11, com alta de 1,54%, aos 107.594 pontos. O Ibovespa não fechava a esses níveis há mais de duas semanas. Também contribuiu para o avanço do índice a valorização do minério de ferro nos mercados internacionais, impulsionando os papéis da Vale e das siderúrgicas.

No sentido contrário, o dólar viveu um dia de baixas ante o real e moedas de outras divisas emergentes, como o peso mexicano e o rand sul africano. A moeda americana caiu 1,64% neste pregão, cotada a R$ 5,40, em dia de menor liquidez no mercado financeiro dos Estados Unidos por conta do feriado do Dia dos Veteranos - o que mantém o mercado de Treasuries fechado.

Foto: B3 bolsa horários de negociação da b3
Sede da B3, a Bolsa de Valores brasileira, em São Paulo - Foto: B3/Divulgação

Ainda no exterior, as principais bolsas americanas fecham sem direção única, com os investidores digerindo os dados de inflação nos EUA divulgados na véspera. A taxa anual de inflação (CPI, na sigla em inglês) avançou 0,9% em outubro ante setembro, contra a mediana das expectativas de 0,6%. Neste contexto, os índices S&P 500 e Nasdaq 100 subiram 0,06% e 0,29%, enquanto o Dow Jones recuou 0,44%.

Cenário doméstico

Mais cedo, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou os novos dados sobre vendas no comércio varejista no País. De acordo com a Pesquisa Mensal de Comércio, as vendas na passagem de agosto para setembro de 2021 ficaram 0,4% abaixo do nível registrado antes da pandemia de covid-19.

O gerente da pesquisa, Cristiano Santos, considera que o avanço da inflação pelo Brasil é um dos principais fatores que levaram a uma redução no consumo varejista. "Tem alguns fenômenos, mas a inflação certamente é o mais importante, particularmente nos últimos dois meses", afirma.

Vale lembrar que, na véspera, o IBGE divulgou os números do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que reflete a inflação oficial do País, e os números vieram bem acima das expectativas dos analistas. Em outubro, o IPCA avançou 1,25%, chegando ao acumulado de 10,67% em 12 meses e 8,24% em 2021. A equipe de analistas do BTG Pactual projetava uma alta menos expressiva, de 1,07%.

Com o resultado, a equipe econômica do Banco Inter revisou a expectativa para o IPCA de 2021, passando de 9,1% para 10,2% ao fim do ano, assim como de 2022, de 4,3% para 4,7%. "Mesmo com a contaminação do índice de 2022 com a inflação no final deste ano, outros fatores devem exercer um contraponto. Ainda assim, a desaceleração deverá ser gradual", explicam os especialistas.

Embora os dados sobre inflação e vendas no varejo mostrem uma deterioração do cenário econômico, isso não azedou o dia do mercado, com a PEC dos Precatórios ainda do radar dos investidores. Especialistas consideram que a aprovação da proposta é o "menos pior" dos cenários para o rumo fiscal do Brasil. A PEC segue, agora, para votação no Senado.

"No campo político, o líder do governo e relator do texto da PEC dos Precatórios, Fernando Bezerra Coelho, afirmou que o texto deverá ser apreciado entre os dias 23 e 24 deste mês na CCJ do Senado. Se houver entendimento entre as lideranças partidárias, a proposta poderá ser votada na mesma semana em Plenário. Se isso não acontecer, a matéria será apreciada entre os dias 30 de novembro e 2 de dezembro", ressalta o analista da Clear Corretora, Rafael Ribeiro.

O dia na Bolsa

Nesta quinta-feira, após chegar ao menos nível do ano na véspera, os contratos futuros de minério de ferro negociados na China dispararam cerca de 7%. Segundo Ribeiro, a alta veio "após desmentidos os rumores de falência da Evergrande". O analista explica que, hoje, clientes da empresa Clearstream, sediada em Luxemburgo e que presta serviços de pós-negociação, receberam os juros de três títulos vencidos da gigante chinesa do setor imobiliário.

Dessa forma, a Vale, que corresponde a cerca de 14% da carteira teórica da B3, registrou alta acentuada de 3,68% no pregão da Bolsa, ajudando a levar o Ibovespa para cima. As siderúrgicas também se beneficiaram do salto no preço do minério e dispararam nesta quinta-feira. CSN, Usiminas e Gerdau avançaram 7,37%, 6,16% e 5,95%, respectivamente.

O dia também foi bastante positivo para algumas empresas que apresentaram bons resultados em seus balanços corporativos trimestrais. Bradespar, JBS, Samartfit e Caixa Seguridade fecharam o dia no azul, com variação positiva de 5,53%, 0,95%, 5,07% e 3,52% em seus papéis, respectivamente.

A companhia aérea Azul teve uma das altas mais expressivas da Bolsa no pregão e disparou 9,80%. Apesar de reportar prejuízo líquido de R$ 2,24 bilhões no terceiro trimestre, a receita líquida total da empresa foi de R$ 2,71 bilhões, aumento significativo sobre os R$ 805,3 milhões obtidos no mesmo trimestre de 2020.

Em contrapartida, outras empresas que apresentaram números negativos na visão do mercado viveram um pregão de baixas. Entre elas, BRF e Oi, que caíram 0,82% e 5,88%, na sequência.

Sobre o autor
Mais Retorno
A Mais Retorno é um portal completo sobre o mercado financeiro, com notícias diárias sobre tudo o que acontece na economia, nos investimentos e no mundo. Além de produzir colunas semanais, termos sobre o mercado e disponibilizar uma ferramenta exclusiva sobre os fundos de investimentos, com mais de 35 mil opções é possível realizar analises detalhadas através de índices, indicadores, rentabilidade histórica, composição do fundo, quantidade de cotistas e muito mais!

Inscreva-se em nossa newsletter