Logo Mais Retorno
Fundos de Investimentos

De virada, Chess Alpha rende 20,63% em janeiro; veja ranking dos 10 fundos multimercado mais rentáveis no mês

De pior rendimento em 2021, o Chess Alpha foi favorecido com alta da bolsa e queda do dólar

Data de publicação:11/02/2022 às 00:30 -
Atualizado 3 meses atrás
Compartilhe:
  • Facebook
  • Linkedin
  • Twitter Mais Retorno
  • Telegram Mais Retorno
  • WhatsApp Mais Retorno
  • Email Mais Retorno

Da rabeirinha do ranking do ano passado, com o pior rendimento de 2021, à vice-liderança dos fundos multimercado que mais renderam no primeiro mês de 2022. Essa foi a trajetória, na transição de 2021 para 2022, do Chess Alpha FIC FIM, que saiu de uma rentabilidade negativa de 50,95%, acumulada no ano passado, para um rendimento de 20,63%, em janeiro.

O fundo da Chess Capital não entregou resultados robustos em janeiro sozinho. Outros nove que fazem companhia a esse fundo na lista dos 10 mais rentáveis proporcionaram rendimento entre 26,34% e 7,96%. Os dados são da Mais Retorno, em um levantamento exclusivo feito com 963 fundos multimercado, com mais de 60 cotistas, mais de R$ 17 milhões de patrimônio, mais de um ano em operação e abertos ao público.

Os 10 fundos multimercado campeões

FundoRend. jan/22 Rend. 12 mesesPatrimônio
R$ milhões
Sprectra Latin America Private Equity26,34% 47,70% 40,819
Chess Alpha FIC FIM20,63%-29,55% 24,870
Logos Total Return FIC FIM17,65% 9,84%199,530
Spectra V Latam FIM CP IE10,82% 39,96%422,405
Versa Long Biased FIM10,25%-11,31%253,431
Helius Lux Long Biased FIC FIM 9,91% 19,06%149,738
Vitis Capital Long Biased FIC FIM 9,36% 7,32% 24,696
Sparta Cíclico FIM 8,61% 40,07% 64,956
FIM Tesouraria 1 B FIM CP 8,45% 95,48% 18,130
Alpha Key Long Biased FIC FIM 7,96%-15,37%152,021
Fonte: Mais Retorno

O que está por trás da virada na performance do fundo Chess Alpha não é a composição da carteira, que permanece praticamente a mesma, o que mudou foi o comportamento do mercado, explica Vicente Matheus Zuffo, gestor do Chess Alpha FIC FIM. “As posições praticamente não mudaram, a carteira está bastante comprada em uma cesta de ações de grandes empresas da B3 e vendida em dólar contra o real” – estratégia que aposta em baixa do dólar e valorização da moeda brasileira.

O que deu errado na gestão, bem-sucedida desde a pandemia de 2020 até quase o fim do primeiro semestre de 2021, período em que teve performance positiva, de acordo com o Zuffo, foi que “o Ibovespa passou a perder sustentação e o dólar a subir com força a partir do segundo semestre”, pontua. “O Ibovespa saiu da faixa de 130 mil pontos para perto de 100 mil e o dólar subiu cerca de 17%, de um nível em torno de R$ 4,90 para próximo de R$ 5,75%”, explica o gestor. “Foi isso que pegou no fundo.”

O que agravou as perdas em 2021, além da composição pesada da carteira em ações e câmbio, “foi um pouco de alavancagem em derivativos” – prática que usa recursos além do estoque do patrimônio para aplicação em ativos derivados de ações e dólar negociados no mercado a vista.

Os lanterninhas em janeiro

FundoRend. jan/22Rend. 12 mesesPatrimônio
R$ em milhões
RA2 SR Energia I FIM IE-49,16%-45,35% 30,902
BLP Digital 100 FIM IE-26,89% 39,06% 38,615
Hashdex 100 Nasdaq Crypto Index-23,66% 10,71%233,716
Vitreo Cannabis Ativo FIM-22,00% -46,43% 35,045
FIC FI Caixa Mult. Mult. Global Equities -16,05% -9,89%182,396
Vitreo Uranio FIM-14,05% 24,95% 80,851
M Square Global Equity Man. Inst.-13,10% 2,95% 87,633
Itaú Estratégia S&P 500 UDS Mult.-10,37% 15,30%565,540
Itaú Index Mult. Estratégia S&P500-10,30% 16,57%864,169
Itaú Multi. S&P 500 USD-10,29% 6,58%233,339
Fonte: Mais Retorno

“O que aconteceu em janeiro, em favor do nosso fundo, foi uma inversão do comportamento desses ativos que persistiu até o fim de 2021, com recuperação da bolsa de valores e desvalorização do dólar” – o Ibovespa subiu 6,98% e o dólar recuou 4,83% no primeiro mês do ano.

Como em time que está ganhando não se mexe, o gestor do fundo que virou o jogo ao insistir em uma estratégia perdedora em 2021 diz que, com alguns retoques, a carteira vitoriosa em janeiro será mantida. Uma escolha que se respalda no otimismo com o Brasil, segundo Zuffo.

O gestor afirma que o País ficou muito atrasado em relação aos desenvolvidos e aos demais emergentes. Ele calcula que, se estivesse no mesmo patamar dos demais, “o Ibovespa estaria bem acima do nível atual, possivelmente acima de 130 mil pontos, e o dólar bem abaixo, em torno de R$ 4,50”, avalia. “A bolsa tem muito espaço para se valorizar e o dólar para cair – nesta quinta-feira, o Ibovespa fechou em 113.368 pontos e o dólar, cotado por R$ 5,24 para venda.

fundos mutimercado
Foto: Envato

Zuffo entende que o mercado financeiro está muito pessimista, “mas muito da turbulência esperada por causa de ruídos políticos e fiscais já está precificado”, incorporado nos preços dos ativos, acredita. Um tema em que é preciso ficar de olho, de acordo com o gestor, “é esse processo de normalização dos juros no mundo”. Sobretudo nos Estados Unidos.

O mercado precifica até seis altas de 0,25 ponto porcentual cada uma, o que daria um aumento de 1,50 ponto porcentual, calcula o Zuffo, sobre uma taxa que está atualmente próxima de zero. “Em minha visão, no entanto, a alta dos juros pelo Fed (Federal Reserve, banco central americano) terá efeitos piores nos EUA do que no Brasil”, acredita.

Ele aponta pelo menos dois motivos. “Os ativos americanos foram muito bem em 2021, subiram bastante e abriram muita diferença em relação ao Brasil, que, por sua vez, antecipou a alta dos juros e já atrai capitais, tanto para a bolsa de valores quanto para os títulos de renda fixa.”

Conheça mais dos fundos

O campeão foi o Spectra Latin America Private Equity IV FIM CP IE, que investe em ativos no exterior e acumulou rentabilidade de 26,34%, seguido do vice, o Chess Alpha FIC FIM, que rendeu 20,63%. Foi a dupla de fundos que rendeu mais de 20% em janeiro. O Alpha Key Long Biased sustentou a décima posição na lista ao entregar uma rentabilidade de 7,96% aos cotistas no mês passado.

Quatro dos fundos multimercado destacaram em janeiro com a gestão do tipo long biased, uma estratégia que possibilita ganhos tanto na alta quanto na baixa dos mercados. O Versa Long Biased rendeu 10,25%; o Helius Lux Long Biased, 9,91%; o Vitis Capital Long Biased, 9,36%, e o Alpha Key Long Biased, 7,96%.

Fora os dez fundos do pelotão dos mais rentáveis, dentre os 963 pesquisados pela Mais Retorno, 446 outros fundos renderam mais de 1% e 574 entregaram rendimentos acima da variação de 0,73% do CDI - benchamark ou índice de referência desses produtos - aos cotistas.

No balanço de 12 meses, o destaque foi o FIM Tesouraria 1B, que acumulou rentabilidade de 95,48%, seguido do Spectra Latin America Private Equity, com rendimento de 47,70%. Dois fundos da lista de dez tiveram queda no período: o Chess Alpha FIC FIM caiu 29,55% e o Versa Long Biased teve rendimento negativo de 11,31%.

A gestão dos fundos multimercado envolve tamanha diversidade de ativos em carteira, de escolhas e de estratégias que, se alguns fundos brilham no topo, outros ficam na parte de baixo da tabela por entregar pesados ganhos negativos aos cotistas. É o que ocorre, em geral, quando o gestor erra a mão na aposta da direção dos mercados.

Dos fundos que compõem o universo de levantamento, 202 fecharam janeiro com rendimento negativo. O de pior desempenho foi o RA2 SR Energia I FIM CP, com rentabilidade negativa de 49,16%. 

No balanço de 12 meses, no entanto, apenas dois fundos tiveram rendimento com sinal negativo, uma indicação de que esses produtos vêm acumulando boa performance ao longo do tempo. A queda é encabeçada pelo Vitreo Cannabis Ativo FIM, com queda de 46,43%, que forma dupla com RA2 RS Energia I FIM CP, com queda de 45,35%.

Leia mais

Sobre o autor
Tom Morooka
Colaborador do Portal Mais Retorno.