Logo Mais Retorno
Fundos de Investimentos

Fundos multimercado: 20% dos campeões em captação não superaram o CDI em 2021

Em total de 823 fundos multimercado, 219 fecharam o ano no vermelho

Data de publicação:21/01/2022 às 01:03 -
Atualizado 4 meses atrás
Compartilhe:
  • Facebook
  • Linkedin
  • Twitter Mais Retorno
  • Telegram Mais Retorno
  • WhatsApp Mais Retorno
  • Email Mais Retorno

Os fundos multimercado foram um dos que mais sofreram com a forte volatilidade do mercado financeiro em 2021. Entre os 10 que mais captaram ao longo do ano, 2 deles, do Banco do Brasil, sequer conseguiram pagar a variação do CDI, de 4,42%, o principal e mais usual benchmark do setor.

E de um universo de 823 fundos, que entraram no estudo exclusivo da Mais Retorno, 219 ou 27% do total fecharam o ano no vermelho. A maior queda foi do Chess Alpha, de 50,96%.

A performance dos 10 fundos multimercado que mais captaram em 2021

FundoCaptação *
R$ em bilhões
Rend. 2021Ranking rendimento
universo de 823 fundos
BB MULTIM. LP JUROS MOEDA12,35 4,37%352º
FI CAIXA INDEXA BOLSA AMER. 2,4732,83% 18º
IBIÚNA HEDGE ST ADVISORY 2,2710,21% 96º
BB MULTIM. LP CARTEIRA INV. 1,82 2,78%451º
GÁVEA MACRO SELEÇÃO MULT. 1,56 6,59%241º
SAFRA S&P REAIS PB 1,2532,11% 22º
QUANTITAS FIC FIM MALLORCA 1,06 7,27%203º
BRADESCO H FIM BOLSA AMER. 1,0132,02% 23º
SANTANDER GLOBAL EQUITIES DÓLAR 959(milhões) 23,65% 22º
WESTERN ASSET US INDEX 500 847(milhões)32,45% 20º
* Captação líquida, depósitos menos resgates - Fonte: Mais Retorno

Resultado fraco nos fundos do BB

Musculatura avantajada no patrimônio não é propriamente sinônimo de rentabilidade consistente desses fundos multimercado. Principalmente em produtos ofertados por bancões públicos. Com algumas exceções.

Os dados de rentabilidade da tabela ilustram esse descompasso. O campeão em ingresso de recursos, o BB Multimercado LP Juros Moedas FIC FIC, captou R$ 12,352 bilhões, mas entregou rendimento de 4,37% ao investidor no ano passado. Um desempenho inferior à inflação de 10,06% acumulada em 2021, e também ao CDI (4,42%), que situa esse fundo na 352º posição no ranking de 823 fundos multimercado.

Pior ainda foi a performance do BB Multimercado LP Carteira Investimento, de 1,82% no ano, o que o fez ocupar a posição 451º no mesmo ranking.

Quem deixou o dinheiro nesses fundos do BB ao longo do ano passado perdeu da inflação e até mesmo de aplicações mais básicas da renda fixa, atreladas ao CDI. Deixou também de embolsar um rendimento muito maior, como, por exemplo, o do FI Caixa Indexa Bolsa Americana Multimercado LP, que rendeu 32,83%.

Embora a Caixa seja também de varejo, o que faz diferença entre os produtos dos dois bancos públicos são a gestão e a estratégia distintas. O fundo da Caixa tem exposição da carteira a ações no exterior, sobretudo as americanas, que tiveram forte valorização.

Especialistas atribuem o fraco desempenho de alguns fundos do BB a uma gestão passiva, sem grandes tacadas, e ao pouco cuidado do investidor, por comodismo, com o dinheiro. Uma chance de maiores ganhos que escapa pelo ralo.

Fundos multimercado que pagaram acima do CDI

Nem todos, porém, sucumbiram, em captação e rentabilidade, ao vendaval que varreu os mercados, alimentado por incertezas econômicas, políticas e sanitárias, tanto domésticas quanto internacionais.

Gestores de fundos de carteira diversificada em vários ativos (ações, juros, moedas) que acertaram a mão na calibragem de uma estratégia ajustada à direção dos mercados proporcionam retorno atraente a seus cotistas.

Dentre os 604 que tiveram variação positiva da cota e, portanto, proporcionaram ganho ao investidor, 349 renderam mais que o CDI, em geral o benchmark dos fundos multimercado, um indicador de performance que pode variar de fundo para fundo, como IPCA mais juros.

Do grupo de dez fundos multimercado que tiveram o maior volume de captações em 2021, quatro apresentaram uma rentabilidade respeitável, acima de 30%; oito deles superaram o CDI.

O FI Caixa Indexa Bolsa Americana Multimercado LP, o líder em rentabilidade desse seleto time que mais captaram, rendeu 32,83%, seguido pelo Western Asset US Index 500, com rendimento de 32,45%, pelo Safra S&P Reais PB, com 32,11%, e pelo Bradesco H FIM Bolsa Americana, 32,02%.

Ao considerar o ranking de melhor rentabilidade em 2021, é possível encontrar desempenho bem mais gordo do que esses. Os dois primeiros colocados, por exemplo, apresentaram valorização superior a 100%: Hashdex 100 Nasdaq Crypto Index FIM IE (107,97%) e ESH Theta FIM (104,20%).

fundos multimercado
Fundos multimercado de gestoras independentes têm boa performance e atraem investidores = Foto: Jeff Belmonte

Gestoras independentes brilham e atraem investidores

O levantamento da Mais Retorno fornece também um dado revelador das mudanças em curso no mercado de fundos de investimento. Quatro dos dez fundos multimercado que mais captaram em 2021 são capitaneados por gestoras independentes.

Fora das grandes redes de agências, o Ibiuna Hedge ST Advisory FIC FIM aparece em terceiro em ingresso de recursos no ano passado, com R$ 2,275 bilhões, o fundo foi o sexto em rentabilidade dentre os que mais captaram. Além dele, ficam em destaque o Gávea Macro Seleção Multimercado FIC FIM, o Western Asset US Index 500 FIM (o mais rentável entre as gestoras independentes e o Quantitas FIC FIM Mallorca.

Luigi Wis, especialista em Investimentos da Genial, não se surpreende com o espaço que as gestoras independentes conquistam no mercado e na preferência dos investidores.

Ele atribui o crescimento dos fundos de gestoras independentes em grande parte “aos resultados apresentados, uma rentabilidade dos produtos que vem se destacando principalmente desde 2019, e isso se reflete na captação”, avalia. “Estratégias que performam bem e atraem investidores.”

O especialista da Genial afirma que são estratégias diferentes (as do Ibiuna, da Gávea e da Western), “mas esses fundos entregaram resultados muito interessantes nos últimos dois anos”. E é isso que o investidor vai olhar, buscar a rentabilidade passada primeiro, ao colocar o dinheiro em um fundo, “embora não seja recomendável a análise de apenas esse item para decidir”, alerta Wis.

Como avaliar o fundo

O que o investidor deve fazer, segundo o especialista, é “uma avaliação casada da rentabilidade com volatilidade e risco, abarcando intervalos de tempo maiores, pelo menos três anos”. É um cuidado, diz Wis, para não se guiar por uma informação que pode ser ou parecer consistente no curto prazo, mas pode ser fraca em período mais longo de tempo. Importante também, para ele, é a avaliação qualitativa da equipe de gestão do fundo que toma as decisões de investimento.

A expectativa do especialista é que os produtos de gestoras independentes, que distribuem seus produtos por meio de plataformas digitais de investimento, conquistem cada vez mais espaço na carteira dos investidores. Os grandes bancos, por enquanto, dominam boa fatia do mercado, “por causa da capilaridade e da base de clientes que detêm”. E também por certo descaso do investidor, “que não está ligado à qualidade do rendimento, devido ao costume de aplicar no banco onde tem conta”.

Um hábito que tenderia a mudar à medida que o investidor perceber, sobretudo a partir de avanço da educação financeira, a possibilidade de ganhos maiores em produtos financeiros fora de bancos. Um horizonte de acompanhamento aponta que “ao longo dos últimos cinco anos as gestoras independentes são as que conseguem apresentar resultados mais consistentes que os de grandes bancos”.

Leia mais

Sobre o autor
Tom Morooka
Colaborador do Portal Mais Retorno.