Logo Mais Retorno
Empresa

Adidas lança sua primeira coleção de NFTs e fatura milhões, mas o que são esses ativos?

Coleção foi chamada de “Into the Metaverse”

Data de publicação:22/12/2021 às 07:00 -
Atualizado 5 meses atrás
Compartilhe:
  • Facebook
  • Linkedin
  • Twitter Mais Retorno
  • Telegram Mais Retorno
  • WhatsApp Mais Retorno
  • Email Mais Retorno

Da indústria do entretenimento às grandes marcas de alimentos, 2021 foi um ano marcado pela estreia de empresas de diversos setores no ambiente digital com o lançamento de seus próprios NFTs (tokens não fungíveis, na tradução). Companhias como Playboy, Taco Bell e Pringells, por exemplo, já lançaram seus produtos com acesso exclusivo por cadeias de blockchain e, na última sexta-feira, 17, foi a vez da Adidas lançar seu primeiro NFT.

A gigante de moda esportiva lançou uma linha exclusiva que conta com itens que promovem uma experiência digital e física para o consumidor. Produtos como um gorro laranja e um moletom com o endereço blockchain do personagem são oferecidos dentro do universo digital e, posteriormente, quem adquiriu algum dos NFTs receberá, também, o produto físico. A coleção foi nomeada de Into te Metaverse - ou Dentro do Metaverso, na tradução.

Bored Ape Yacht Club Adidas NFTs
Avatar com peças NFTs da Adidas | Foto: Reprodução Twitter

A Adidas disponibilizou 30 mil NFTs nessa primeira experiência, que puderam ser adquiridos por meio da criptomoeda da rede Ethereum, e o resultado já se mostrou bastante positivo. De acordo com dados noticiados pelo site Investing, a companhia faturou US$ 23,4 milhões com a venda dos tokens, ou cerca de R$ 134,5 milhões com a cotação do dólar no fechamento do pregão desta terça-feira, 21.

LEIA MAIS

O que são os NFTs?

Embora muitas empresas estejam lançando seus próprios NFTs, ainda há muitas dúvidas a respeito do que são esses produtos. Conforme explica o professor de inovação do Insper Marcelo Nakagawa, um NFT é "um criptoativo único que pode ser comprado e revendido em plataformas específicas para isso".

"Em geral, são obras de arte, músicas, cards, objetos, personagens que existem apenas em ambientes virtuais, cada vez mais referenciados como metaversos. Por ser único, em diversos casos, cria um contexto de escassez e aumenta o preço do bem digital em leilões. Muitas empresas enxergam nisso, não apenas uma forma de se destacar como marca pioneira ou inovadora, mas também como estratégia de conexão com usuários e clientes que interagem nestes ambientes digitais, como nos jogos online".

Marcelo Nakagawa

Para o professor, há muita curiosidade em torno do que são esses tokens. Por isso, muitas companhias estão "testando conceitos, validando hipóteses ou mesmo simplesmente brincando para ver no que vai dar". Nakagawa destaca, porém, que há as empresas com presença mais consolidada nos ambientes digitais. O destaque fica especialmente com os jogos virtuais, "que já comercializam itens digitais, mas que agora, via NFT, conseguem dar exclusividade às suas ofertas".

Por que as empresas estão se interessando pelos NFTs?

"Além de posicionarem-se como marcas inovadoras e criarem maiores vínculos com seus clientes e usuários em ambientes virtuais, as empresas começam a integrar os bens digitais com bens físicos, como ocorre na compra de uma NFT de algum calçado que possa ser utilizado pelo avatar do cliente no ambiente virtual e o recebimento de uma versão física que possa ser realmente calçado pela pessoa no mundo real".

Marcelo Nakagawa

O professor comenta que a questão dos ativos digitais em ambientes virtuais não é nova. Já há jogos, como o Second Life, por exemplo, que oferecem bens digitais em seus universos. "A novidade é que o uso de lógicas de tokenização criptográfica cria bens digitais únicos, exclusivos e que podem ser revendidos, criando um mercado secundário e/ou colecionável", explica.

Nakagawa ressalta, ainda, que entre as empresas pioneiras no ramo dos NFTs, vale destacar a NBA Top Shot. O professor pontua que a empresa não apenas "tokenizou" as suas figurinhas - muito tradicionais no ambiente físico em momentos esportivos -, mas também "criou um movimentado mercado secundário com seus fãs ao redor do mundo". Além da NBA, destaque para a Nike que criou a CryptoKicks, que valida a autenticidade de produtos físicos e cria uma versão digital para ser usada em ambientes virtuais.

NFTs e metaverso vieram para ficar?

Marcelo Nakagawa reforça a ideia de que, apesar da revolução digital já estar acontecendo há algum tempo, o momento atual é diferente, sobretudo no que diz respeito às tecnologias. Para ele, diferentemente de quando outros jogos mais realistas (como o Second Life) estrearam, atualmente estamos vivendo a era do 5G e da capacidade de processamento em nuvem, "criando experiências cada vez mais incríveis online".

"As tecnologias de blockchain também evoluíram muito, criando soluções mais leves e confiáveis. Como as NFTs são comercializáveis, diversos mercados secundários tendem a evoluir. Além disso, há inúmeros ambientes virtuais já com milhões de usuários como ocorrem nos jogos online. Por isso, a ideia de metaverso, por mais questionável que seja, começa a se consolidar, especialmente entre os mais jovens".

Marcelo Nakagawa

Além dos mais jovens, o professor do Insper pontua que a entrada de outros players mais consolidados no mundo físico, como o The Economist e a Universidade de Berkely, no metaverso começa a atrair a atenção de outros tipos de públicos para a revolução digital.

"Em diversos segmentos como os de colecionáveis ou itens utilizados pelos avatares, com relação ou não, com suas versões reais (como tênis digital e físico), tendem a se consolidar como novos mercados. Em algum momento, pode ser comum termos NFTs de nós mesmos, além da visão tradicional de certificação digital, e não apenas simples avatares nos diversos metaversos", finaliza Nakagawa. 

A coleção de NFTs da Adidas

A coleção de NFTs da Adidas foi desenvolvida a partir de uma parceria da marca de roupas esportivas com a Bored Ape Yacht Club - que é a empresa de NFTs mais popular do mundo -, a série de quadrinhos em NFT Punks Comic e o investidor de criptoativos que usa o pseudônimo de GMoney. Cada um desses parceiros ganhou um avatar dentro do universo digital da Adidas, que são usados para exibir os produtos digitais da companhia.

"Haverá outras experiências que estamos montando. Com esse NFT, você pertence a uma comunidade, e continuamos agregando valor a isso ao longo do tempo, e isso também vai evoluir com o que estamos aprendendo sobre a comunidade, como eles estão mudando e evoluindo".

Erika Wykes-Sneyd, vice-presidente de marketing da Adidas Originals, em entrevista ao site The Verge
Moletom estampado com endereço blockchain da coleção de NFTs da Adidas | Foto: Divulgação

Algumas empresas famosas além da Adidas que também já têm NFTs

EmpresaSetor
Taco BellAlimentação
BratzFabricante de brinquedos
PringlesAlimentação
TencentPortal de serviços online
UbisoftJogos digitais
Pizza HutAlimentação
PlayboyEntretenimento adulto
NBA Top ShotEsportes
RobloxJogos digitais
EbayComércio eletrônico
Sobre o autor
Bruna Miato
Repórter na Mais Retorno