Logo Mais Retorno
Mercado Financeiro

Mercado ao vivo: acompanhe a Bolsa e o dólar nesta quarta-feira, 12

Confira as movimentações do mercado neste pregão

Data de publicação:12/01/2022 às 11:17 -
Atualizado 6 meses atrás
Compartilhe:
  • Facebook
  • Linkedin
  • Twitter Mais Retorno
  • Telegram Mais Retorno
  • WhatsApp Mais Retorno
  • Email Mais Retorno

Puxada pela alta das commodities e acompanhando os mercados internacionais, que caminham otimista após a divulgação dos dados de inflação nos Estados Unidos, a Bolsa de Valores opera em alta no pregão desta quarta-feira, 12. Às 13h43, o Ibovespa registrava valorização de 1,51%, aos 105.345 pontos, enquanto o dólar recuava 0,27%, cotado a R$ 5,55.

De acordo com dados do Departamento do Trabalho, o índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) dos EUA avançou 0,5% em dezembro ante novembro, pouco acima da mediana das expectativas do mercado, de 0,4%, mas menor do que a inflação registrada em novembro ante outubro, de 0,8%. Assim, o CPI do país norte-americano fechou o ano de 2021 com uma alta de 7,0%.

B3, a Bolsa de Valores brasileira
Sede da B3 em São Paulo - Foto: B3/Divulgação

"Em dezembro, em meio ao fim da narrativa de preços transitórios, a leitura mensal desacelerou ante o dado de novembro. Parte do movimento é decorrente da queda nos preços de energia, influenciados pelo recuo no preço do petróleo no mercado internacional."

Análise do BTG Pactual Digital

Com a desaceleração da inflação dos EUA na comparação mês a mês, especialistas explicam que o mercado enxerga uma menor necessidade do Federal Reserve (Fed, o banco central americano) promover uma elevação tão rápida e significativa nas taxas de juros no país, o que favorece os ativos de risco, como a Bolsa brasileira, e tende a tirar um pouco da pressão sobre a taxa de câmbio.

Discurso de Jerome Powell

Na véspera, em uma audiência no Comitê Bancário do Senado americano, o presidente do Fed, Jerome Powell, disse que os Estados Unidos estão em "uma era de juros muitos baixos" e provavelmente permanecerão nesta configuração, mesmo com as perspectivas de elevação da taxa básica nos próximos meses.

Powell atribuiu a recente escalada da inflação no país a desequilíbrios entre oferta e demanda. Para ele, as condições de oferta devem ser normalizadas ao longo deste ano, o que ajudará a conter a escalada inflacionária. Por consequência possibilitará a manutenção da era de juros baixos. No entanto, o dirigente assegurou que, se necessário, o Fed pode elevar juros em ritmo mais rápido para reduzir a inflação.

O discurso do presidente do Fed tranquilizou os mercados no pregão de terça-feira, 11, e levou diversas bolsas ao redor do mundo, inclusive a Bolsa brasileira, a fecharem o dia em terreno positivo.

Sobe e desce na Bolsa

As maiores altas do dia na Bolsa

EmpresaCódigoVariação
IguatemiIGTI11+6,82%
Lojas RennerLREN3+6,23%
HapvidaHAPV3+6,22%
MultiplanMULT3+5,66%
IntermedicaGNDI3+5,32%
Fonte: B3 | Atualizado às 13h43

As maiores baixas do dia na Bolsa

EmpresaCódigoVariação
LocawebLWSA3-3,74%
Santander SANB11-2,39%
Banco InterBIDI11-2,10%
CieloCIEL3-1,92%
3R PetroleumRRRP3-1,38%
Fonte: B3 | Atualizado às 13h43

Paralisação de funcionários do BC

Outro fator que pode impactar os negócios no mercado brasileiro neste pregão é a paralisação dos funcionários do BC, marcada para o próximo dia 18, mesmo após uma reunião com o presidente da autoridade monetária, que foi classificada como "amistosa e propositiva", porém sem nenhuma proposta de reajuste salarial, informou o Sindicato Nacional dos Funcionários do Banco Central (Sinal).

Desde a última semana, o funcionalismo público vem se mostrando insatisfeito com o fato de Jair Bolsonaro ter prometido um reajuste salarial apenas aos policias com o espaço liberado no Orçamento após a aprovação da PEC dos Precatórios. A paralisação no BC deve acontecer entre as 10h e 12h do dia 18 e, segundo o Sinal, ainda em janeiro haverá outra reunião com o presidente da instituição.

"Esperamos que, ainda em janeiro, haja nova reunião com o Presidente do BC e que nela haja uma proposta concreta. Caso contrário, passaremos a debater a proposta de greve por tempo indeterminado, em fevereiro de 2022".

Fábio Faiad, presidente do Sinal

Estados Unidos: mercados em alta

Após a divulgação dos dados de inflação no país, as bolsas americanas operam em alta no pregão desta quarta-feira. Às 13h47, os principais índices dos EUA registravam as seguintes variações:

  • Dow Jones: alta de 0,14%
  • S&P 500: alta de 034%
  • Nasdaq 100: alta de 0,44%

Europa: produção industrial sobe

A produção industrial da zona do euro aumentou 2,3% em novembro ante outubro de 2021, segundo dados com ajustes sazonais publicados nesta quarta-feira pela agência oficial de estatísticas da União Europeia, a Eurostat. O resultado veio bem acima da expectativa de analistas consultados pelo The Wall Street Journal, que previam alta de 0,4% na produção.

Em contrapartida, a produção industrial do bloco recuou 1,5% em novembro ante igual mês de 2020, contrariando projeção do mercado de acréscimo de 1,4%. A Eurostat também revisou os números de produção industrial de outubro, para queda mensal de 1,3% e avanço anual de 0,2%.

Desempenho das bolsas europeias

Após os dados sobre a produção industrial e com os investidores ainda repercutindo as falas de Jerome Powell na véspera, as bolsas europeias operam em alta nesta quarta-feira.

Às 13h47, os principais índices europeus registravam as seguintes variações:

  • Stoxx 600 (índice pan-europeu): alta de 0,64%
  • FTSE 100 (Inglaterra): alta de 0,81%
  • DAX (Alemanha): alta de 0,37%
  • CAC 40 (França): alta de 0,73%
  • FTSE MIB (Itália): alta de 0,65%
  • Ibex 35 (Espanha): alta de 0,19%
  • PSI 20 (Portugal): alta de 0,36%

Bolsas da Ásia fecham em alta com dados da China

As bolsas asiáticas fecharam em alta nesta quarta-feira, 12, seguindo o tom positivo de Wall Street, após comentários do presidente do Fed terem aparentemente agradado investidores e dados da inflação chinesa abrirem caminho para relaxamento monetário.

O índice de preços ao produtor (PPI) da China subiu 10,3% em dezembro, ante igual mês do ano passado, e desacelerou em relação aos 12,9% registrados em novembro, informou o Escritório Nacional de Estatísticas (NBS, pela sigla em inglês). O resultado ficou abaixo da previsão de 11,2% dos economistas. Já na comparação mensal, houve deflação (-1,2%) na passagem de novembro para dezembro. Com isso, o PPI do gigante asiático encerrou 2021 com alta acumulada de 8,1%.

O índice de preços ao consumidor (CPI), por sua vez, avançou 1,5% na comparação anual de dezembro, quase em linha com a previsão de 1,6% do mercado, e abaixo dos 2,3% observados em novembro. Na comparação mensal, o CPI teve deflação de 0,3%, após alta de 0,4% em novembro. Com o resultado, a inflação ao consumidor da China totalizou alta de 0,9% em 2021.

Fechamento das bolsas asiáticas

  • Xangai Composto (China continental): alta de 0,84%
  • Shenzhen Composto (China continental): subiu 1,42%
  • Hang Seng (Hong Kong): subiu 2,79%
  • Nikkei (Japão): subiu 1,92%
  • Taiex (Tawian): subiu 0,48%
  • Kospi (Coréia do Sul: subiu 1,54%

Com Agência Estado

Sobre o autor
Bruna Miato
Repórter na Mais Retorno