Logo Mais Retorno
boletim focus
Economia

Queda da Selic no próximo ano é incerta, diz Moat Capital; confira perspectivas

Em carta aos cotistas, gestora afirma que horizonte fiscal se tornou turvo pós eleições

Data de publicação:25/11/2022 às 05:00 -
Atualizado 12 dias atrás
Compartilhe:

Para a Moat Capital, gestora de renda variável, as eleições turvaram o horizonte fiscal e tornaram a “provável” queda de juros no ano que vem ainda incerta. Em carta aos cotistas, a equipe revelou que a principal variável para as empresas locais é a mudança no patamar de juros da economia.

Embora o cenário de inflação e juros esteja traçado na economia brasileira, a Moat acredita que daqui para a frente o cenário será menos volátil já que as empresas estão com alavancagem reduzida. A gestora ressalta que a melhora da qualidade do crescimento da economia, deve continuar sendo percebida nos balanços das companhias.

juros
Moat Capital diz que a principal variável para as empresas locais é a mudança no patamar de juros da economia | Foto: Getty Images

Na perspectiva da Moat, uma reforma tributária será endereçada no Brasil no ano de 2023. "Apesar da relevância da matéria, ainda vemos um grau de incerteza elevado por parte do mercado, dado os
inúmeros grupos de interesse envolvidos", diz a carta da instituição.

Em relação às ações cíclicas globais, a Moat acredita que apesar dos descontos elevados, os preços se mostram condizentes com o cenário de recessão. "Consideramos a bolsa brasileira ainda relativamente barata, apesar de termos observado uma correção importante no último trimestre", afirma a gestora. Em meio ao ambiente externo, a gestora acredita que o Brasil está bem colocado.

Cenário Internacional

De acordo com a Moat Capital, ainda paira uma enorme dúvida sobre a trajetória da inflação norte-americana. A casa acredita que apesar dos sinais de proximidade do pico, a dinâmica por lá ainda gera perspectivas de redução dos investimentos pelas empresas. Isso devido ao forte aumento no custo de capital. "Essa dinâmica negativa pressiona o desempenho das ações, com a elevação do custo de refinanciamento das empresas, inviabilizando diversos projetos", explica a Moat.

A gestora diz que vê a atividade econômica norte-americana e nos países desenvolvidos com uma assimetria negativa, já que o mundo está diante de uma recessão ao longo dos próximos trimestres.

A Moat Capital ressalta ainda que existe um cabo de guerra entre dois lados do mercado. Isso porque alguns enxergam um quadro de recessão prolongada, que deve penalizar o mercado de ações, enquanto outro lado acredita que essa dinâmica de aumento de juros será suficiente para encurtar o ciclo de aperto monetário, favorecendo a renda variável.

Leia mais:

Sobre o autor
Mari Galvão
Repórter de economia na Mais Retorno

Inscreva-se em nossa newsletter