Logo Mais Retorno
Bolsa
post

Alpha Key: novo governo não terá poder de alterar drasticamente ambiente de negócios no País, mas haverá mudanças

Chances de fluxo de caixa da Petrobras fluir para o acionista são baixas nos próximos anos

Data de publicação:23/11/2022 às 05:00 -
Atualizado 5 dias atrás
Compartilhe:

Os gestores da Alpha Key Capital não acreditam que o governo do presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva, tenha o poder e venha a mudar drasticamente o ambiente de negócios no País. Esse é um dos principais recados que eles passam a seus investidores na última carta mensal. A premissa parte de duas âncoras, do desenho do próximo Congresso, que deve oferecer alguma oposição ao menos em questões institucionais, e das reformas realizadas após 2016.

Tais reformas, segundo eles, foram fundamentais para o que o País tenha atravessado pandemia, conflitos geopolíticos na Ucrânia, e apresente hoje um endividamento público equivalente a 77% do PIB, em linha com 2019, em momento que a dívida global 9% em consequência desses eventos. Mais ainda, tenha um crescimento acima das média de seus pares, de 1%; superávit de R$ 50 bilhões em 2022, e avanço do PIB de +2,7%, superando as expectativas do início do ano; inflação inferior à dos EUA em 15 anos.

Alpha Key
Bons investimentos não estão nas empresas avaliadas em bilhões de reais, dia Alpha Key - Foto: Reprodução

Dólar x política

A casa fez um estudo para analisar os grandes ciclos econômicos e políticos no Brasil considerando apenas uma variável: o dólar. "Nessa simplificação, observa-se que quando a moeda norte-americana se desvaloriza, os governos da situação se fortalecem, a economia cresce aceleradamente e a oposição política atrofia. Analogamente, um movimento de alta no dólar cobra sua conta gerando crescimento muito abaixo do obtido anteriormente (ou recessão), fortalecimento da oposição e subsequente ruptura do modelo político-econômico".

Os gestores consideram que atualmente é impossível prever se a moeda norte-americana vai seguir em trajetória recente de valorização ou se haverá algum retorno à média. De todo modo, contam com um 'beta' adicional ao ciclo externo: mais dívida e mais crescimento num ambiente favorável e mais dívida e recessão em ambiente mais desafiador.

Mudança de rumo

Para eles, no entanto, o País continua com potencial para histórias de geração de valor, que se mostraram imunes tanto ao sobe e desce da política como aos ciclos externos, como Itaú, Ambev, Bradesco, Nubank, Raia, Weg e Renner. A perspectiva é a de que "histórias semelhantes sejam criadas e desenvolvidas". Mas com direcionamento distinto.

Os gestores apostam que os próximos bons investimentos não se encontram nas empresas já avaliadas em centenas de bilhões de reais. Eles observam que a evolução do Ibovespa de outubro de 2018 ao dia 28 de outubro deste ano, antes do segundo turno das eleições, foi de 46,7%. Metade desse retorno foi sustentado pelas estatais, um resultado que dificilmente vai se repetir no próximo ciclo.

"Ainda é cedo para termos fortes convicções, mas acreditamos que por conta das restrições orçamentárias e pela nova administração estar longe de construir maioria parlamentar, a Petrobras pode ser tornar um dos principais veículos de investimento público"

Alpha Key Capital - gestora

É que a empresa tem a capacidade de unir a ala ideológica, com foco em transição energética acelerada, descarbonização, investimentos em área que o setor privado não tem interesse, com a ala mais pragmática, voltada às grandes obras. "Caso o fluxo de caixa da Petrobras flua para os dividendos, o governo abocanharia uma parcela reduzida (só possuem 37% do interesse econômico), além de ver o montante ser disputado com outras demarcações e prioridades do orçamento".

Assim, dentro da petroleira, o governo teria total controle sobre um montante considerável de recursos, superior a R$ 100 bilhões por ano, sem considerar os aumentos de endividamento, e com poucas amarras. Os gestores ressaltam que os discursos tanto do senador Jean Paulo Prates (PT-RN) que está cotado para ser o presidente da empresa, como da deputada Gleise Hoffman caminham nessa direção.

"Mesmo achando a empresa descontada, acreditamos que as chances do fluxo de caixa da companhia fluir para o acionista nos próximos anos são baixas. Sendo assim, dificilmente veremos uma reprecificação da ação similar à observada nos últimos quatro anos. Em outras proporções, a crença da casa é de que o mesmo contexto pode ser aplicado a outras estatais federais.

Os gestores concluem afirmando que vão continuar em busca de "empresas que combinem robustez financeira, múltiplos razoáveis e pessoas com capacidade para aproveitar da volatilidade inerente a a qualquer atividade empreendedora". Nos principais setores, a Alpha Key continua com posições com commodities (agro, petróleo e celulose) , elétricas (geração e distribuição), varejo, construção civil de baixa renda, software e empresas do setor financeiro.

Sobre o autor
Regina Pitoscia
Editora do Portal Mais Retorno.

Inscreva-se em nossa newsletter

,