Logo Mais Retorno
Mercado Financeiro

Investidor brasileiro está cada vez mais jovem: entenda este novo cenário

Popularização de plataformas e aplicativos para investimentos ajudou na inserção dos mais novos no mercado financeiro

Data de publicação:22/03/2022 às 00:30 -
Atualizado 2 meses atrás
Compartilhe:
  • Facebook
  • Linkedin
  • Twitter Mais Retorno
  • Telegram Mais Retorno
  • WhatsApp Mais Retorno
  • Email Mais Retorno

Não faz tanto tempo que o jovem mal se interessava por fazer reservas em dinheiro, pensava em renda complementar para a aposentadoria ou se preocupava com o futuro. O principal objetivo era imediato: estava em conquistar bons empregos para garantir salários melhores.

No entanto, a era da tecnologia trouxe mudanças profundas sobre a maneira que os ativos são negociados na Bolsa de Valores e, mais recentemente, sobre o perfil dos investidores. Aumentar o patrimônio tornou-se prioridade para as novas gerações e o investidor jovem tornou-se cada vez mais comum neste mercado.

Essa mudança de mentalidade pode estar atribuída, principalmente, à popularização de plataformas e aplicativos que possibilitam o investimento de forma rápida, fácil e segura. Pensando nisso, neste post vamos explicar alguns pontos que contribuíram para a maior participação de jovens no mundo dos investimentos. Boa leitura!

Por que o investidor brasileiro ficou mais jovem?

De acordo com as estatísticas da B3 apuradas pelo Estadão, nos últimos anos houve uma redução significativa da média de idade dos investidores da Bolsa brasileira. Em 2016, os clientes do mercado nacional de ações tinham, em média, 48,7 anos. Porém, em 2021 houve um recuo para 37,9 anos, ou seja, uma diferença de mais de 10 anos.

Além disso, o levantamento da B3 mostrou que 62% dos mais de 5 milhões de investidores brasileiros têm menos de 40 anos — sendo que uma parcela considerável deles acabaram de ingressar no mercado de trabalho, afinal, 12% do total de pessoas físicas que investem em ações não têm mais que 24 anos.

Nesse contexto, é possível observar que cada vez mais os jovens estão interessados em investimentos de maior risco, como ativos da renda variável. Apesar disso, a rentabilidade no longo prazo também é maior. Logo, confere maior alinhamento com os objetivos das novas gerações, uma vez que muitos deles estão focados na estabilidade financeira a médio prazo e uma aposentadoria confortável.

Quais as vantagens de se tornar um investidor jovem?

No mercado de investimentos, o tempo é um fator determinante. Isso porque, quem investe enquanto ainda é jovem pode criar um patrimônio considerável no longo prazo, mesmo tendo pouca experiência.

Basta olhar para a fórmula de juros compostos: nela, o tempo é o principal fator multiplicador. Ou seja, quanto mais tempo para investir, maiores serão as oportunidades de acumular riquezas através de escolhas adequadas.

A seguir, conheça as vantagens de quem começa a investir ainda jovem.

O tempo está ao seu favor

Como vimos, o jovem investidor tem o tempo ao seu favor de inúmeras maneiras. Em primeiro lugar, por se tratar de um público no qual conta com maior tempo livre - é possível estudar com maior clareza sobre o mercado, a fim de determinar os melhores investimentos, bem como acompanhar as tendências da Bolsa.

Outro ponto importante é que, todo o dinheiro aplicado o quanto antes pode render mais, haja vista que contará com maior tempo de rendimento — a menos que você precise dele. Ademais, investir pequenas quantias mês a mês, no longo prazo, pode trazer o mesmo retorno que fazer um aporte maior no futuro.

Os riscos são mitigados a longo prazo

Embora seja uma excelente alternativa para construir um grande patrimônio a longo prazo, investir é uma tarefa inerentemente arriscada. Portanto, é melhor correr esse risco quando se ainda é jovem, afinal, há tempo hábil para se recuperar de eventuais perdas, caso as suas escolhas não sigam o caminho esperado.

Cabe ainda destacar que quando se é jovem, normalmente é possível se encaixar em um perfil mais arrojado (importante identificar qual o seu perfil de investidor com base em seus objetivos e tempo estimado para alcançar sua meta). Do contrário, os investidores tornam-se avessos ao risco e, portanto, menos dispostos a dar saltos mais altos.

Há tempo para se recuperar de eventuais perdas

Como destacado anteriormente, investir na Bolsa é uma tarefa definitivamente arriscada, afinal, trata-se de uma aposta com base em informações mercadológicas muito variáveis, além de não haver garantias de retorno. Sobretudo em se tratando da pouca experiência, trilhar um caminho em um território desconhecido pode ser desafiador.

Por outro lado, quem ainda é jovem tem uma margem maior para erros. Afinal, você terá mais tempo para recuperar e se reestruturar. Tal como ocorre em qualquer outro tipo de empreendimento, investir também é uma atribuição que requer paciência e pode render muitos benefícios com o aprendizado mediante erros e acertos.

As redes sociais são poderosas ferramentas de consulta

As mídias sociais são, hoje em dia, importantes aliadas. O boom das redes sociais e a popularização de diferentes plataformas, contribuíram para o crescimento de todos os setores. Com mais informação disponível, portanto, os investidores têm trilhado uma jornada financeira cada vez mais prematura.

De acordo com números divulgados pelo Datafolha, a pedido do C6 Bank, 44% dos jovens afirmam encontrar, em buscas rápidas nas redes sociais, informações relevantes sobre o mercado financeiro, sobretudo em relação às melhores opções de investimento. Com isso, outra vantagem dessa ferramenta é a possibilidade de interagir, acessar relatórios e acompanhar o sobe e desce da Bolsa.

Cuidados necessários para investir corretamente

Apesar das vantagens de se investir de forma mais precoce possível, é muito importante atentar-se para os riscos inerentes a esse tipo de atividade. Justamente por isso, a pouca experiência no mercado é um fator que deve ser levado em consideração. Afinal, as promessas de retorno rápido podem “esconder” os riscos das operações na Bolsa.

Sendo assim, é importante compreender que o mercado de renda variável não se trata de uma estratégia para enriquecimento rápido, isto é, de curto prazo. Portanto, é muito importante ter uma gestão financeira eficiente, antes de mesmo de realizar aportes na Bolsa.

Na prática, antes de realizar qualquer investimento, deve-se eliminar quaisquer dívidas e priorizar a criação de uma reserva de emergência. Assim, qualquer tipo de imprevisto no curto prazo pode ser tranquilamente sanado, sem que haja necessidade de recorrer às aplicações de longo prazo.

Conclusão

As últimas crises financeiras globais provocadas principalmente pela pandemia de covid-19 foi um gatilho para que a nova geração de investidores reavaliasse seus hábitos de consumo e estratégias para acumular riqueza em médio e longo prazo. Com a necessidade de ter maior responsabilidade sobre a vida financeira, os jovens passaram a investir com maior consciência.

Porém, como vimos, ingressar no universo das bolsas de valores nem sempre se trata de uma tarefa fácil. Para tanto, é preciso se preparar e estabelecer metas claras para atingir o objetivo principal, especialmente durante as crises de mercado.

Portanto, embora este seja um momento ideal para começar a investir, cabe atentar-se para as particularidades do mercado. Na Mais Retorno, você aprende e desenvolve as habilidades necessárias para trilhar o seu caminho no mercado financeiro. Conheça nossos cursos e saiba mais!

Sobre o autor
Mais Retorno
A Mais Retorno é um portal completo sobre o mercado financeiro, com notícias diárias sobre tudo o que acontece na economia, nos investimentos e no mundo. Além de produzir colunas semanais, termos sobre o mercado e disponibilizar uma ferramenta exclusiva sobre os fundos de investimentos, com mais de 35 mil opções é possível realizar analises detalhadas através de índices, indicadores, rentabilidade histórica, composição do fundo, quantidade de cotistas e muito mais!